Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Cozido à portuguesa à Soajeiro - Minho


Este é um prato tradicional composto por carnes de vaca, de porco e de galinha, produtos do fumeiro, couves, batata e, eventualmente, outros legumes como o nabo e a cenoura. O cozido à Soajeiro tem a particularidade de incluir o feijão.

O cozido constitui um dos pratos mais antigos confeccionado pelos homens desde a domesticação do fogo. De facto, o modo de preparação e de confecção do cozido mantêm-se inalterados desde tempos imemoráveis: uma panela com agua sobre o lume, onde cozem lentamente os diversos produtos de cada zona.

O cozido combina em si próprio todos os elementos fundamentais da vida: o fogo, a água, a terra (através dos ingredientes) e o tempo (lento da cozedura).
Simboliza ainda a casa, pois representa a unidade em torno da qual tudo se organiza: o fogo ou lume, centro da casa, centro do mundo.
A panela de ferro de três pés onde é tradicionalmente confeccionado participa dessa representação da casa, pois é utensílio fundamental de todos os lares, ricos ou pobres.

Prato completo e equilibrado, combinando carnes e legumes ao longo duma cozedura lenta que mantém todos os nutrientes.
O Cozido simboliza o alimento único e total, constituindo-se quase com um mito. O cozido simboliza ainda a economia doméstica, pois uma boa dona de casa é a que sabe gerir a despensa de modo a assegurar a alimentação da família ao longo de todo o ano.
Cozendo quase sem vigilância, este prato, na sua versão mais pobre, tinha o seu lugar no quotidiano das populações camponesas. A versão actual, mais rica em carnes, corresponde ao cozido das festas, onde a carne marcava a abundância dos dias excepcionais. Constituindo um prato único, pode, no entanto, repartir-se em três: sopa, os legumes e as carnes e o caldo de cozedura utilizado para outras preparações culinárias, como a Sopa Seca.

Como Fazer:

Sendo o cozido um prato nacional, a sua particularidade local decorre das características próprias dos produtos utilizados, designadamente a especificidade das couves, das carnes e dos enchidos.
O cozido é confeccionado, para além dos produtos comuns como as couves tronchudas, as batatas, as carnes de porco entremeada e da costela, presunto, orelheira, vaca e galinha, com os enchidos próprios do fumeiro local, especialmente, as chouriças de sangue, as de massa, o chouriço de carne e por vezes o de abóbora, da Gavieira. No cozido à Soajeiro, ou seja, como se faz no Soajo, acrescenta-se feijão cozido na água da cozedura das carnes. Este feijão é depois servido à parte e acompanhado com arroz seco.

Período do ano:

O Cozido é sobretudo confeccionado nos meses mais frio, entre o Outono e a Páscoa. Tradicionalmente reservado às festas, o Cozido é hoje um dos pratos mais consumidos pelas famílias aos domingos. Tem o seu lugar obrigatório nos casamentos, no Carnaval e noutras festas da região e constitui uma especialidade bem Portuguesa.

Bom apetite!!!

Fernanda Ferreira

Sem comentários: