Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Conselhos para ter boa saúde

Vinte e um (21) conselhos das Universidades de Medicina:
Harvard e Cambridge publicaram recentemente um compêndio com 20 Conselhos saudáveis para melhorar a qualidade de vida de forma prática e habitual :

01- Um copo de suco de laranja
diariamente para aumentar o ferro e repor a vitamina C.

02- Salpicar canela no café
(mantém baixo o colesterol e estáveis os níveis de aúcar no sangue).

03- Trocar o pãozinho tradicional pelo pão integral
O pão integral tem 4 vezes mais fibra, 3 vezes mais zinco e quase 2 vezes mais ferro que tem o pão branco.

04- Mastigar os vegetais por mais tempo.
Isto aumenta a quantidade de químicos anticancerígenos liberados no corpo. Mastigar libera sinigrina. E quanto menos se cozinham os vegetais, melhor efeito preventivo têm.

05- Adotar a regra dos 80%:
servir-se menos 20% da comida que costuma comer, evita transtornos gastrintestinais, prolonga a vida e reduz o risco de diabetes e ataques de coração.

06- LARANJA o futuro está na laranja, que reduz em 30% o risco de câncer de pulmão.

07- Fazer refeições coloridas como o arco-íris.
Comer DIARIAMENTE, uma variedade de vermelho, laranja, amarelo, verde, roxo e branco em frutas e vegetais, cria uma melhor mistura de antioxidantes, vitaminas e minerais.

08- Comer pizza, macarronada ou qualquer outra coisa com molho de tomate.
Mas escolha as pizzas de massa fininha. O Licopeno, um antioxidante dos tomates pode inibir e ainda reverter o crescimento dos tumores; e ademais é melhor absorvido pelo corpo quando os tomates estão em molhos para massas ou para pizza .

09- Limpar sua escova de dentes e trocá-la regularmente.
As escovas podem espalhar gripes e resfriados e outros germes. Assim, é recomendado lavá-las com água quente pelo menos quatro vezes à semana (aproveite o banho no chuveiro), sobretudo após doenças, quando devem ser mantidas separadas de outras escovas.

10- Realizar atividades que estimulem a mente e fortaleçam sua memória...
Faça alguns testes ou quebra-cabeças, palavras-cruzadas, aprenda um idioma, alguma habilidade nova... Leia um livro e memorize parágrafos; escreva, estude, aprenda. Sua mente agradece e seus amigos também, pois é interessante conversar com alguém que tem assunto.

11- Usar fio dental e não mastigar chicletes.
Acreditem ou não, uma pesquisa deu como resultado que as pessoas que mastigam chicletes têm mais possibilidade de sofrer de arteriosclerose, pois tem os vasos sanguíneos mais estreitos, o que pode preceder a um ataque do coração. Usar fio dental pode acrescentar seis anos a sua idade biológica porque remove as bactérias que atacam aos dentes e o corpo.

12- Rir.
Uma boa gargalhada é um 'mini-workout', um pequeno exercício físico: 100 a 200 gargalhadas equivalem a 10 minutos de corrida.
Baixa o estresse e acorda células naturais de defesa e os anticorpos.

13- Não descascar com antecipação.
Os vegetais ou frutas, sempre frescos, devem ser cortados e descascados na hora em que forem consumidos. Isso aumenta os níveis de nutrientes contra o câncer. Sucos de fruta têm que ser tomados assim que são preparados.

14- Ligar para seus parentes/pais de vez em quando.
Um estudo da Faculdade de Medicina de Harvard concluiu que 91% das pessoas que não mantém um laço afetivo com seus entes queridos, particularmente com a mãe, desenvolvem alta pressão, alcoolismo ou doenças cardíacas em idade temporã .

15- Desfrutar de uma xícara de chá.
O chá comum contém menos níveis de antioxidantes que o chá verde, e beber só uma xícara diária desta infusão diminui o risco de doenças coronárias. Cientistas israelenses também concluíram que beber chá aumenta a sobrevida depois de ataques ao coração.

16- Ter um animal de estimação.
As pessoas que não têm animais domésticos sofrem mais de estresse e visitam o médico regularmente, dizem os cientistas da Cambridge University. Os mascotes fazem você sentir-se otimista, relaxado e isso baixa a pressão do sangue.
Os cães são os melhores, mas até um peixinho dourado pode causar um bom resultado.

17- Colocar tomate ou verdura frescas no sanduíche.
Uma porção de tomate por dia baixa o risco de doença coronária em 30%, segundo cientistas da Harvard Medical School; vantagens outras são conseguidas atráves de verduras frescas.

18- Reorganizar a geladeira.
As verduras em qualquer lugar de sua geladeira perdem substâncias nutritivas, porque a luz artificial do equipamento destrói os flavonóides que combatem o câncer que todo vegetal tem. Por isso, é melhor usar á área reservada a ela, aquela caixa bem embaixo ou guardar em um tape ware escuro e bem fechado.

19- Comer como um passarinho.
A semente de girassol e as sementes de sésamo nas saladas e cereais são nutrientes e antioxidantes. E comer nozes entre as refeições reduz o risco de diabetes.

20- Uma banana por dia quase dispensa o médico, vejamos: " Pesquisa da Universidade de Bekeley".
A banana previne a anemia, a tensão arterial alta, melhora a capacidade mental, cura ressacas, alivia azia, acalma o sistema nervoso, alivia TPM, reduz risco de infarto, e tantas outras coisas mais, então, é ou não é um remédio natural contra várias doenças?

21- e, por último, um mix de pequenas dicas para alongar a vida:
-comer chocolate.
Duas barras por semana estendem um ano a vida. O amargo é fonte de ferro, magnésio e potássio..

- pensar positivamente.
Pessoas otimistas podem viver até 12 anos mais que os pessimistas, que, além disso, pegam gripes e resfriados mais facilmente, são menos queridos e mais amargos.

- ser sociável.
Pessoas com fortes laços sociais ou redes de amigos têm vidas mais saudáveis que as pessoas solitárias ou que só têm contato com a família.

- conhecer a si mesmo.
Os verdadeiros crentes e aqueles que priorizam o 'ser' sobre o 'ter' têm 35% de probabilidade de viver mais tempo, e de ter qualidade de vida...


Não parece tão sacrificante, não é verdade? Uma vez incorporados, os conselhos, facilmente tornam-se hábitos...
É exatamente o que diz uma certa frase de Sêneca:

'Escolha a melhor forma de viver e o costume a tornará agradável'!
"Crie bons hábitos e torne-se escravo deles, como costumamos ser dos maus hábitos".

Recebido por e-mail
Imagem da Net

Doce de Leite com pequi

Doce cremoso de Pequi


Ingredientes:

- 1 litro de caroços de pequi
- 2 litros de leite fervido
- Meio quilo de açúcar
- Canela em pau
- 1 pitada de sal

Modo de preparar:

- Lavar bem os caroços e cozinhá-los.
- Retirar do fogo e deixar escorrer em peneira.
- Retirar a polpa com faca ou colher.
- Bater no liquidificador com parte do leite.
- Em uma panela junte o restante do leite, o açucar, a canela e uma pitada de sal, colocar a canela e levar ao fogo até apurar o doce.
- Se necessário, acrescentar mais leite.

É uma delícia!

postado por celle no blog ornamental

Licor de pequi


Os licores podem ser os tintos (amarelado) e os alvos (branco transparente), o primeiro produzido com a pólpa amarelada, e o segundo pela infusão (maceração) em longo período de castanhas brancas. Ambos são elaborados pela imersão em álcool de cereais (ou aguardente de boa procedência), por longo período.


Ingredientes:
-1 litro (20) pequis
-1 Garrafa de boa cachaça ou alcool de cereais
-1kg açúcar
-Água

Modo de Preparo:
Colocar as sementes do pequi, descascadas limpas e maduras, junto com a aguardente de boa qualidade, num recipiente grande, um pote de boca larga,por 30 a 40 dias, até que a cachaça ou alcool de cereais fique da cor dos pequis. Feche bem o recipiente e mantenha em lugar arejado e com luz. Após este período, colocar os pequis que estiveram no pote, a cozinhar na água por uns 30 minutos. Retire- os e coloque o açucar, faça a calda, apure bem o ponto, deixe a calda esfriar e acrescente a aguardente ou alcool anteriormente, preparado e ja com o sabor do pequi. Misture bem, coloque numa linda garrafa e guarde na geladeira.
Servir geladinho aos seus convidados, eles vão gostar!
Sirva acompanhado de comidas leve pois é uma bebida afrodisíaca.
Não abra em momento algum o recipiente durante aquarentena

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Resistência a antibióticos

Transcrição de notícia:

Jornal de Notícias. 14-09-2010. Por Eduarda Ferreira

A falta de novos antibióticos, por desinteresse das farmacêuticas, pode levar ao descontrolo do já expressivo número de casos de multi-resistência microbiana.

Especialistas reunidos em Boston afirmam que tal pode conduzir a uma crise sanitária mundial.

As sociedades podem vir a confrontar-se com um panorama idêntico ao das primeiras décadas do século passado, quando ainda não era usada a penicilina para combater infecções.

Este alerta foi lançado por infecciologistas reunidos numa conferência internacional, em Boston, EUA. Para a austríaca Ursula Theuretzbacher, os “graves problemas de resistência estão a tornar-se uma crise sanitária mundial”.

Adianta a agência France Press que este é um fenómeno observado tanto nos países ricos como nos que estão em desenvolvimento. No entender de participantes neste congresso sobre doenças infecciosas, a “indústria farmacêutica não está a responder às necessidades da medicina” neste campo, preferindo investir nos fármacos para doenças cancerígenas e cardiovasculares, por serem mais rendíveis.

Portugal está entre os países europeus com consumo elevado de antibióticos, numa situação idêntica à da Grécia, França e Espanha. Nos anos mais recentes deu-se uma travagem nessa espiral de recurso indiscriminado a este tipo de fármacos, muitas vezes por pressão do doente junto de médicos e farmacêuticos, quando também ainda não havia noção do problema grave de resistência que estava a ser criado.

Segundo Raquel Sá Leão, investigadora do Instituto de Tecnologia Química e Biológica (ITQB) “em Portugal há resistência a antibióticos, mas ainda não é extremamente preocupante”.

Atenção maior deve ser dada às crianças, “pois elas estão mais frequentemente doentes que um adulto, com as otites e amigdalites, que levam ao consumo de antibióticos”. Mas, adianta, houve evolução nos últimos tempos e “os pais e os clínicos, particularmente os pediatras, já estão alerta e mais bem informados sobre o problema”.

Esta bióloga, que desenvolve trabalho no Laboratório de Genética Molecular dirigido pela especialista de crédito internacional em resistência aos antibióticos, Hermínia Lencastre, explicou ao JN que as várias classes (ou famílias) destes fármacos foram desenhadas para atingir diferentes zonas das bactérias (a membrana destas ou o seu DNA, por exemplo). Repetidos ataques a esses alvos criam as resistências. Por isso, a pesquisa científica está dirigida para a procura de novos alvos.

De acordo ainda com Raquel Sá Leão, “há descrições de casos de infecção por staphylococcus em que aos médicos já só resta usar um fármaco muito tóxico”.

“Se isso se expandir, a situação pode ir para níveis alarmantes”, refere a mesma investigadora. Ela constata também que a indústria farmacêutica não tem investido muito nesta linha de pesquisa; a que vai sendo feita está no domínio dos centros universitários e unidades congéneres.

Imagem da Net

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Sopa de Camarão



Ingredientes:

1 kg de camarão médio
2 cebolas médias
3 hastes de salsa
1 colher cheia de azeite
1 chávena de vinho branco
4 colheres (sopa) de vinho do Porto
60 g de farinha de trigo torrada pimenta
2 colheres de manteiga
sal
cubinhos de pão torrado ou frito

Preparação:

Coza os camarões em água temperada com sal, durante 5 minutos e descasque-os.
Leve o caldo ao lume e junte-lhe as cascas e as cabeças dos camarões. Deixe ferver lentamente durante meia hora. Pise as cabeças dentro do tacho. Coe o caldo.
Pique as cebolas e a salsa e refogue ligeiramente com o azeite.
Quando começar a alourar, polvilhe com a farinha torrada e refogue um pouco mais. Regue com o caldo que reservou e com o vinho branco e o vinho do Porto. Verifique o sal e tempere com pimenta.
Apure bem e um pouco antes de retirar do lume, acrescente a manteiga e os camarões limpos. Sirva muito quente com pão torrado ou frito.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Molécula humana é analgésico

Transcrição:

Público. 07.09.2010. Por Nicolau Ferreira

Substância é produzida na saliva.

Chama-se opiorfina, foi descoberta em 2006, é produzida na saliva humana e uma equipa francesa concluiu que tem um forte poder analgésico e anti-depressivo, comparável com o ópio, mas com muito menos efeitos secundários.

“A opiorfina não se liga directamente aos receptores opiáceos [onde se ligam substâncias como o ópio ou a morfina, que aliviam a dor mas causam dependência], mas age indirectamente”, explicou por e-mail ao PÚBLICO Catherine Rougeot, investigadora do Instituto Pasteur, em Paris, e autora de dois artigos publicados em Julho e Agosto na revistaJournal of Physiology and Pharmacology.

Segundo a investigadora, esta molécula consegue prolongar o efeito de endorfinas – moléculas do prazer produzidas pelo nosso corpo – porque inibe as moléculas que inactivam estas substâncias. Como as “moléculas do prazer” são utilizadas só por certos tecidos, às vezes por motivos associados ao stress ou à dor, a opiorfina não terá um efeito exagerado nem global. Diminuindo a possibilidade de dependência.

A descoberta da molécula humana não foi o primeiro passo da investigação. “Há alguns anos, em 2003, identifiquei a sialorfina nos ratinhos. A sialorfina é segregada na saliva e no sangue de ratinhos conscientes que estão sob condições de stress, provavelmente para intervir em respostas adaptativas a mudanças ambientais”, disse Rougeot. Seguidamente foi à procura de um análogo humano, foi aí que encontrou a opiorfina. Neste momento a equipa da investigadora está a tentar compreender as condições em que se produz esta substância.

Além das funções de analgésicos, a molécula também é um bom anti-depressivo, e pode vir a ser utilizada para combater a dor que acompanha a depressão.

Depois de se compreender o funcionamento da molécula, é necessário produzir a versão sintética equivalente, arranjar uma companhia farmacêutica disposta a testá-la em dois outros mamíferos para verificar se existem efeitos indesejáveis. Depois, terá que passar pelos testes humanos. A droga poderá estar no mercado “entre cinco e dez anos”, esclarece a investigadora.

Imagem da Net