Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Romã

A Romã - um antibiótico natural

A romã foi utilizada como “antibiótico natural” no tratamento de amigdalites, faringites e outras afecções da cavidade orofaríngea. As infusões obtidas a partir da casca eram empregues para tratamento de diarreias; as das raízes e troncos como vermífugas (eliminação de vermes intestinais, como a ténia) e as das sementes no tratamento de afecções oculares como a conjuntivite. Das suas sementes é também obtido um óleo com propriedades antibióticas e antiinflamatórias, considerado como tónico para o sistema neuromuscular.

Recentemente, vários estudos clínicos permitiram concluir que o consumo de sumo e extractos obtidos da polpa e casca de romã permitem reduzir o risco de desenvolvimento de doença coronária, uma vez que a acção dos seus constituintes impede a oxidação das moléculas de LDL e previne o desenvolvimento de aterosclerose.

As últimas pesquisas sugerem ainda a sua eficácia no combate à hiperplasia benigna e ao cancro da próstata e na redução do risco de desenvolvimento de osteoartrite. As sementes de romã, contidas no interior dos pequenos bagos vermelhos, apresentam propriedades fitoestrogénicas úteis na regulação de algumas alterações hormonais e no alívio dos sintomas associados à menopausa.

Devido às propriedades anti-microbianas do sumo, o seu extracto tem vindo a ser utilizado por alguns ginecologistas no tratamento de casos de leucorreia e até mesmo no combate ao vírus do herpes genital.

Texto do Dr. Pedro Lobo do Vale (Médico)

Menus Diários - 2


Recomendarei de novo, ao acordar, uma chávena de chá de sementes de Cardo Mariano.

Pequeno almoço:-
Como sou contra o café com leite, porque considero uma das piores combinações que podemos fazer, não consigo aconselhá-lo. Em sua substituição, recomendaria:
- Uma taça de cereais com leite ao natural (o leite é incompatível com o açúcar e com o mel. (As pessoas alérgicas ao leite têm, como alternativa, a bebida de soja ou de arroz).
- 1 gema de ovo cozida (o leite é incompatível com a clara).
- 1 chávena de cereais torrados, em substituição do café.

A meio da manhã
- beber um copo de sumo de romã.

Nota: O sumo de romã faz-se espremendo cada metade num espremedor, tal como se faz com a laranja. Ver as propriedades da romã no próximo post.

Almoço:-
Frango assado no forno.

Ingredientes:
- 1 Frango de tamanho médio
- 1/2 copo de azeite
- 4 dentes de alho q.b. de sal
- 1 ramo de salsa
- 6 folhas de mangericão
- 1 pitada de piri-piri (pessoalmente, não aconselho o uso da pimenta)
- 1 c/ de sopa de pão ralado

Preparação:

- Lavar o frango muito bem, antes de cozinhá-lo (esta operação é muitíssimo importante).
- Colocar, no fundo do tabuleiro, uma caneca da água de cozer a batata que irá acompanhar o
frango assado (ver prato a seguir).
- Colocar o frango no tabuleiro com a água.
- Introduzir dentro do frango um ramo de salsa e folhas de mangericão.

À parte, num copo de varinha mágica, colocar:

- 4 dentes de alho
- 1/2 copo de azeite
- q.b. de paprika
- q.b de sal
(Gostaria de aconselhar o sumo de meio limão, mas não combina com os restantes produtos).
Bater vigorosamente com a varinha mágica.
- Espalhar este batido por cima do frango.
- Polvilhar o frango, levemente, com pão ralado.
- Meter no forno a assar, em forno previamente aquecido a 200ºC.

Batatas Gratinadas:

- 1 kg de batatas
- 40 cl de natas frescas
- 2 pitadas de noz moscada moída
- 30 grs de manteiga
- 1 dente de alho
- 100 grs de queijo parmesão, ralado
- q.b. de sal

Modo de preparação:

- Descasque as batatas.
- Passe-as por água fria e escorra-as bem.
- Corte as batatas em fatias finas.
- Disponha-as numa caçarola com as natas.
- Junte a noz moscada moída e o sal.
- Deixe cozer durante 20 minutos.
- Aqueça, previamente, o forno, a 210ºC.
- Pincele um pirex, ligeiramente, com manteiga um dente de alho.
- Disponha as batatas no pirex.
- Cubra-as com uma camada de queijo ralado e com pedaços de manteiga.
- Leve ao forno durante 20 minutos.
- Sirva directamente do pirex.

Nota: Se, tal como eu, não quiser usar manteiga de vaca, tem em alternativa, como anteriormente recomendei, a manteiga de soja "Alpro" ou a de azeitona.
Acompanhamento: Bróculos cozidos.

Sobremesa: Devido a várias incompatibilidades, eu aconselharia, apenas, 3 nozes e 6 amêndoas.

A meio da tarde, apenas uma chávena de ervas Lúcia Lima e alguns biscoitos, ou
- 1 copo de sumo de tomate.

Jantar:

Torta de Alho francês

Ingredientes:

- 1 embalagem de massa folhada para forrar a forma
- 500 grs de alho francês
- 80 grs de mangteiga
- 30 grs de farinha
- 50 grs de queijo ralado
- 2 dl de leite
- 1 gema de ovo
- 1 punhado de feijões secos
- q.b. de sal

Modo de preparação:

- Corte os alhos, retirando a parte mais verde.
- Lave-os e coloque-os em água a ferver, com um pouco de sal.
- Retire-os, escorra-os e tempere-os com um pouco de manteiga com pouco sal.
- Descongele a massa folhada e estenda-a com um rolo, cortando-a, depois, para forrar a forma, previamente untada com manteiga.
- Remova o excesso de massa, passar com o rolo e picar o fundo da massa com os dentes de um garfo.
- Cubra a superfície da massa com folha de alumínio e encha-a de feijões secos para impedir que a massa se levante durante a cozedura.
- Leve-a ao forno pre-aquecido a 180ºC, durante cerca de 25 minutos.
Entretanto, prepare um molho béchamel da seguinte forma:

- Dissolva 30 grs de manteiga, junte-lhe a farinha, mexendo sempre e junte-lhe o leite quente.
- Mexa o molho até ficar muito macio, ponha um pouco de sal (e pimenta se a suportar) e junte-lhe o queijo ralado e a gema de ovo, mexendo muito bem.
- Retire a massa do forno, retire a folha de alumínio e os feijões e encha-a com o molho de béchamel.
- Coloque em cima da massa folhada o alho francês, numa só camada, paralelos uns aos outros,levando, de novo, ao forno, durante 20 minutos
- Deixe repousar por alguns minutos, desenforme e sirva bastante quente.

Sobremesa: Maçã assada.

Ao deitar recomendaria uma chávena de chá de cidreira, temperado com uma colher de mel.


Imagens da net.

Menus diários-1



Inicio hoje uma série de menus diários, os quais se destinam a serem utilizados durante uma semana. Segui uma orientação muito pessoal, procurando, tanto quanto possível, ter em atenção a boa compatibilidade dos produtos a que recorri, para elaborar cada refeição. As refeições que escolhi são, basicamente, leves, embora nutritivas. Espero sejam do agrado do meu amigo João Soares, pois foi a pensar na sua sugestão, que iniciei esta tarefa.


Ao acordar: recomendo beber uma chávena de infusão de sementes de cardo mariano, indicado para conservar saudável, por exemplo, o nosso fígado (ver próximo post).

Pequeno almoço (quanto a mim, a refeição mais importante do dia):

Creme de flocos de aveia, ou Porridge

100 grs de flocos de aveia
300 ml de água
600 ml de leite de vaca, ou bebida de soja ou água, para quem tiver problemas de intolerâncias alimentares
q.b. de mel, o qual deverá ser substituído por açúcar mascavado se usar o leite, pois este e o mel são incompatíveis.

O segredo, na preparação deste creme, está na lentidão com que é cozinhado, não devendo parar de mexê-lo, enquanto está a ferver, em lume brando. Afim de encurtar o tempo de cozedura, poderá colocar os flocos de molho, durante uma hora, nos 300 ml de água, antes de iniciar a sua cozedura.

Fica delicioso quando acompanhado com uva-passa, sem graínha, ou qualquer outro fruto seco.

Alguns benefícios:
1 - É rico em fibras.
2 - Reduz o nível de colesterol no sangue.
3 - Ajudar a prevenir problemas cardíacos.
4 - Reduz riscos de diabetes.
5 - Excelente para mulheres grávidas.
6 - Ajuda a combater obesidade na infância.
7 - Ajuda na concentração.
8 - Dá mais energia

Comer, ainda, uma fatia de queijo fresco.
Beber um copo de sumo de qualquer fruta fresca, excepto, frutas ácidas ou banana, incompatíveis com cereais.

Nota:
As pessoas com tendência para engordar não necessitam de abster-se de comer 'Porridge'. Basta ter o cuidado de não exceder um prato de sobremesa deste creme e, a meio da manhã, beber um copinho de sumo de ananás ou abacaxi, que ajuda a emagrecer.

A meio da manhã: Comer um yogurt, seja confeccionado com leite de vaca, ou confeccionado com soja (Alpro, por exemplo, que encontram em qualquer supermercado).
Pessoas com tendência para engordar, aconselharei, como referi acima, beber um copo de sumo de ananás ou abacaxi, em vez do yogurt.

Almoço:
Creme de Couve-coração e Cenouras

Ingredientes:

3 - Batatas de tamanho médio
1 - Couve-coração de tamanho médio
3 - Cenouras inteiras (não cortar), de tamanho médio
1 - Cebola de tamanho médio
2 - Dentes de alho
1 - Raminho de rosmaninho
1 - Raminho de salsa
2 - Ovos cozidos
- Sal q.b.

Preparação:

- Coloque água numa panela e, quando ferver, meta-lhe: as batatas, a cebola, os dentes de alho e o sal.
- Deixe ferver durante 5 minutos e junte-lhe as cenouras inteiras. Cozê-las inteiras pode aumentar as suas propriedades anti-câncer.
- Junte, então, a couve-coração, inteira. Quem sofrer, frequentemente, de gases no estômago,
deverá evitar os talos da couve.
- Deixe ferver durante 8 minutos. Desfaça tudo muito bem com a varinha mágica, até ficar num creme aveludado.

Quando estiver pronto, colocar numa terrina e espalhar, por cima, o ovo, a salsa e o rosmaninho, partidos aos bocadinhos muito finos.

Nota:-
Dado que a batata não é compatível com feculentos, o prato a servir, depois da sopa (que levou batata), deverá levar ingredientes que sejam compatíveis com tudo o que usámos na confecção da sopa.
Assim, sugiro manter uma refeição bem combinada, aconselhando, por
exemplo:

1 posta de salmão grelhado, previamente a marinar em azeite, alho picadinho e alecrim. Não aconselho limão por ser incompatível com feculentos, tais como, batata.
Serve-se acompanhado com batata cozida e uma salada de feijão verde cortado em tiras muito fininhas.
Tempere com azeite.

Nota: Para a preparação do feijão verde, existe no mercado um pequeno utensílio, de uso facíl, que corta o feijão verde em tiras muito finas, cortando os fios laterais do mesmo, os quais saem desse utensílio pelas suas partes laterais, separadamente das tiras do feijão, que saem pelo centro. Recomendo-o por facilitar imenso a preparação deste legume. Pessoalmente, não prescindo dele. O seu preço é muito económico.

Sobremesa: Uma fatia de queijo ou uma maçã.

Nota:-
Embora seja costume, de muitas pessoas, comerem uma fatia de queijo com marmelada a acompanhar, não a recomendo porque, sendo o marmelo um fruto ácido, é incompatível com o queijo.



A meio da tarde recomendarei um copo de leite ou um chá de camomila, acompanhado de uma fatia de bolo



Jantar:-

Entrada:
Descasque uma pera abacate e retire a semente. Usando um garfo, amasse o interior. Coloque dentro os camarões e tempere com 'um pouco' de molho de maionese.

Nota:-
A pera abacate é rica em potássio, fósforo, magnésio, cálcio, sódio, zinco, ferro e cobre, bem como vitaminas C, B, A, K e E. As suas folhas são diuréticas e eliminam os gases intestinais. O caroço tostado e moído combate a diarreia. Favorece, ainda, o emagrecimento.

Arroz de cogumelos:
Coloque azeite num tacho, com 2 dentes de alho inteiros.
Quando começarem a ferver, sem deixar queimar, junte-lhe cebola picada.
Junte cogumelos partidos às tiras e deixe refogar um pouco, dependendo da espécie. Deverão estar 'quase' cozidos antes de meter o arroz.
Coloque o arroz no tacho e vá juntando, lentamente, água, mexendo sempre.
Reduza a temperatura do fogão.
O arroz, cozinhado desta forma, fica húmido e gomoso. Tenha o cuidado de acrescentar a água muito lentamente e de modo a que, no final, o arroz não fique seco, o que estragaria, completamente, o seu aspecto.
Junte queijo parmesão em barra, ralado, envolvendo-o muito bem no arroz.
Evite comprar o queijo parmesão em pó, que se vende nos supermercados.

Nota:
- Pessoas com idades superiores a 55/60 anos, aconselhá-las-ia a substituir o arroz de cogumelos por uma salada de legumes variados, à qual poderão adicionar o único fruto compatível, i.e., maçã.


Sobremesa: 3 nozes e uma fatia de queijo fresco.

Ao deitar, recomendarei uma chávena de chá Estômassil - à venda em qualquer supermercado - temperado com uma colher de chá de mel. Aconselho o uso de mel puro porque, como sabem, se o mel não fôr puro, pode fazer pior do que o açúcar refinado.

Imagens adquiridas na net.

Cardo Mariano, planta medicinal

Sua Excelência o "Cardo Mariano"


Cardo Mariano é uma planta medicinal amplamente utilizada na Medicina Tradicional Europeia.

Em França as raízes, folhas e frutos são usados no tratamento de prisão de ventre crónica, de várias doenças hepáticas tais como a icterícia, cálculos biliares, hepatite e fígado gordo, como descongestionante do sistema circulatório, no tratamento de hemorróidas e úlceras varicosas e, como anti-alérgico no tratamento da asma e urticária.

Em Itália, os frutos do Cardo Mariano são usados no tratamento de doenças do fígado, devido à sua acção desintoxicante e, também, pelas suas propriedades diuréticas e cardiotónicas.

Na Alemanha e na Hungria, em Medicina Tradicional, os frutos do Cardo Mariano são usados no tratamento de cálculos biliares devido à sua acção colagoga, estimulante da circulação entero-hepática e protectora do fígado.

Na Grécia o Cardo Mariano é usado no tratamento de varizes, pedras da vesícula e na úlcera duodenal. A Medicina Homeopática também utiliza as tinturas dos frutos do Cardo Mariano no tratamento de doenças do fígado, cálculos biliares, peritonite, pleurite, congestão do útero e varizes.

Maria Letra
Fonte de informação :http://www.calendula.pt/descPlanta?id_planta=3

Anis estrelado e o Tamiflu

O Tamiflu e o Anis Estrelado

O anis estrelado, amplamente cultivado na China, é o extracto-base (75%), da produção do comprimido Tamiflu, da Roche (empresa do antigo Secretário de Defesa dos E.U.A ., Donald Runsfield).
A erva-doce possui as mesmas substâncias, ou seja, o mesmo princípio activo do anis estrelado e age como anti-inflamatório, sedativo da tosse, expectorante, digestivo, contra asma, diarreia, gases, cólicas, cãibras, náuseas, doenças da bexiga, gastrointestinais, etc... Seu efeito é rápido no organismo e baixa um pouco a tensão arterial, devendo o chá ser feito com, apenas, uma colher de café das sementes para cada 200ml de água, administrado uma a duas vezes por dia, de preferência após a refeição. No caso de pessoas cuja tensão arterial tenha tendência para baixar, será conveniente que a sua refeição tenha um pouco mais de sal (sem, claro está, ser salgada), afim de compensar.

Ajude a divulgar o uso da erva-doce como preventivo do H1N1, ou mesmo como remédio a ser tomado imediatamente após os primeiros sintomas de gripe, pois o seu princípio activo poderá bloquear a reprodução do vírus, ou mesmo evitar o seu maior contágio.

N.B.: Este artigo foi-me enviado hoje do Brasil, via e-mail. Embora já tivesse conhecimento de que o anis estrelado, ou a erva-doce, seriam aconselhados na prevenção, ou tratamento do vírus H1N1, decidi publicar este texto para quem não souber, ainda, que o Tamiflu está a ser desaconselhado em virtude dos efeitos colaterais que possam surgir da sua aplicação e, portanto, possa ser substituído por este recurso ao uso de plantas.
Imagem da net

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Combinações Alimentares

As boas combinações alimentares são, quanto a mim, mais importantes do que comer, ou não, por exemplo, carne.

Frequentemente, ouvimos pessoas queixarem-se de terem o estômago dilatado, de sofrerem de gases e/ou azia, etc. Um bom número desses distúrbios não está apenas ligado àquilo que tenham comido, mas sim à má combinação entre os vários nutrientes que entraram na confecção do prato que fizeram ou que lhes foi servido. No Porto, por exemplo, é muito usado fazer as tripas à moda do Porto, um prato delicioso, para quem o aprecia, mas que tem muitos "senãos". Confeccionado com feijão é, normalmente, acompanhado com arroz, o que faz uma péssima ligação. Trata-se de dois amidos que combinam muito mal entre si.
Não convém, por exemplo, misturar cereais uns com os outros, na confecção de pratos.

Compatíveis:

(Frutas + Grãos germinados)-(Frutas Doces + Frutas Doces)-(Frutas Ácidas + Frutas Ácidas)-(Cereal + Hortaliça)-(Carne + Hortaliça)

Pouco Compatíveis:

(Frutas Doces + Frutas Ácidas)-(Hortaliças + Lacticínios)-(Gorduras, Óleos + Carne)-(Cereais, Leguminosas + Carne)-(Cereais + Açúcar)-(Broto de Feijão + Frutas)

Incompatíveis:

(Fruta + Hortaliça (Excepção: Maçã e Limão))-(Fruta + Açúcar)-(Cereal + Lacticínios)-(Cereal + Carne)-(Carne + Lacticínis)-(Ovos + Lacticínios + Carne)

Sendo necessário, pela sua importância, ter em atenção a boa combinação dos alimentos, quando cozinhamos, sugeria elaborassem um mapa e o colocassem nas Vossas cozinhas, afim de terem sempre à mão estes preciosos dados quando confeccionam os Vossos menus.

Maria Letra
Transcrito do blog Alimentos e produtos naturais onde foi publicada por Maria Letra.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Cancro do pulmão é muito mortífero

O cancro do pulmão é um dos mais fatais em Portugal, tendo, em 2006, causado a morte de 3599 pessoas. De acordo com os dados do Observatório Nacional das Doenças Respiratórias houve 31013 internamentos, embora só em 6870 casos o cancro do pulmão foi causa exclusiva.

Em cinco anos, houve uma subida de 21,9%, o que leva a concluir haver necessidade de parar o crescimento e reduzir as ocorrências, evitando o tabaco e a poluição atmosférica, nomeadamente nos locais de trabalho, a fim de se evitar inalar partículas perigosas, como as de teor cancerígeno.

Para saber mais sobre o assunto, ver o artigo de hoje do Diário de Notícias Cancro do pulmão matou 3599 e provocou mais de 30 mil internamentos.

domingo, 18 de outubro de 2009

Mente sã em corpo são

Corpo São - Mente Sã - Espírito São

Para conseguir alcançar este TRIO importante, o qual nos permite uma vida mais longa, há um conselho a dar, hoje cada vez mais seguido. O segredo está no que comemos e na forma como o fazemos.

1. Devemos procurar usar alimentos naturais, integrais, cuja composição não contenha aditivos.
2. Há que evitar os refinados.
3. Ter sempre em atenção que devemos variar a nossa alimentação o mais possível, tendo em conta os elementos que devemos fornecer ao nosso organismo, diariamente, nunca pecando, nem por excesso, nem por defeito. Para tal, é necessário ter sempre presente, na cozinha, quando elaboramos os nossos menus, uma tabela onde esses elementos estão especificados, bem assim como os alimentos que os contêm, o que tive o cuidado de fornecer, sucintamente, num post anterior.

Nota: Sugeria que seguissem o meu conselho: preparem, semanalmente, os vossos menus semanais. Preocupar-se-ão com isso apenas uma vez por semana e não enfrentarão desagradáveis contratempos de quererem cozinhar e não terem os necessários ingredientes. Irem às compras, diariamente, obrigará os mais velhos a caminhar, a saír de casa. Se ainda trabalham e, portanto, não podem saír todos os dias, para fazer compras, por falta de tempo, sugiro façam o que fiz durante muitos anos, quando trabalhava.
- Façam uma alimentação de "desintoxicação" ao sábado, comendo mais frutas/legumes e yogurts e, portanto, não tendo de perder tanto tempo na cozinha, à hora de almoço.
- Aproveitem a manhã para irem às compras.
- Elaborem os menus à tarde, dividindo os produtos comprados por recipientes numerados de acordo com os respectivos menus escolhidos e coloquem no frigorífico/congelador.
Fiz isto durante alguns anos e resultou muito bem.

A partir dos 3 dados importantes, acima especificados, há que seguir toda uma série de conselhos, que fazem parte do todo que dá equilíbrio à nossa saúde, tais como:

a) Devolver às refeições a importância enorme que têm, comendo sentados a uma mesa (nunca de pé, como se vê fazer, tantas vezes, os que trabalham).
b) Comer devagar, mastigando muito bem os alimentos. A própria água deve ser bebida, salivando-a.
c) Durante as refeições, evitar falar de assuntos que possam alterar o nosso estado emocional. Temas leves, sobre música, cinema, literatura, o dia escolar, o dia de trabalho, etc., são preferidos a temas onde a exaltação possa alterar o nosso sistema nervoso e, portanto, mexer com as digestões e com a disposição pós-refeição.
d) Não encharcar o estômago de líquidos durante a refeição, o que irá provocar um atrazo na digestão e, além disso, dilatar o estômago. Este hábito, quando repetido sistematicamente, irá provocar a dilatação do estômago e, consequentemente, fazer-nos sentir, progressivamente, a necessidade de comer uma maior quantidade de alimentos, facto que não ajuda nada quem quer manter um físico sem acumulação de gordura nos pontos onde é menos desejada.
e) Evitar esforços físicos violentos, após as refeições. Conceder 20 a 30 minutos de repouso ao corpo, antes de re-iniciar a sua actividade.

Maria Letra
Publicada por Maria Letra no blogue alimentos e produtos naturais.

Amoras silvestres

Descobri, para minha grande surpresa, que as amoras silvestres são um dos melhores frutos para a saúde a ponto de curarem muitas doenças.

Milai Mara

Publicada por Mara no blogue Crepúsculo.

Café reduz risco de Alzheimer

Estudo publicado na Journal of Alzheimer’s Disease* sugere que o consumo regular de café tem um impacto positivo sobre o sistema nervoso central, reduzindo o risco de aparecimento das doenças neurodegenerativas, como a doença de Alzheimer.

O consumo de café não ajuda apenas a manter-nos acordados! Tudo indica que o consumo regular e contínuo de café interfere positivamente no sistema nervoso central e estimula o cérebro, ao ponto de prevenir ou retardar o aparecimento da doença de Alzheimer.

O estudo Cardiovascular Risk Factors, Aging and Dementia (CAIDE), da responsabilidade da Universidade de Kuopio (Finlândia) em colaboração com o Instituto Karolinska (Suécia) e o Instituto Nacional de Saúde Pública Finlandês, decorreu durante 21 anos e acompanhou um grupo de cerca de 1400 homens e mulheres. As observações finais revelaram que apenas 61 dos participantes desenvolveram algum tipo de doença neurodegenerativa, dos quais 48 Alzheimer.

Controlados os factores sócio-económicos e de saúde dos participantes que pudessem interferir no resultado (colesterol, tensão arterial), os investigadores constataram que os que bebiam entre três a cinco cafés por dia estavam 65% mais protegidos de desenvolver algum tipo de doença neurodegenerativa, quando comparados com os que bebiam dois ou menos cafés por dia.

O neurologista Miia Kivipelto, do Instituto Karolinska, coordenador do estudo, reforça que apesar de se tratar de um “estudo observacional”, é possível explicar por que motivo o consumo de café pode reduzir a ocorrência de doenças degenerativas na terceira idade. As razões são simples e prendem-se com a redução dos factores de risco associados a este tipo de doenças.
Primeiro: inúmeros estudos associam o consumo de café a uma menor incidência de diabetes tipo 2;
Segundo: estudos desenvolvidos em animais mostram que a cafeína reduz a formação de placas de ateroma no cérebro;
Terceiro: o café é rico em antioxidantes, que actuam sobre o sistema circulatório, reduzindo o risco de AVC.

Assim, à luz dos conhecimentos actuais, podemos identificar algumas boas razões para beber café:

- O café melhora o estado de alerta e concentração
- O café é rico em compostos antioxidantes, benéficos para a saúde, que oferecem protecção contra várias doenças como as doenças cardiovasculares e alguns tipos de cancro;
- O consumo de café (4 ou mais chávenas/dia) pode diminuir o risco de desenvolver diabetes;
- A ingestão crónica de café pode reduzir o risco de demência;
- O consumo de café está associado a uma menor incidência de doença de Alzheimer e de Parkinson ;
- O café melhora a memória quando existe deterioração cognitiva devido a alguma doença subjacente;
- O consumo de café (4 ou mais chávenas/dia) pode diminuir o risco de desenvolver gota em 40%;
- O café diminui a absorção de glicose (açúcar) no intestino podendo ajudar no controle do peso;

Milai

Publicada por Mara no blogue Sempre Jovens.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Vitaminas - onde se encontram

As Diversas Vitaminas - Onde se encontram

Para que a nossa saúde seja preservada, é necessário ter uma alimentação correcta, fornecendo ao nosso organismo os elementos indispensáveis à sua conservação. Por tal motivo e afim de facilitar uma busca nem sempre fácil, dou a seguir uma lista retirada do site "Centro Vegetariano", que considero de grande utilidade.

Vitamina A ou retinol

Tem um papel importante no que respeita à visão, pele, cabelo, crescimento, desenvolvimento dos ossos, assim como no fortalecimento do sistema imunológico.
Podemos encontrá-la em alimentos como os espinafres, cebola, legumes de folha verde, abóbora, batata-doce, meloa, salsa, cenoura, pimento vermelho e manga.
A sua deficiência pode provocar visão deficiente à noite, secura generalizada das mucosas, stress, aumento de infecções e redução do olfacto e paladar.
O valor da DDR encontra-se entre as 600 e 700 mcg.

Vitamina B1 ou tiamina

Tem como função principal transformar os hidratos de carbono e as gorduras em energia.
É importante para o bom funcionamento do sistema nervoso, músculos e coração. Também melhora o raciocínio.
Alimentos como ervilha, pão, cereais, arroz integral, feijão, frutos secos, leguminosas e batatas apresentam grande oferta dessa vitamina.
Problemas relacionados com insónias, fadiga, nervosismo, perda de apetite/memória/energia/sensibilidade, fraqueza muscular, encontram-se na origem de carências desta vitamina.
O valor da DDR encontra-se entre 0,8 e 1 mg.

Vitamina B2 ou riboflavina

Actua na boa saúde dos tecidos celulares, é também essencial para a libertação da energia contida nos alimentos.
Importante para a saúde dos olhos, pele e boca. Para evitar problemas como a depressão, inflamação das gengivas, lábios secos, grande sensibilidade à luz e algumas formas de anemia, convém alimentar-se de arroz, aveia, sementes de girassol, ervilhas, todas as couves e cereais.
O valor da DDR encontra-se entre 1,1 a 1,3 mg.

Vitamina B3 ou PP (niacina)

É uma vitamina que desempenha uma função importante no metabolismo energético através dos quais o organismo extrai dos alimentos a energia necessária ao seu funcionamento. Facilita a circulação do sangue e a respiração celular.
Encontra-se sobretudo em alimentos ricos em proteínas, nas batatas, ervilhas e nos alperces secos.
O valor da DDR é de cerca de 15mg.
Como o excesso desta vitamina é eliminado pela urina, não existe risco de consumo excessivo. A sua carência é muito rara em países ocidentais, onde a alimentação é rica em proteínas.

Vitamina B5 ou ácido pantoténico

Tem um papel importante no metabolismo dos hidratos de carbono, proteínas e gorduras e é por isso importante na manutenção e reparação de todas as células e tecidos.
Encontra-se presente em quase todos os alimentos, de forma que não se conhecem formas de carência.
Mas vegetais, legumes e cereais de grão inteiro são, provavelmente, as fontes mais comuns. Deve ingerir-se 4 a 7 mg diários desta vitamina.

Vitamina B6 ou piridoxina

Desempenha uma função importante no metabolismo das proteínas e na formação dos glóbulos vermelhos. As carências desta vitamina manifestam-se quase só em crianças pequenas, com sintomas como perda do apetite, modificações da pele e das mucosas, atraso no crescimento, problemas musculares, cãimbras.
Encontra-se nos cereais integrais, no feijão, na banana e no fermento.
O valor da DDR é de cerca de 2mg.

Vitamina B9 ou ácido fólico

É essencial para o crescimento correcto e para o funcionamento óptimo do sistema nervoso e da medula óssea.
As perturbações causadas por esta vitamina são anemia, malformação dos glóbulos vermelhos. As necessidades desta vitamina aumentam significativamente durante a gravidez.
Pode encontrar-se no gérmen de trigo, na soja, nas sementes de linhaça e nas hortaliças.
A DDR ronda os 200 mcg.

Vitamina B12 ou cianocobalamina

É essencial para o crescimento, para a divisão celular e coagulação do sangue. Um ovo-lacto-vegetariano pode obter vitamina B12 nos ovos e nos lacticínios. Um vegano deve consumir cereais e leite de soja fortificados ou um suplemento.
A sua deficiência é causadora de anemia, alterações neurológicas graves e fadiga.
O valor da DDR é à volta 1,5 mg.

Vitamina C

É conhecida por combater as gripes, favorecer a formação dos ossos e dentes, e também contribuir para absorção do ferro e acelerar o processo de cicatrização.
As frutas cítricas são a sua principal fonte, mas também é possível encontrá-la no morango, kiwi, couve-de-bruxelas, batata, caju, pimento e goiaba.
A deficiência de vitamina C pode causar fadiga, perda de apetite, gengivas inflamadas, e uma cicatrização lenta. Em casos mais graves pode dar origem ao escorbuto que provoca, entre outros sintomas, a queda dos dentes e enfraquecimento dos ossos.
O valor da DDR é de cerca de 40 mg.

Vitamina D

Tem como função promover a adequada absorção do cálcio e fósforo e favorecer o crescimento.
A sua absorção é sintetizada pela pele, isto é a pele absorve os raios ultravioletas e converte-os. A deficiência deste nutriente provoca fraqueza, tensão muscular e raquitismo nas crianças (apesar de ser bastante raro, principalmente na Europa).
Estudos recentes demonstram haver uma ligação entre níveis baixos de vitamina D em mães, e o risco crescente de pré-eclampsia - uma grave complicação na gravidez, que pode levar à morte do feto.
Não existe um valor fixo da DDR, mas a sua formação na pele, durante o Verão, é geralmente suficiente para o organismo durante todo o ano. Caso exista a impossibilidade de apanhar sol, recomenda-se um suplemento de 10 mcg.

Vitamina E

É conhecida pela sua acção benéfica relativamente ao sistema reprodutor, assim como pelo bom funcionamento do tecido muscular e um aumento da resistência às infecções.
Os cereais constituem a sua fonte, mas também pode ser encontrada na noz, avelã, batata-doce, gérmen de trigo, aveia, abacate e óleos vegetais.
Apesar da sua carência ser rara (manifesta-se unicamente em bebés prematuros e pessoas incapazes de absorver gorduras), esta leva a anemia, lesões nos nervos e fraqueza muscular.
O valor da DDR é de pelo menos 4 mg.

Vitamina H ou biotina (também conhecida por B8)

Encontra-se presente na composição de numerosas enzimas que intervêm no metabolismo do carbono, em especial dos glícidos e dos lípidos. Excepto em casos de grave desnutrição, não costumam registar-se carências desta vitamina.
Grande parte das necessidades desta vitamina é suprida através das bactérias da flora intestinal. Algumas fontes alimentares de vitamina H incluem levedura de cerveja, rebentos de soja, cogumelos, verduras frescas.
A DDR é de cerca de 10 mcg.

Vitamina K

Tem um papel importante no processo de coagulação do sangue, e em casos graves a sua falta pode causar hemorragias.
O conhecimento do teor da vitamina K nos alimentos ainda se encontra pouco esclarecido, mas podemos apontar como principais fontes os legumes verdes, espargos, arroz integral, tomate e óleos vegetais.
O valor da DDR encontra-se entre 65 a 70 mcg.

Maria Letra
Fonte de recolha de informação: "Centro Vegetariano"

Nota: DDR = Dose Diária Recomendada
Publicada por Maria Letra no blogue Alimentos e produtos naturais

Creme de Milho com Ervilhas

Receita fácil, económica e, garanto-vos, deliciosa, leve e macia !

Ingredientes:

500gr de ervilhas, sem tirar as vagens
1/2 colher de chá de sal
1 litro de água
400grs de grãos de milho
2 colh./chá de maizena
1 colh./chá de pimentão doce
2 colh./sopa de natas
2 colh./sopa de petit-suisse
4 colh./sopa de cebolinho picado

Características:

Por pessoa: 880 kJ/210 kcal.
8g de calorias
6g de gorduras
30g de hidratos de carbono

Preparação:

Tempo de preparação: 30 minutos
Tempo de cozedura : 5 minutos

Tire as ervilhas das vagens.
Lave as vagens vazias, deixe-as a escorrer e ponha-as a ferver com o sal e a água numa caçarola tapada, durante 20 minutos.
Passe os grãos de milho com o seu líquido, pelo passador, o coe-os.
Escorra as vagens num coador.
Recolha o líquido da cozedura num alguidar.
Ponha as ervilhas a ferver durante 5 minutos, no líquido de cozer as vagens.
Junte o puré de milho às ervilhas.
Se fôr necessário, junte um pouco de água e deixe ferver outra vez.
Desfaça a maizena e o pimentão num pouco de água fria.
Ligue a sopa com esta mistura, junte as natas e o petit-suisse misturados.

Receita retirada do livro "Cozinhar Melhor - Legumes".

Foi testada e aprovada, antes de ser colocada neste blogue.

Maria Letra
Nota: Pessoalmente não gosto de usar petit-suisse, pelo que substituí-o por 1/2 yogurt normal.

Publicada por Maria Letra no blogue Alimentos e produtos naturais

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Dourada na caçarola

Ingredientes Para 2 pessoas:

1 Dourada grande ou duas pequenas
1/2 kg de mexilhão ou ameijoas (pode usar ambas)
6/8 gambas grandes
1 Cebola
2 Dentes de alho
1 tomate madurinho
pimenta a gosto
1 fio de azeite

Preparação:

Dispor a cebola descascada e em rodelas no fundo da casserole
Juntar o alho laminado e o tomate aos cubos
Colocar o mexilhão e ou as ameijoas
Colocar a dourada partida a meio/ ou as duas inteiras
Não usar sal, sob pena de salgar o prato, os frutos do mar ao abrir darão o seu sal, que é suficiente.
Juntar pimenta ou outro picante a gosto
Regar com um fio de azeite.
Tapar e deixar cozinhar em lume brando; a água do mexilhão é suficiente para que se forme o molho.
Não destapar mais para que não se perca o vapor (água) nem os aromas, excepto para juntar as gambas 5 minutos antes de estar pronto.

Serve-se com arroz branco, ou simplesmente com tostas que forram o fundo do prato e sobre as quais se coloca o molho da própria confecção.
Servir com um bom vinho branco.

Bom apetite!



Não abuse nas sobremesas.

Dores nas costas por falta de exercício físico

Dor de costas aflige 72,4% de portugueses
JN. 15 de Outubro de 2009. Pos Catarina Pinho

Mais de 420 mil pessoas faltam ao trabalho devido a problemas na coluna. Médicos recomendam exercício. Para todos, o movimento é o melhor remédio.

Corresponde a uma parte significativa da população activa. O tratamento varia consoante a intensidade do problema. "As dores de costas na zona lombar têm como prescrição médica analgésicos e anti-inflamatórios como adjuvantes, só se aplicando a intervenção cirúrgica em situações crónicas que se verifiquem a mais de seis meses do início da doença".

O recurso à automedicação é desaconselhado pelos médicos. O repouso e o sedentarismo não são aconselháveis, estando provado que quanto mais curto é o repouso, mais rápida é a recuperação".

Hérnia discal, estenose espinal e espondilatrose são as principais doenças associadas à coluna e que figuram no topo das doenças, a par da gripe. Movimentar-se é meio caminho andado para a prevenção. A "doença número um em Portugal" tem como principal causa o sedentarismo. É recomendada a prática do exercício físico, como medida preventiva, e também na fase de tratamento. Outras medidas sugeridas por terapeutas apontam o exercício de alongamento na cadeira.

Por outro lado, as doenças relacionadas com a coluna são também "a razão mais frequente de reforma por invalidez".

Para conhevcer mais, convém ler o artigo do DN fazendo clique aqui.

Aloé Vera - 2

Aloé Vera - A Planta Medicinal (Cont.)
Na sequência e para finalizar o meu texto anterior, sôbre a Aloe Vera, passo a editar a segunda parte do mesmo, como segue:

Vitaminas:

A-C-E e anti-oxidantes - Têm um papel preponderante no sistema imunitário, sendo a vitamina C particularmente importante na cura de feridas, por exemplo. Além disso, fabrica colagene, que conserva os ossos, pele e articulações firmes e fortes.
A vitamina A é essencial para manter uma visão nocturna, normal.
A vitamina E ajuda o corpo a utilizar o oxigénio, prevenindo a formação de coágulos no sangue, tromboses e arteriosclerose. Melhora, ainda, a cicatrização de feridas, fertilidade e é boa para a pele.

Grupo das vitaminas B - Estão associadas à produção de energia e ao metabolismo de amino-ácidos, que ajudam a desenvolver a massa muscular. No que se refere à vitamina B12, Aloé Vera é uma fonte rara desta vitamina essencial na produção de células vermelhas, no sangue, as quais evitam as anemias.

Ácido Fólico (B9 ou M) - Outro elemento importantíssimo na produção de células do sangue, cuja deficiência provoca, igualmente, anemia.

Amino-ácidos - Para manter uma boa saúde, o corpo humano necessita de 20 amino-ácidos os quais, à excepção de 8, podem ser produzidos no corpo. Os restantes 8, designados por 'essenciais', terão de ser obtidos através da alimentação. Todos em conjunto formam o grupo de proteínas que fazem e reparam a massa muscular. Aloé Vera contém 19 dos 20 amino-ácidos e 7 dos 8 essenciais. O amino-ácido em falta é triptofano, embora Bill Coates, um farmacêutico Americano e perito em Aloe, diga que também tem este elemento. O Dr. Peter Atherton não acha este afirmação conclusiva.

Enzimas contidas na Aloé Vera: peroxidase - celulase - aliiase - carboxipetidase - catalase - amilase - lipase - fosfatase alcalina.

Açúcares - A Aloé Vera tem dois tipos de açúcar, mono-sacarídeos (glucose e frutose) e uma larga gama de açúcares, os chamados poli-sacarídeos, sendo o principal a glucomanose (ou Acemannan).

Esteróis - Agentes anti-inflamatórios, sendo o campesterol, o sitosterol e o lupeol (agente anti-séptico e analgésico) os principais.

Ácido Salicílico - Este ácido é metabolizado no corpo num composto semelhante à aspirina o qual, em conjunto com o lupeol, proporciona algumas das suas propriedades analgésicas.

Faço agora referência a problemas de saúde os quais, segundo o Dr. Peter Atherton, podem ser tratados com Aloé Vera, seja em creme para aplicação local, seja através do sumo 'puro' desta planta:
Eczema - Psoriasis - Acne - Queimaduras - Problemas de pele provocados por fungos ou Infecções por virus - Lichen Planus - Úlceras Crónicas e Feridas provocadas por longa permanência na cama- Asma - Problemas no tracto digestivo - Sindroma de Irritação Intestinal (IBS) - Artritismo - Lupus - Colite - Doença de Crohn - 'Diverticulitis' (inflamação num divertículo do tracto intestinal, especialmente do colon) - Úlceras no estomago - Constipações - Diabetes Gengivites.

Para estes casos, quer seja usando o sumo puro de Aloé Vera, quer seja o milagroso creme feito com 100% de Aloé Vera, da conceituada marca "Forever Living", poderei dar a indicação de como adquiri-lo. Bastará, para tal, receber o pedido por e:mail, para o endereço: askforme@libero.it.

Nota importante: O facto de mencionar aqui esta marca tem, como verdadeiro motivo, a minha experiência pessoal com o uso de produtos da mesma e pela sua projecção a nível mundial. Tendo experimentado outras marcas, às quais me revelei sensível, decidi experimentar estas e os resultados foram imediatos, após a ingestão do primeiro frasco que dura cerca de um mês. Daí eu trazê-la como tema do 2.º e 3.º textos do meu blogue.

Publicada por Maria Letra no blog «alimentos e produtos naturais» de onde foi transcrito com prévia anuência da autora

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Aloé Vera - 1

Aloé Vera - A Planta Medicinal

Trata-se de uma planta com boas qualidades para o reforço do nosso sistema imunitário.

Devido à extensão, o texto irá ser dividido em duas partes, para não tornar cansativa a sua leitura. Para que se perceba porque é que Aloe Vera é muito importante na resolução de muitos problemas de saúde, terei de referir elementos que fazem parte da sua composição, para que se perceba porque, em que casos e de que forma deverá ser usado. Este texto fará, portanto, referência a uma parte dum todo que será completado na próxima postagem.

Sendo eu uma das muitas pessoas que acreditam na eficácia de tratamentos através da Aloé Vera, por experiência própria ou em casos passados com amigos e familiares meus, só posso dar preferência a este tema como o segundo deste meu blogue.

Na introdução do livro do Dr. Peter Atherton, "Aloe Vera - The Medicine Plant", i.e., "Aloé Vera a Planta Medicinal", ele escreveu o seguinte:

"A despeito de décadas de pesquisa científica, permanece a certeza de que, para uma larga gama de doenças, a medicina convencional permanece ineficaz. Não é surpresa, portanto, que muitos pacientes, particularmente os que sofrem de doenças consideradas crónicas, pela sua longa duração, procurem a medicina complementar, ou medicamentos alternativa. Os mais largamente usados são os de terapia pelas plantas, dos quais Aloé Vera é um exemplo notável".

Neste mesmo livro é dada indicação dos elementos contidos nesta planta, no seu estado puro, como passo a referir:

Há mais de 75 ingredientes conhecidos, na folha do Aloé Vera, divididos em 8 categorias distintas, para além de outras que o Dr. Peter Atherton suspeita haver.

A geleia de Aloé Vera é um dos mais potentes cocktails, mas analisando a sua folha, ele refere 4 estruturas básicas: Casca, Seiva, Mucilagem e Geleia interior. A Lignina é uma substância presente na geleia, sem propriedades específicas mas cuja presença, na preparação de aloé para aplicação tópica, ajuda a que o produto penetre na pele. As saponinas são glicosídios que se crê contenham cerca de 3% de gel de Aloé Vera. São sabões que contém propriedades anti-sépticas, capazes de limpar.

Minerais presentes no Aloe Vera:

Calcio - Tem um importante papel estrutural nos ossos e dentes, mas é essencial, também, nas estruturas celular e nervosa. O cálcio necessita dum equilíbrio de fósforo e magnesium para que actue eficazmente e necessita da vitamina D para a sua absorção.

Manganês - É um componente de muitas enzimas, necessário à activação de outras.

Sodio - É um mineral muito importante responsável por evitar que fluidos do corpo se tornem demasiado ácidos ou demasiado alcalinos. Está, ainda, envolvido na condução eléctrica nos músculos e nervos, facilitando, também, que células individuais absorvam nutrientes.

Potássio - Tal como o sódio , é um mineral muito importante, que actua no equilíbrio ácido-base do corpo, e na condução eléctrica dos nervos e dos músculos.

Cobre - É também um componente dum certo número de enzimas e facilita a acção do ferro, como fornecedor de oxigénio nas células vermelhas do sangue.

Magnesium - Está intimamente envolvido no metabolismo do cálcio durante a formação óssea e é, também, necessário às membranas dos nervos e dos músculos, afim de permitir-lhes dirigir os impulsos eléctricos.

Zinco - Está envolvido nas mais importantes vias metabólicas, contribuindo para o metabolismo de açúcares e gorduras. Estudos recentes apontam para a esquizofrenia como estando associada a uma deficiência em zinco. É também reconhecido como um factor importante na saúde masculina e função reprodutiva.

Crómio - É necessário ao funcionamento adequado da insulina a qual, por sua vez, controla os níveis de açúcar no sangue. É, portanto, vital para os diabéticos.

Ferro - É a parte "haem" (hem) da hemoglobima nas células vermelhas do sangue. Permite que o oxigénio seja transportado a todo o corpo, na forma de oxihemoglobina. A anemia provocada por deficiência de ferro é comum em pessoas que se alimentam mal ou nas senhoras que tenham excessiva menstruação.

Fim da 1.ª parte

Nota:
No segundo texto encontrarão a composição vitamínica e em que doenças pode actuar o Aloé Vera. Contudo, seria melhor que fosse usado na prevenção das mesmas, enquanto temos saúde. É isso que tenho feito, pessoalmente.

Extracto do post publicada por Maria Letra, no seu blog Alimentação e produtos naturais, com a sua anuência prévia.

O Chuchu (Sechium Edule)

Alguma informação sobre o valor deste vegetal/fruto:

O chuchu, também conhecido pela designação 'Sechium Edule', é um vegetal que pertence à categoria dos frutos. A sua origem é atribuída à América Central (Costa Rica e Panamá).

É de fácil digestão, rico em fibras e pobre em calorias, sendo aconselhável a pessoas que seguem um regime alimentar especial, para equilíbrio de peso.

Na Madeira é conhecido por pepinela ou pimpinela e, nos Açores, por machuco ou Caiota.

É uma fonte de potássio e Vitaminas A e C.

Quando for comprar este fruto, certifique-se de que está exposto em espaço refrigerado, afim de garantir a sua conservação, pois deteriora-se muito facilmente. Depois de colhidos, deverão ser mantidos à temperatura ambiente por um período não superior a 3/5 dias. Se soubermos, previamente, que não irá ser usado durante esse curto período, será aconselhável colocá-lo na parte inferior do frigorífico, não devendo, porém, exceder 6/8 dias, dentro do mesmo. Devem ficar no frigorífico envolvidos em saco apropriado, porque tende a queimar-se, dada a sua sensibilidade a baixas temperaturas.

Cuidados a ter: Não deveremos comer o chuchu cru. Trata-se dum vegetal duro e, quando cortado, deveremos fazê-lo debaixo de água corrente pois tem um líquido que se cola aos dedos.

Usa-se refogado e, depois, transformado em creme, na sopa, souflés, bolos ou saladas ou, ainda, cozido com feijão, com a casca, batatas e maçarocas de milho, como acompanhamento de outros pratos. Para a confecção de souflés, convém usar o chuchu bem maduro e com a parte de baixo a abrir, o que torna o souflé excelente. A sua aplicação neste prato é muito aconselhável, pela riqueza que este fruto tem em vitaminas B e C, sais minerais, cálcio, fósforo e ferro. A casca deve ser removida antes, ou depois, de ter sido cozido.Todavia, para refogados ou sopas, aconselha-se a escolha de frutos jovens, de casca brilhante e, neste caso, podem ser consumidos com a casca e com o miolo.

As folhas, a flor ou as raízes do chuchu devem ser aproveitadas. Depois de convenientemente lavado, nada deverá ser desperdiçado.

Maria Letra

Transcrição do blog Alimentos e produtos naturais, com prévia anuência da autora.

sábado, 10 de outubro de 2009

Soufflé de Chuchu

Receita para duas pessoas:

Ingredientes:

350 gr de chuchu feito em papa
2 gemas de ovo
2 claras de ovo em neve
100 gr de queijo ralado
1 colher de sopa de manteiga de vaca (pode ser substituída por manteiga de soja 'Alpro')
1 chávena de chá de leite (pode ser substituída por leite de soja 'Alpro')
1 colher de sopa de amido de milho
Uma pitada de pimenta branca (opcional)
1 colher de café de sal

Preparação:

Desfaça o chuchu, juntamente com os outros ingredientes (excepto as claras) num liquidificador e bata bem. Retire e coloque numa vasilha e envolva as claras, delicadamente, as quais deverá ter batido, previamente, até ficar em neve.

Unte uma forma, própria para souflé, com margarina e coloque nela a massa.

Leve ao forno quente até que, ao espetar um palito, este saia firme.

Receita extraída de: Cyber Cook, Autora: Maria Alexandra Silva
Publicada por Maria Letra no seu blog agora criado Alimentos e produtos naturais, o qual deve ser visitado por quem procura fazer uma alimentação saudável, à base de produtos naturais.

Gripe A. Alertas contra vacina

Através do correio electrónico, têm chegado variados alertas contra efeitos secundários graves da vacina contra o H1N1, todos referindo entidades bem informadas cientificamente, mas raramente identificam de forma bem credível tais entidades e a origem do texto. Agora trata-se de notícia do conceituado JN e, por isso não há dúvidas em publicar aqui.

Pregar contra a vacina do H1N1
A história de... Teresa Forcades, freira beneditina catalã, doutorada em medicina
JN. 091010. 00h30m. Fernando Basto

A religiosa investigou sobre a gripe A e ficou alarmada com a informação recolhida. Gravou um vídeo de 60 minutos, que corre o mundo no YouTube. "Digam não à vacina" é o seu grito de alerta.

Graças à gripe A e ao YouTube, a freira beneditina espanhola Teresa Forcades tornou-se rapidamente conhecida por todo o Mundo. Num vídeo com a duração de aproximadamente 60 minutos, a religiosa "prega" ao mundo contra a vacina da gripe A, alerta para os riscos que ela comporta e defende que ninguém deva ser obrigado a vacinar-se.

Que conhecimentos tem uma freira beneditina para iniciar uma espécie de cruzada contra a vacina do vírus H1N1? No vídeo, a freira catalã - autora dos livros "Os crimes das grandes companhias farmacêuticas" e "A teologia feminista" - começa por dar conta da sua formação académica, não vá haver dúvidas. É doutorada em Medicina pela Universidade de Barcelona. Estudou Teologia na Universidade norte-americana de Harvard e tomou ordens no mosteiro de Sant Benet, próximo de Montserrat, próximo de Barcelona.
(...) ( Para ler todo o artigo faça clique aqui)

NOTA: Posteriormente, foi-me enviado pela amiga e colega Ná, a quem agradeço a atenção, o vídeo referido no texto em que a freira Dr. Teresa Forcades fala deste problema . Eis

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Gripe A - Álcool gel

Todos nós já ouvimos e lemos inúmeras informações sobre a gripe A.
Também sabemos que a prevenção é importante meio de combate ao vírus.
Como tal, e devido ao facto deste produto ter triplicado o seu preço, deixo aqui a receita para a elaboração de álcool em gel muito útil pata desinfecção:

2 folhas de gelatina incolor e sem sabor (compra-se em qualquer supermercado)
1 copo de água quente para dissolver as 2 folhas de gelatina.
Deixe arrefecer.
Acrescente 12 copos de álcool de 96° graus.

Está pronto o álcool em gel de 72° a 75° graus.

Transcrito do blog Sempre Jovens, ondre foi publicado por Luís.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Debulho de Sável

Com a chegada da Primavera, dá-se a aparição do SÁVEL. Desde tempos remotos que o sável se pesca nas águas do Rio Minho.
Em Cerveira, os homens pescavam o sável e as mulheres encarregavam-se de o vender, indo muitas das vezes de porta em porta vendê-lo às postas. Como na maioria das vezes os compradores só queriam as postas maiores, elas ficavam com as partes mais fracas do sável que eram a cabeça, o rabo, as ovas e as postas pequenas. Assim surgiu o saboroso Debulho de Sável.

Debulho:Preparação

O sável deve ser bem escamado e limpo. Em seguida, corta-se a cabeça e o deguladouro (posta junta à cabeça). Tiram-se as ovas e aproveita-se todo o sangue possível, com a ajuda de vinho verde tinto e um pouquinho de vinagre, o qual irá servir para a calda.
Cortam-se também, o rabo e as postas mais pequenas.
Temperam-se estas partes com sal, salsa, louro, pimenta, e cobre-se com vinho verde tinto. Deixa-se marinar durante umas horas, tempo que se reserva para fazer o arroz.
As restantes postas são cortadas muito fininhas para que não se sintam as espinhas após a fritura, preferencialmete feita em banha.
Num tacho, pica-se uma cebola grande e deita-se um pouco de azeite, vai ao lume e logo que a cebola esteja estalada, deita-se o debulho e a respectiva calda.
Cozido o peixe, retira-se para um recipiente ao lado ao qual se tiram todas as espinhas (tarefa árdua, mas essencial). À calda inicial, junta-se a água necessária para cozer o arroz. Assim que esteja cozido, junta-se o debulho e rectificam-se os temperos.

Servir malandrinho.
Acompanha-se com as postinhas do sável frito.

A gastronomia minhota é riquíssima e, se tem dúvidas, veja em Gastronomia outras receitas, e também mais aqui ou ainda aqui.
Se procura um restaurante de eleição leia este meu texto
Panorama Melgaço.

Fernanda Ferreira

Será publicada dia 20 na Aldeia da Minha Vida a concurso, por Fernanda Ferreira em representação do Sempre Jovens.

Leite Creme queimado

Aqui segue a sobremesa, esta um pouco rica, devido à quantidade de ovos usada, contudo podem usar apenas dois ou três, eu pessoalmente uso sempre só meia dúzia.

Ingredientes:

• 1 litro de leite
• Casca de 1 limão
• 1 pau de canela
• 250 gr de açúcar
• 12 gemas de ovo
• 50 gr de farinha
• Açúcar q.b. (para queimar)

Preparação:

Coloque um recipiente com 9 dl de leite, a casca de limão e o pau de canela ao lume e deixe ferver. Misture o restante leite, o açúcar, as gemas e a farinha, até obter um preparado homogéneo. Adicione, em fio, o leite a ferver e envolva com umas varas. Leve ao lume brando durante 2 minutos antes de levantar fervura para não talhar. Emprate o leite-creme em travessa ou em prato individual e deixe arrefecer. Polvilhe com o açúcar e queime com ferro bem quente, deixe arrefecer e sirva.

Bom apetite!
Fernanda Ferreira

Rojões à moda do Minho

Ingredientes (para 4 pessoas):

800 g de perna de porco sem pele, mas com gordura ;
3,5 dl de vinho verde branco ;
3 colheres de sopa de banha ;
4 dentes de alho ;
2 folhas de louro ;
1 colher de sobremesa de colorau ;
sal e pimenta ;
350 g de belouras ou bolachos;
350 g de tripa enfarinhada ;
100 g de fígado de porco ;
100 g sangue cozido

Confecção:

Corta-se a carne de porco em cubos com cerca de 10 cm de lado, que se põem a marinar durante duas horas com o vinho, os dentes de alho esmagados, sal, pimenta e o louro.
Leva-se ao lume (de preferência num tacho de ferro) e deixa-se cozer em lume forte até o vinho se evaporar. Junta-se então a banha e, em lume brando, deixam-se cozer os rojões até alourarem bem. Nessa altura junta-se ao molho o colorau dissolvido num pouco de vinho verde.
Retira-se então um pouco da gordura de cozer os rojões para um sertã e fritam-se, a pouco e pouco, a tripa enfarinhada (ver a seguir) cortada aos bocados de 3 cm a 5 cm, as belouras cortadas em rodelas com 0,5 cm de espessura e o fígado e o sangue cortados em fatias.
À medida que estes ingredientes se vão fritando, juntam-se aos rojões, para manter tudo quente.
Servem-se numa travessa com batatinhas louras e enfeitados com rodelas de limão e raminhos de salsa.

Tripa Enfarinhada

Lavam-se muito bem as tripas frescas e, em seguida, põem-se de molho, de um dia para o outro, em água com rodelas de limão. Deve-se mudar a água várias vezes.
Em seguida enxugam-se, viram-se do avesso e passam-se por farinha de milho temperada com pimenta e cominhos. Ata-se uma das extremidades e voltam-se para dentro. Mergulham-se em água a ferver para uma cozedura rápida. Depois de cozidas, fritam-se em banha e cortam-se do tamanho que se quiser.
*Experimente um bom verde tinto para acompanhar!!!
Bom apetite!

Fernanda Ferreira

Lampreia à Bordalesa


Receita da região Minho (para 4 pessoas):

Ingredientes:

1 lampreia
2 cebolas
1 dente de alho
2 dl de azeite
1 ramo de salsa
10 grãos de pimenta
400 g de pão cortado em fatias e torrado
sal

Preparação:

Arranja-se a lampreia como habitualmente e corta-se em bocados. À parte faz-se um refogado pouco puxado com as cebolas cortadas às rodelas picadas, o dente de alho picado e o azeite. Introduzem-se os bocados de lampreia neste refogado, junta-se a salsa, a pimenta em grão e sal e deixa-se estufar.
Quando pronta, dispõe-se a lampreia numa travessa cujo fundo foi coberto com o pão torrado.Rega-se com o molho e acompanha com arroz de manteiga.

Bom apetite!!!!

Fernanda Ferreira

Cozido à portuguesa à Soajeiro - Minho


Este é um prato tradicional composto por carnes de vaca, de porco e de galinha, produtos do fumeiro, couves, batata e, eventualmente, outros legumes como o nabo e a cenoura. O cozido à Soajeiro tem a particularidade de incluir o feijão.

O cozido constitui um dos pratos mais antigos confeccionado pelos homens desde a domesticação do fogo. De facto, o modo de preparação e de confecção do cozido mantêm-se inalterados desde tempos imemoráveis: uma panela com agua sobre o lume, onde cozem lentamente os diversos produtos de cada zona.

O cozido combina em si próprio todos os elementos fundamentais da vida: o fogo, a água, a terra (através dos ingredientes) e o tempo (lento da cozedura).
Simboliza ainda a casa, pois representa a unidade em torno da qual tudo se organiza: o fogo ou lume, centro da casa, centro do mundo.
A panela de ferro de três pés onde é tradicionalmente confeccionado participa dessa representação da casa, pois é utensílio fundamental de todos os lares, ricos ou pobres.

Prato completo e equilibrado, combinando carnes e legumes ao longo duma cozedura lenta que mantém todos os nutrientes.
O Cozido simboliza o alimento único e total, constituindo-se quase com um mito. O cozido simboliza ainda a economia doméstica, pois uma boa dona de casa é a que sabe gerir a despensa de modo a assegurar a alimentação da família ao longo de todo o ano.
Cozendo quase sem vigilância, este prato, na sua versão mais pobre, tinha o seu lugar no quotidiano das populações camponesas. A versão actual, mais rica em carnes, corresponde ao cozido das festas, onde a carne marcava a abundância dos dias excepcionais. Constituindo um prato único, pode, no entanto, repartir-se em três: sopa, os legumes e as carnes e o caldo de cozedura utilizado para outras preparações culinárias, como a Sopa Seca.

Como Fazer:

Sendo o cozido um prato nacional, a sua particularidade local decorre das características próprias dos produtos utilizados, designadamente a especificidade das couves, das carnes e dos enchidos.
O cozido é confeccionado, para além dos produtos comuns como as couves tronchudas, as batatas, as carnes de porco entremeada e da costela, presunto, orelheira, vaca e galinha, com os enchidos próprios do fumeiro local, especialmente, as chouriças de sangue, as de massa, o chouriço de carne e por vezes o de abóbora, da Gavieira. No cozido à Soajeiro, ou seja, como se faz no Soajo, acrescenta-se feijão cozido na água da cozedura das carnes. Este feijão é depois servido à parte e acompanhado com arroz seco.

Período do ano:

O Cozido é sobretudo confeccionado nos meses mais frio, entre o Outono e a Páscoa. Tradicionalmente reservado às festas, o Cozido é hoje um dos pratos mais consumidos pelas famílias aos domingos. Tem o seu lugar obrigatório nos casamentos, no Carnaval e noutras festas da região e constitui uma especialidade bem Portuguesa.

Bom apetite!!!

Fernanda Ferreira

Cabrito assado à Serra de Agra


Introdução

Cerca de 4 500 hectares da Serra d’ Arga fazem parte da Rede Europeia Natura 2000.
Esta Serra encontra-se em território de quatro concelhos: Caminha, Ponte de Lima, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira.
Contudo, o concelho de Caminha é aquele que possui em melhor estado de conservação, quer o património natural quer o seu património humano (cultural, etnográfico, histórico e arquitectónico), encontrando-se muito bem representado pelas aldeias pastoris conhecidas pelas “Argas”: Arga de S. João (onde está o mosteiro de S. João d’ Arga), Arga de Baixo e Arga de Cima.

Estas três freguesias caminhenses possuem no seu conjunto cerca de 175 habitantes, com idades em média compreendidas entre os 50 e os 65 anos, possuindo apenas 5 alunos na Escola Primária. Isto num concelho bem desenvolvido a nível do turismo, dos serviços e da indústria, para além das “Argas” apenas localizarem-se a pouco mais de 10 km da sede do concelho. Este despovoamento acelerado das “Argas” , bem como o envelhecimento da sua população, sem regeneração juvenil é característico de todas as comunidades rurais de montanha que se encontram espalhadas por todo o país, essencialmente na região Norte.

Receita

Ingredientes (para 8 Pessoas):

1 Cabrito da Serra d’ Arga de 4 a 5 Kg.
Alho
Salsa e cebola
Pimenta Branca
Pimentão
Vinho Branco e Vinagre
Sal Grosso

Para o Arroz de Carqueija
1 Kg de Arroz
1 galinha do campo
presunto da Montaria q.b.
rebentos de carqueija q.b.
1 cebola
1 ramo de salsa.

Modo de preparação:

Depois do Cabrito bem amanhado é cortado em pedaços e colocado numa boa vinha de alhos durante 24 horas.

No dia seguinte prepara-se uma assadeira de barro em que se coloca previamente uma base de cebola , pequenas rodelas de cenoura e salsa.

Depois de tudo pronto rega-se com um bom vinho verde branco e vai ao forno durante 40minutos.
Vai-se voltando as peças de carne e regando com a vinha de alhos.

Mais ao menos a meio tempo colocam-se as batatas que ficam a assar até ao fim.

Para o Arroz de Carqueja

Prepara-se um caldo que é produto da cozedura de uma galinha do campo e um pedaço de presunto da Montaria.
Para 1 quilo de arroz são necessários mais ou menos 2 litros de caldo. Põe-se no caldo uma boa manada de rebentos de carqueja bem lavados,uma cebola e um ramo de salsa.

Bom apetite!!!
Geralmente a sobremesa consta de Bolo de Mel.