Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

domingo, 28 de abril de 2013

Cegueira de movimento






A informação a seguir é especialmente dirigida aos motoristas, mas também interessa aos PEDESTRES. No meio do artigo há um link em que se pode fazer interessante a experiência da cegueira de movimento.

CEGUEIRA DE MOVIMENTO

Nas batidas em que um carro que seguia rapidamente atinge um mais lento saindo de uma via transversal, os motoristas dos carros rápidos geralmente afirmam não terem visto o veículo vindo da direita ou da esquerda. Eles não estão mentindo, apenas não viram realmente o outro
veículo, mesmo à plena luz do dia. O fenômeno que diz respeito aos motoristas do carro rápido é chamado de ? Cegueira de Movimento?  É incrível mas é verdade e preocupante.

Os pilotos militares recebem instrução sobre cegueira de movimento durante seu treinamento porque ela ocorre em velocidades mais altas e, até certo ponto, isto é aplicável a motoristas também, especialmente aqueles de carros mais velozes. Desse modo, se você dirige, leia o que
segue com atenção.

Os pilotos são instruídos a alternar o olhar entre varrer o horizonte e o painel de instrumentos quando em voo e nunca fixá-lo mais que alguns segundos num único objeto.

Eles são ensinados a manter a cabeça como se ela estivesse montada numa rótula e a movimentar os olhos continuamente. Isso porque quando se está em movimento, fixar o olhar num objeto por algum tempo faz a visão periférica sumir. Essa é a razão desse fenômeno ser chamado de cegueira de movimento. Para os pilotos de caça essa é a única maneira de sobreviver no ar, não apenas durante um combate aéreo, mas também sob as ameaças de tempos de paz como as colisões no ar.

Veja uma pequena demonstração da cegueira de movimento. É a mesma que é usada para pilotos em treinamento na salas de aula antes mesmo que cheguem perto de um avião. Clique no atalho abaixo. Vê-se um conjunto de cruzes azuis sobre um fundo preto. Há um ponto verde piscante no centro e três pontos amarelos fixos à volta dele.

Se fixarmos o olhar no ponto verde mais que alguns segundos, os pontos amarelos desaparecerão  aleatoriamente, isolados ou em pares, ou os três de uma vez. Na verdade, os pontos amarelos estão sempre lá.
Observe os pontos amarelos por algum tempo para certeza de que não foram parar em algum lugar.


http://www.msf-usa.org/motion.html

Assim, se estivermos dirigindo em alta velocidade numa rodovia e se fixarmos o olhar na estrada à frente, não veremos um carro, um scooter, um bugre, uma bicicleta, uma vaca ou mesmo um ser humano vindo de um lado.

Agora invertamos a cena. Se estivermos atravessando a estrada a pé e um carro rápido vier se aproximando, há 90% de chance que o motorista não esteja nos vendo, pois a visão periférica dele pode estar zerada.
E poderemos estar naquela zona cega


segunda-feira, 15 de abril de 2013

DIA MUNDIAL DOS ALIMENTOS

"A causa primária e a prevenção do câncer" - Otto Heinrich Warburg





Veja esse vídeo você VAI SABER PORQUÊ:
http://www.youtube.com/watch_popup?v=g9zfKqr01YQ&vq=medium
Segundo este cientista, o câncer é a consequência de uma alimentação antifisiológica e um estilo de vida antifisiológico. Porque uma alimentação antifisiológica - dieta baseada em alimentos acidificantes + sedentarismo, cria em nosso organismo um ambiente de ACIDEZ.
 A ACIDEZ por sua vez, EXPULSA o OXIGÊNIO das células! Ele afirmou: "A falta de oxigênio e a acidez são as duas caras de uma mesma moeda: quando você tem um, você tem o outro." Ou seja, se você tem excesso de acidez, então automáticamente falta oxigênio em seu organismo! Outra afirmação interessante: "As substâncias ácidas repelem o oxigênio; em oposto, as substâncias alcalinas atraem o oxigênio."
E ele afirmava que: "Privar uma célula de 35% de seu oxigênio durante 48 horas, pode convertê-la em cancerígena."
Ainda segundo Warburg:
"Todas as células normais tem como requisito absoluto o oxigênio, porém as células cancerosas podem viver sem oxigênio - uma regra sem exceção. Células normais não podem viver sem oxigênio. Vivem em um ambiente alcalino e oxigenado. Os tecidos cancerosos são ácidos, os tecidos saudáveis são  alcalinos.
Em sua obra "O metabolismo dos tumores", Warburg demonstrou que todas as formas de câncer se caracterizam por duas condições básicas: a acidose (acidez do sangue) e a hipóxia (falta de oxigênio). Também descobriu que as células cancerosas são anaeróbias (não respiram oxigênio) e NÃO PODEM sobreviver na presença de altos níveis de oxigênio; em troca, sobrevivem graças a GLICOSE, sempre que o ambiente está livre de oxigênio... Portanto, o câncer não seria nada mais que um mecanismo de defesa que tem certas células do organismo para continuar com vida em um ambiente ácido e carente de oxigênio.
 Resumindo:
Células sadias vivem em um ambiente alcalino e oxigenado, o qual permite seu normal funcionamento, células cancerosas vivem em um ambiente extremamente ácido e carente de oxigênio:
IMPORTANTE:
Uma vez finalizado o processo da digestão, os alimentos de acordo com a qualidade de proteína, hidrato de carbono, gordura, minerais e vitaminas que fornecem, gerarão uma condição de acidez ou alcalinidade no organismo. Ou seja, depende unicamente do que você come! O resultado acidificante ou alcalinizante se mede através de uma escala chamada PH, cujos valores se encontram em um nível de 0 a 14, sendo PH 7, um PH neutro. É importante saber como os alimentos ácidos e alcalinos afetam a saúde, já que para que as células funcionem de forma correta e adequada, seu pH deve ser ligeiramente alcalino. Em uma pessoa saudável, o pH do sangue se encontra entre 7,40e 7,45. Leve em conta que se o pH sanguíneo caísse abaixo de 7, entraríamos em estado de coma, próximo a morte.
 Alimentos que acidificam o organismo:
- Açúcar refinado e todos os seus subprodutos - o pior de tudo: não tem proteínas, nem gorduras,   nem minerais, nem vitaminas, só hidrato de carbono refinado, que pressiona o pâncreas.  Seu PH é 2.1, ou seja, altamente acidificante
- Carnes – todas
- Leite de vaca e todos os seus derivados - queijos, requeijão, iogurtes, etc.
- Sal refinado
- Farinha refinada e todos os seus derivados - massas, bolos, biscoitos, etc.
- Produto de padaria - a maioria contém gordura saturada, margarina, sal, açúcar e conservantes
- Margarinas
- Refrigerantes
- Cafeína - café, chás pretos, chocolate
-  Álcool
- Tabaco
- Remédios, antibióticos
- Qualquer alimento cozido - o cozimento elimina o oxigênio e o transforma em ácido - inclusive as verduras cozidas.
- Tudo que contenha conservantes, corantes, aromatizantes, estabilizantes, etc.
 Enfim: todos os alimentos enlatados e industrializados.
Constantemente o sangue se encontra autorregulando-se para não cair em acidez metabólica, desta forma garantindo o bom funcionamento celular, otimizando o metabolismo.
O organismo DEVERIA obter dos alimentos, as bases (minerais) para neutralizar a acidez do sangue na metabolização, porém todos os alimentos já citados contribuem muito pouco, e em contrapartida, desmineralizam o organismo (sobretudo os refinados). Há que se levar em conta que no estilo de vida moderno, estes alimentos são consumidos pelo menos 3 vezes por dia, os 365 dias do ano! Curiosamente, todos estes alimentos citados, são ANTIFISIOLÓGICOS!
Alimentos Alcalinizantes:
- Todas as verduras cruas (algumas são ácidas ao paladar, porém dentro do organismo tem reação alcalinizante, outras são levemente acidificantes, porém trazem consigo as bases necessárias para seu correto equilíbrio); cruas produzem oxigênio, cozidas não.
- Frutas, igualmente as verduras. Por exemplo: o limão tem um pH aproximado de 2.2, porém dentro do organismo tem um efeito altamente alcalinizante (quem sabe o mais poderoso de todos). Não se deixe enganar pelo seu gosto ácido, ok? As frutas produzem quantidades saudáveis de oxigênio!
- Sementes: além de todos os seus benefícios, são altamente alcalinizantes, como por exemplo as amêndoas.
- Cereais integrais: O único cereal integral alcalinizante é o milho, todos os demais são ligeiramente acidificantes, porém muito saudáveis!... Lembre-se que nossa alimentação ideal necessita de uma percentagem de acidez (saudável). Todos os cereais devem ser consumidos cozidos.
- O mel é altamente alcalinizante.
- A clorofila das plantas (de qualquer planta) é altamente alcalinizante (sobretudo a aloe vera, mais conhecida como babosa).
- Á água é importantíssima para a produção de oxigênio.  "A desidratação crônica é o estressante principal do Corpo e a raiz da maior parte de todas as enfermidades degenerativas", afirma o Dr. Feydoon Batmanghelidj.
O exercício oxigena todo teu organismo, o sedentarismo o desgasta.
O Doutor George w. Crile, de Cleverand, um dos cirurgiões mais importantes do mundo declara abertamente: “Todas as mortes mal chamadas "naturais", não são mais que o ponto terminal de uma saturação de ácidos no organismo.”
Como dito anteriormente, é totalmente impossível que um câncer prolifere em uma pessoa que libera seu corpo da acidez, nutrindo-se com alimentos que produzam reações metabólicas alcalinas e aumentando o consumo de água pura; e que por sua vez, evita os alimentos que produzem acidez, e se abstém de elementos tóxicos.
Em geral o câncer não se contrai nem se herda… o que se herda são os costumes alimentícios, ambientais e o estilo de vida. Isto sim é que produz o câncer.
 Mencken escreveu: A luta da vida é contra a retenção de ácido”.
O envelhecimento, a falta de energia, o stress, as dores de cabeça, enfermidades do coração, alergias, eczemas, urticária, asma, cálculos renais e arterioscleroses entre outros, não são nada mais que a acumulação de ácidos."
O Dr. Theodore A. Baroody disse em seu livro “Alkalize or Die” (Alcalinizar ou Morrer): "Na realidade não importa o sem-número de nomes de enfermidades. O que importa sim é que todas elas provêm da mesma causa básica: muito lixo ácido no corpo!”
 O Dr. Robert O. Young disse: "O excesso de acidificação no organismo é a causa de todas as enfermidades degenerativas. Quando se rompe o equilíbrio e o organismo começa a produzir e armazenar mais acidez e lixo tóxico do que pode eliminar, então se manifestam diversas doenças."
E a Quimioterapia?
Não vou entrar em detalhes, somente me limito a enfatizar o óbvio: a quimioterapia acidifica o organismo a tal extremo, que este recorre às reservas alcalinas do corpo de forma imediata para neutralizar tanta acidez, sacrificando assim bases minerais (Cálcio, Magnésio, Potássio) depositadas nos ossos, dentes, articulações, unhas e cabelos. É por esse motivo que se observa semelhante degradação nas pessoas que recebem este tratamento, e entre tantas outras coisas, se lhes cai a grande velocidade o cabelo. Para o organismo não significa nada ficar sem cabelo, porém um pH ácido significaria a morte.
Eis a resposta do começo do e-mail:
É necessário dizer que isto não é divulgado porque a indústria do câncer (leia-se indústria alimentícia + indústria farmacêutica) e a quimioterapia são alguns dos negócios mais multimilionários que existem hoje em dia? É necessário dizer que a indústria farmacêutica e a indústria alimentícia são uma só entidade?
Nota: Você se dá conta do que significa isto? Quanto mais gente doente, mais a indústria farmacêutica no mundo vai lucrar! E para fabricar tanta gente doente, é necessário muito alimento lixo, como a indústria alimentícia tem produzido hoje no mundo, ou seja, um produz pra dar lucro ao outro e vice-versa, é uma corrente. Esta é uma equação bem fácil de entender, não é?
Quantos de nós temos escutado a notícia de alguém que tem câncer e sempre alguém diz:
"É... poderia acontecer com qualquer um..." Com qualquer um? Agora que você já sabe, o que você vai fazer a respeito? A ignorância justifica, o saber condena. "Que teu alimento seja teu remédio, que teu remédio seja teu alimento."  Hipócrates
 Fontes:

domingo, 14 de abril de 2013

O MAR É FONTE DE ALIMENTOS



Na opinião de um chef de cozinha, o oceano tem uma importância imensa. Pode ser uma inspiração, por exemplo, ou então uma fonte de criação ou mesmo a matriz principal, uma fonte de produto.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Guia da dieta saudável da Universidade Harvard

Prato Saudável da Harvard não Recomenda Lacticínios

O Guia da dieta saudável da Universidade Harvard ("Healthy Eating Plate") defende que o consumo de lacticínios não faz parte de uma alimentação equilibrada.
O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos lançou um guia de saúde  batizado de "Choose My Plate", no qual existem 5 grupos de alimentos essenciais para uma dieta saudável, sendo o último, "dairy", o grupo dos lacticínios.
Em resposta a este guia do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, a Universidade de Harvard lançou o Guia da Dieta Saudável (imagem ao lado) que se baseia em investigações científicas livres de lobbies e de pressões das grandes corporações. O Guia alerta que o consumo de leite e derivados está associado ao desenvolvimento de cancro da próstata e, possivelmente, ao cancro do ovário. Os pesquisadores da Harvard chamam à atenção para os altos níveis de gordura saturada e para os componentes químicos usados na produção dos lacticínios. A solução apontada passa pela ingestão de alimentos ricos em cálcio, como, por exemplo, de legumes verdes (espinafres, couve, brócolos, etc.) e de diversos grãos.
Sendo assim, segundo a Universidade de Harvard deixa de fazer sentido a fatia dos lacticínios a que estávamos acostumados na Pirâmide e na Roda dos Alimentos.

Veja mais em:
http://www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/healthy-eating-plate/
http://www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/calcium-and-milk/
http://www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/calcium-full-story/


fonte: O Único Planeta que Temos

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Santa pimenta



Quem coloca a pimenta no dia-a-dia está levando, além de tempero, uma série de medicamentos naturais: analgésico, anti-inflamatório, xarope, vitaminas, benefícios que os Chineses e outros povos primitivos descobriram há milhares de anos, utilizando-a como fitoterápico e que agora estão sendo comprovados pela ciência.

A pimenta faz bem à saúde e seu consumo é essencial para quem tem enxaqueca. Essa afirmação pode cair como uma surpresa para muitas pessoas que, até hoje, acham que o condimento ardido deve ser evitado.

A pimenta traz consigo alguns mitos, como por exemplo o de que provoca gastrite, úlcera, pressão alta e até hemorroidas. Nada disso é verdade. Por incrível que pareça, as pesquisas científicas mostram justamente o oposto! A substância química que dá à pimenta o seu caráter ardido é exatamente aquela que possui as propriedades benéficas à saúde.

O nome da substância é piperina. Na pimenta vermelha, é a capsaicina. Surpresa! Elas provocam a liberação de endorfinas - verdadeiras morfinas internas, analgésicos naturais extremamente potentes que o nosso cérebro fabrica!

O mecanismo é simples: Assim que você ingere um alimento apimentado, a capsaicina ou a piperina ativam receptores sensíveis na língua e na boca. Esses receptores transmitem ao cérebro uma mensagem primitiva e genérica, de que a sua boca estaria pegando fogo. Tal informação, gera, imediatamente, uma resposta do cérebro no sentido de salvá-lo desse fogo: você começa a salivar, sua face transpira e seu nariz fica húmido, tudo isso no intuito de refrescá-lo.

Além disso, embora a pimenta não tenha provocado nenhum dano físico real, seu cérebro, enganado pela informação que sua boca estava pegando fogo, inicia, de pronto, a fabricação de endorfinas, que permanecem um bom tempo no seu organismo, provocando uma sensação de bem-estar, uma euforia, um tipo de barato, um estado alterado de consciência muito agradável, causado pelo verdadeiro banho de morfina interna do cérebro. E tudo isso sem nenhuma gota de álcool!

Quanto mais ardida a pimenta, mais endorfina é produzida! E quanto mais endorfina, menos dor e menos enxaqueca.

E tem mais: as substâncias picantes das pimentas (capsaicina e piperina) melhoram a digestão, estimulando as secreções do estômago. Possuem efeito carminativo (anti-flatulência). Estimulam a circulação no estômago, favorecendo a cicatrização de feridas (úlceras), desde que, é claro, outras medidas alimentares e de estilo de vida sejam aplicadas conjuntamente. Existem cada vez mais estudos demonstrando a potente ação antioxidante (antienvelhecimento) da capsaicina e piperina.

Pesquisadores do mundo todo não param de descobrir que a pimenta tem qualidades farmacológicas importantes. Além dos princípios ativos capsaicina e piperina, o condimento é muito rico em vitaminas A, E e C, ácido fólico, zinco e potássio. Tem, por isso, fortes propriedades antioxidantes e protetores do DNA celular. Também contém bioflavonoides, pigmentos vegetais que previnem o câncer.

Graças a essas vantagens, a planta já está classificada como alimento funcional, o que significa que, além de seus nutrientes, possui componentes que promovem e preservam a saúde. Hoje ela é usada como matéria-prima para vários remédios que aliviam dores musculares e reumatismo, desordens gastrintestinais e na prevenção de arteriosclerose.

Apesar disso, muitas pessoas ainda têm receio de consumi-la, pois acreditam que possa causar mais mal do que bem. Se você é uma delas, saiba que diversos estudos recentes têm revelado que a pimenta não é um veneno nem mesmo para quem tem hemorroidas, gastrite ou hipertensão.

DOENÇAS QUE A PIMENTA CURA E PREVINE


Baixa imunidade
- A pimenta tem sido aplicada em diversas partes do mundo no combate à aids com resultados promissores.

Câncer - Pesquisas nos Estados Unidos apontam a capacidade da capsaicina de inibir o crescimento de células de tumor maligno na próstata, sem causar toxicidade.
Outro grupo de cientistas tratou seres humanos portadores de tumores pancreáticos malignos com doses desse mesmo princípio ativo. Depois de algum tempo constataram que houve redução de 50% dos tumores, sem afetação das células pancreáticas saudáveis ou efeitos colaterais.
Já em Taiwan os médicos observaram a morte de células cancerosas do esôfago.

Depressão - A ingestão da iguaria aumenta a liberação de noradrenalina e adrenalina, responsáveis pelo nosso estado de alerta, que está associado também à melhora do ânimo em pessoas deprimidas.

Enxaqueca - Provoca a liberação de endorfinas, analgésicos naturais potentes, que atenuam a dor.

Feridas abertas - É antisséptica, analgésica, cicatrizante e anti-hemorrágica quando o seu pó é colocado diretamente sobre a pele machucada.

Gripes e resfriados - Tanto para o tratamento quanto para a prevenção dessas doenças, é comum recomendar a ingestão de uma pequena pimenta malagueta por dia, como se fosse uma pílula.

Hemorroidas - A capsaicina tem poder cicatrizante e já existem remédios com pimenta para uso tópico.

Infecções
- O alimento combate as bactérias, já que tem poder bacteriostático e bactericida, e não prejudica o sistema de defesa. Pelo contrário, até estimula a recuperação imunológica.

Males do coração - A pimenta tem sido apontada como capaz de interromper um ataque cardíaco em 30 segundos.
Ela contém componentes anticoagulantes que ajudam na desobstrução dos vasos sanguíneos e ativam a circulação arterial.

Obesidade - Consumida nas refeições, ela estimula o organismo a diminuir o apetite nas seguintes. Um estudo revelou que a pimenta derrete os estoques de energia acumulados em forma de gordura corporal. Além disso, aumenta a temperatura (termogénese) e, para dissipá-la, o organismo gasta mais calorias. As pesquisas indicam que cada grama queima 45 calorias.

Pressão alta - Como tem propriedades vasodilatadoras, ajuda a regularizar a pressão arterial