Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

sexta-feira, 30 de abril de 2010

PÃO DE LÓ DE OVAR

Como estamos em fim de semana e sabe bem um docinho, vá lá... um pedacinho de pão de ló, para adoçar a vida.



Ingredientes
6 Ovos inteiros
18 Gemas
150 gr. Farinha de trigo
375 gr. Açucar

1º - Junte as gemas, os ovos inteiros e o açucar e bata durante 15 minutos com a batedeira sem
parar. Depois adicione a farinha peneirada sem fermento, pouco a pouco, só a envolver.
Ligue o forno a 150º C. Forre uma forma com papel almasso. Verta a massa depois de batida na
forma forrada com o papel e leve a cozer em fono médio a 150º C. durante 45 minutos, para não
queimar pode-se cobrir com folhas de alumínio.
Se pretender o Pão de Ló mais seco deixe cozer mais 15 minutos.

Receita do Blog Tacho ao Lume.


Na Casa do Rau

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Os nove mitos da alimentação


1. O PÃO ENGORDA?

É falso dizer que o pão engorda e que quem está a fazer dieta não o deve comer. Este alimento fornece cerca de 250 kcal/100 g e, como qualquer alimento, deve ser comido com moderação. O grande problema não é o pão por si só, mas sim o que lhe juntamos. Para se ter uma ideia... 10g de manteiga têm aproximadamente 90 kcal. Também não é verdade que o pão integral engorde menos que o pão branco, pois fornece sensivelmente as mesmas calorias. Mas o pão integral (ou mistura, centeio, 7 cereais) é nutricionalmente mais rico do que o pão branco, fornecendo vitaminas, minerais e fibra alimentar que, conforme referido, são nutrientes fundamentais na nossa alimentação.

2. SEM CARNE NÃO TEMOS VITALIDADE?

É um erro comum dizer que é preciso ingerir muita carne, de preferência um bife, para se ter energia. Teresa Branco diz que "é necessário ingerir carne, mas não é através de uma ingestão em demasia que eu vou ter mais energia disponível. Esta ingestão em demasia só servirá para armazenar uma grande quantidade de gordura saturada". Já Francisco Varatojo lembra que os macrobióticos têm vitalidade sem comerem carne e que vão buscar as proteínas e outros nutrientes às leguminosas como o feijão e o grão, por exemplo.

3. O LEITE DÁ-NOS OSSOS FORTES?

"Não há nada que confirme que é preciso beber leite para ter ossos fortes", sublinha Francisco Varatojo. O macrobiótico lembra que é nos países ocidentais, onde se consome mais lacticínios, que se registam mais fracturas ósseas e casos de osteoporose e que os orientais têm um esqueleto mais resistente e consomem menos produtos lácteos. Uma das explicações deve-se ao facto de os lacticínios terem muita proteína que acaba por eliminar o cálcio em vez que o segurar. Para reforçar as vitaminas A, E e D também se aconselha uma exposição solar de 15 minutos diários e a ingestão de alimentos como vegetais de folha verde, hortícolas, frutos vermelhos ou laranjas, peixes gordos e ovos.

4. OS PRODUTOS LIGHT OU MAGROS FAZEM EMAGRECER?

Alexandra Bento desmistifica esta ideia. Apesar de "teoricamente terem menos calorias do que os produtos não 'light', não quer dizer que se possa comer a quantidade que se deseja sem engordar". E chama a atenção para a necessidade de estarmos atentos aos rótulos dos alimentos: "Muitas vezes, os fabricantes retiram a gordura, mas substituem-na por outros ingredientes que podem apresentar calorias e por isso o valor energético do produto final pode não ser muito inferior ao do produto convencional."

5. AS BANANAS ENGORDAM?

Uma banana pequena tem as mesmas calorias que uma maçã ou uma laranja, Não há fruta que engorde mais do que a outra, só é preciso ter em atenção as quantidades. Na fruta, transformada em sumo, a vitamina C degrada-se e os açúcares naturais (frutose) são consumidos de forma mais concentrada e provocam mais cáries dentárias.

6. A ÁGUA ÀS REFEIÇÕES ENGORDA?

Diz-se que não se deve beber água às refeições ou durante os esforços físicos, mas é um mito. Sem o nutriente água, não existe uma boa hidratação e nada funciona. No entanto, como refere Francisco Varatojo, também não faz sentido nenhum dizer que para sermos saudáveis precisamos de beber três litros de água por dia. E a água da torneira é mais equilibrada em minerais essenciais para a saúde que a mineral engarrafada.

7. PEIXE NÃO PUXA CARROÇA?

É falso dizer que o peixe não alimenta. Segundo Alexandra Bento, "o peixe é mais facilmente digerido do que a carne e uma fonte de proteínas de elevada qualidade", tendo um teor de gordura mais reduzido. Além disso, acrescenta: "As gorduras do peixe são mais saudáveis. O peixe gordo, como a sardinha, o salmão, o arenque, apresenta ómega 3, ácidos gordos que parecem apresentar muitos benefícios para a saúde." Uma das formas de atrasar a digestão do peixe, é acompanhar a refeição com outros alimentos de digestão mais demorada, nomeadamente vegetais folhosos, como as couves e leguminosas como ervilhas, feijão, grão-de-bico, lentilhas...

8. O AZEITE É UMA GORDURA SAUDÁVEL E POR ISSO ENGORDA MENOS?
O azeite, apesar de ser uma gordura saudável, engorda tanto quanto as outras gorduras. Cada 100 g de azeite fornece-nos 900 kcal. Por isso o azeite deve ser utilizado com conta, peso e medida. Mas que se prefira azeite a outras gorduras saturadas como os óleos. É que o azeite tem outras vantagens nutricionais, já que é rico em antioxidantes, diminui os níveis de colesterol e contribui para a diminuição do risco de doença cardiovascular e determinados tipos de cancro.

9. HÁ ALIMENTOS BONS E ALIMENTOS MAUS?

"Do ponto de vista da nutrição, não há alimentos bons, nem alimentos maus", sublinha Alexandra Bento. Qualquer alimento pode fazer parte de uma alimentação equilibrada e por isso o conselho para se ter uma alimentação saudável é variar o mais possível. Mesmo os alimentos ricos em gorduras ou em açúcar, que são apontados como pouco saudáveis, não devem ser banidos da alimentação de uma pessoa saudável, mas ingeridos com conta, peso e medida.


Na Casa do Rau

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Salada Cores de Maio

2 Doses

Ingredientes:

1 embalagem de mistura para saladas
200 grs de cenoura ralada
30 grs de cebola vermelha fatiada
10 tomates cereja
100 grs de peito de peru grelhado (fatiado)
2 fatias de queijo magro (fatiado)
Azeite (q.b.)
Vinagre Balsâmico (q.b.)
Sal (q.b.)

Preparação:

Junte a mistura para saladas, as cenouras e a cebola num recipiente para saladas. Regue com o azeite e o vinagre e salpique com um pouco de sal. Divida o preparado por dois pratos e por cima disponha as fatias de peru grelhadas, os tomates cereja e o queijo.



NA Casa do Rau

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Actimel. Ter em atenção os efeitos

ACTIMEL. Informação importante

O ACTIMEL fornece ao organismo uma bactéria chamada L.CASEI. Esta substância é gerada normalmente por 98% dos organismos, mas quando é administrada externamente por um tempo prolongado, o corpo deixa de a fabricar e 'esquece-se' que deve fazê-lo e como fazê-lo, sobretudo em pessoas menores de 14 anos. Na realidade, surgiu como um medicamento para essas poucas pessoas que não a fabricam , mas esse universo era tão pequeno que o medicamento se tornou, não rentável; para o tornar rentável, foi vendida a sua patente a empresas do sector alimentar.

A Secretaria Estado da Saúde (Espanha) obrigou a ACTIMEL (a sereíssima) a indicar na sua publicidade que o produto não deve ser consumido por um tempo prolongado; e cumpriram, no entanto de uma forma tão subtil que nenhum consumidor o percebe ( p.ex. 'desafio actimel: tome durante 14 dias').

Se uma mãe decide completar a dieta com ACTIMEL, não recebe nenhum aviso sobre a sua inconveniência e não vê que pode estar a causar um dano importante ao futuro dos seus filhos ou ao seu devido às manipulações publicitarias da multinacional DANONE para incrementar os seus benefícios, sem se importar com a saúde dos consumidores.

Convém estarmos avisados de que... há interesses económicos que põem e dispõem das nossas vidas a seu belo prazer e não param de nos surpreender com as suas artimanhas!

Por favor, passe esta informação.
Recebido por e-mail

domingo, 25 de abril de 2010

Caldeirada à Pescador


Caldeirada à Pescador
Ingredientes para 6 pessoas::

2 Kg de peixes variados
500 gr de amêijoas
2 cebolas médias
3 dentes de alho
Sal e pimenta
1 colher mal cheia de colorau doce
1 dl de azeite
130 gr de pão de véspera
1 ramo de salsa

Preparação:

Corte as cebolas em rodelas e coloque-as num tacho de barro juntamente com os dentes de alho picados, sal, pimenta, pimentão doce, salsa picada e azeite.
Deixe refogar acrescentando depois a água e o peixe cortado em pedaços suficientemente grandes para não se desfazerem.
Quando o peixe estiver cozido, misture as amêijoas. Sirva a caldeirada sobre fatias de pão duro.

Parabéns à Casa do Rau

O Saúde e Alimentação congratula-se com os sucessivos êxitos da sua administradora Fernanda Ferreira, carinhosamente conhecida por Ná. Neste momento o motivo do nosso regozijo e dos nosso parabéns deve-se ao facto de ter atingido, no seu blog pessoal Na Casa do Rau o número significativo de CEM seguidores com a adesão do bloguista QUICAS, que teve a simpatia de se juntar a um interessante grupo de amigos da Ná.

Esta quantidade de seguidores e as qualidades de cada um prova a capacidade de empatia da nossa administradora que atrai amizades vindas de todos os quadrantes, fazendo a inserção plena de todos os géneros literários, de arte e de saber viver, condimentando tudo com um saboroso molho de amizade, respeito humano e sensibilidade para os problemas e dificuldades de cada amigo.

Foi, para mim, um grande prazer conhecer as suas qualidades e ter a sorte, o privilégio, de passar a ser um dos elementos da sua equipa, colaborando consigo em três dos seus blogs, a que a Ná dá a força atraente do esquema e a dinâmica dos conteúdos, sempre atenta a tudo. A Ná sabe mostrar o seu respeito e delicadeza pelos outros, é capaz de dar um «raspanete» com palavras de entusiasmo para se fazer melhor, que deixam um sabor de incentivo amigo e construtivo. Sabe ensinar pequenas dicas de progresso na apresentação gráfica, de imagem de conteúdo de textos, etc.

Por isso, o Saúde e Alimentação tem todo o prazer em se solidarizar com a sua felicidade por mais este êxito de, em 9 meses, ter criado este grupo de 100 seguidores e parabéns ao Quicas por ter subido ao pódium como centésimo. Desejamos e esperamos, com forte certeza, que a Casa do Rau continue a ser um ponto de acolhimento dos melhores posts que temos visto.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Comer peixe... de pequenino se aprende!

Quando o assunto é peixe e tem crianças à mesa, as coisas podem dar facilmente para o torto. Conheça várias formas divertidas de evitar que os seus filhos torçam o nariz aos pratos de peixe, que tanta falta lhes fazem.

Os benefícios nutricionais dos peixes ditos mais gordos podem fazer maravilhas pelo desenvolvimento cognitivo das crianças. O Ómega 3 presente nesses peixes, como o Salmão, melhora o desempenho cerebral dos mais novos, e a Vitamina D é fundamental para a absorção de cálcio e de fósforo, além de possuir propriedades anti-cancerígenas.

É a própria Academia Pediátrica Americana que garante que o consumo de peixe antes do ano de idade, além de permitido, é aconselhável. Um estudo recente diz que as crianças que consumam peixe antes dos 9 meses de idade têm um risco reduzido de vir a desenvolver eczemas. O importante é evitar peixes com elevados níveis de mercúrio, como o peixe-espada, o tubarão, a cavala e o atum branco. Todos os outros são seguros e só lhes fazem bem.
Mas sabemos que, para as crianças, o que importa é o sabor e a forma como o peixe lhes chega ao prato. É aí que alguma criatividade pode fazer a diferença entre um aborrecido "Não gosto" e um satisfeito "Não há mais?"
Conheça alguns truques de os deixar de água na boca, divulgados num artigo do site Parenting.com.

1. Procure, procure melhor e procure novamente.
Uma espinha pode arruinar irremediavelmente todos os esforços para uma refeição agradável. Seja exaustivo. Não facilite. Além de traumatizante para eles é bastante perigoso.

2. Como peixe na água
Coza o peixe num pouco de água e deixe cozinhar sem que fique demasiado seco. Se o peixe estiver um pouco húmido quando for servido, torna-se mais agradável para as crianças.

3. Peixe não tem de ser aborrecido
Alegre os seus pratos de peixe. Aqui pode encontrar uma vasta lista de sugestões para tornar as suas refeições mais animadas, divertidas e surpreendentes. Eles vão adorar e vão-lhe pedir que faça peixe mais vezes.

4. Os congelados também se pescam
Se não tiver muito tempo para cozinhar, vá à pesca no corredor de peixe congelado e experimente as barrinhas de peixe já preparadas, os hambúrgueres de salmão ou os filetes marinados. É só aquecer e servir.

5. Tudo ao molho
As barrinhas de peixe e outros snacks de peixe podem ser servidos com vários molhos. Experimente servi-los à pequenada com ketchup, molho tártaro ou mostarda.

6. Lanche saudável
Surpreenda os seus filhos com um lanche diferente. Misture um pouco de Salmão com um pouquinho de maionese ou mesmo com iogurte cremoso, e barre em bolachas integrais.
Com estas dicas não terá dificuldades em dar qualquer tipo de peixe aos seus filhos. O segredo está em variar e surpreende-los. Sempre que precisar, consulte aqui as várias sugestões que temos para o ajudar a inovar na cozinha. Vai ser mais fácil manter o peixe no menu dos mais novos.

Pesquisa da Net.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Limpar os rins

Limpe seus rins por menos de 1,00€!

Os anos passam e nossos rins vão filtrando nosso sangue para remover o sal e outros intoxicantes que entram no organismo.

Com o tempo, o sal se acumula e precisamos de uma limpeza. Como fazer isso?

De um modo simples e barato: Pegue um maço de salsa e lave bem. Corte bem picadinho e ponha em uma vasilha com água limpa. Ferva por 10 minutos e deixe esfriar. Coe, ponha em uma jarra com tampa e guarde na geladeira.

Beba um copo todos os dias, e você vai perceber que o sal e outros venenos acumulados nos rins saem na urina.

Você vai notar a diferença!

Virtudes da salsa

Há muitos anos a salsa é reconhecida como o melhor tratamento de limpeza dos rins. E é um remédio natural!

A salsa é uma das ervas com propriedades terapêuticas menos reconhecidas. Ela contém mais vitamina C do que qualquer outro vegetal da nossa culinária (166mg por 100g). Isso é três vezes mais que a laranja.

A salsa contém também ferro (5.5mg /100g), manganésio (2.7mg / 100g), cálcio (245mg / 100g) e potássio (1mg / 100g) .

De acordo com o Padre Kniepp, essa planta é um poderoso diurético, curando a retenção de água no organismo, sendo recomendada para pedra nos rins, reumatismo e cólica menstrual.

Sua alta concentração de vitamina C ajuda na absorção de ferro.

O suco de salsa, sendo uma bebida natural, pode ser tomado misturado com outros sucos, 3 vezes ao dia.

As folhas podem ser mantidas no congelador, e seu uso é recomendo na culinária diária, pois além de saudáveis, dão óptimo sabor a qualquer receita.

Recebido por e-mail

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Salmão - use e abuse.



Ómega 3 reduz o risco de cancro da mama.

Um novo estudo, publicado em Junho deste ano, fundamenta que o consumo de peixe rico em Ómega 3 reduz o risco de cancro da mama, pré e pós menopausa.

Um novo estudo, publicado em Junho deste ano, fundamenta que o consumo de peixe rico em Ómega 3 reduz o risco de cancro da mama, pré e pós menopausa. Um estudo que poderá acompanhar de forma mais detalhada em http://www.biomedcentral.com/1471-2407/9/216

Através deste estudo, é possível concluir que as pessoas que consomem mais de 101mg de EPA e 213mg de DHA diariamente apresentam um menor risco de contrair cancro da mama, comparativamente aqueles que consomem uma quantidade mínima deste tipo de ácidos gordos.

EPA e DHA são ácidos gordos Ómega 3, que podem ser produzidos no corpo a partir dos ácidos gordos Ómega 3 ALA (alpha-linolenic acid). Contudo o nosso organismo não é muito eficiente a transformar ALA em EPA e DHA, daí ser bastante importante a obtenção de ácidos gordos Ómega 3, através de uma alimentação saudável, com o consumo de peixes ditos mais gordos, como o salmão, sardinha e atum.

Considerado uma das melhores fontes de Ómega 3 e consequentemente de EPA e DHA, o salmão para além de saudável é um peixe saboroso e versátil, podendo ser confeccionado das mais variadas formas.


21 conselhos para a saúde

Vinte e um (21) conselhos das Universidades de Medicina: Harvard e Cambridge publicaram recentemente um compêndio com 20 Conselhos saudáveis para melhorar a qualidade de vida de forma prática e habitual :

01- Um copo de suco de laranja diariamente para aumentar o ferro e repor a vitamina C.

02- Salpicar canela no café (mantém baixo o colesterol e estáveis os níveis de aúcar no sangue).

03- Trocar o pãozinho tradicional pelo pão integral. O pão integral tem 4 vezes mais fibra, 3 vezes mais zinco e quase 2 vezes mais ferro que tem o pão branco.

04- Mastigar os vegetais por mais tempo. Isto aumenta a quantidade de químicos anticancerígenos liberados no corpo. Mastigar libera sinigrina. E quanto menos se cozinham os vegetais, melhor efeito preventivo têm.

05- Adoptar a regra dos 80%: servir-se menos 20% da comida que costuma comer, evita transtornos gastrintestinais, prolonga a vida e reduz o risco de diabetes e ataques de coração.

06- LARANJA o futuro está na laranja, que reduz em 30% o risco de câncer de pulmão.

07- Fazer refeições coloridas como o arco-íris. Comer DIARIAMENTE, uma variedade de vermelho, laranja, amarelo, verde, roxo e branco em frutas e vegetais, cria uma melhor mistura de antioxidantes, vitaminas e minerais.

08- Comer pizza, macarronada ou qualquer outra coisa com molho de tomate. Mas escolha as pizzas de massa fininha. O Licopeno, um antioxidante dos tomates pode inibir e ainda reverter o crescimento dos tumores; e ademais é melhor absorvido pelo corpo quando os tomates estão em molhos para massas ou para pizza .

09- Limpar sua escova de dentes e trocá-la regularmente . As escovas podem espalhar gripes e resfriados e outros germes. Assim, é recomendado lavá-las com água quente pelo menos quatro vezes à semana (aproveite o banho no chuveiro), sobretudo após doenças, quando devem ser mantidas separadas de outras escovas.

10- Realizar atividades que estimulem a mente e fortaleçam sua memória... Faça alguns testes ou quebra-cabeças, palavras-cruzadas, aprenda um idioma, alguma habilidade nova... Leia um livro e memorize parágrafos; escreva, estude, aprenda. Sua mente agradece e seus amigos também, pois é interessante conversar com alguém que tem assunto.

11- Usar fio dental e não mastigar chicletes. Acreditem ou não, uma pesquisa deu como resultado que as pessoas que mastigam chicletes têm mais possibilidade de sofrer de arteriosclerose, pois tem os vasos sanguíneos mais estreitos, o que pode preceder a um ataque do coração. Usar fio dental pode acrescentar seis anos a sua idade biológica porque remove as bactérias que atacam aos dentes e o corpo.

12- Rir. Uma boa gargalhada é um 'mini-workout', um pequeno exercício físico: 100 a 200 gargalhadas equivalem a 10 minutos de corrida. Baixa o estresse e acorda células naturais de defesa e os anticorpos.

13- Não descascar com antecipação. Os vegetais ou frutas, sempre frescos, devem ser cortados e descascados na hora em que forem consumidos. Isso aumenta os níveis de nutrientes contra o câncer. Sucos de fruta têm que ser tomados assim que são preparados.

14- Ligar para seus parentes/pais de vez em quando. Um estudo da Faculdade de Medicina de Harvard concluiu que 91% das pessoas que não mantém um laço afetivo com seus entes queridos, particularmente com a mãe, desenvolvem alta pressão, alcoolismo ou doenças cardíacas em idade temporã .

15- Desfrutar de uma xícara de chá. O chá comum contém menos níveis de antioxidantes que o chá verde, e beber só uma xícara diária desta infusão diminui o risco de doenças coronárias. Cientistas israelenses também concluíram que beber chá aumenta a sobrevida depois de ataques ao coração.

16- Ter um animal de estimação. As pessoas que não têm animais domésticos sofrem mais de estresse e visitam o médico regularmente, dizem os cientistas da Cambridge University. Os mascotes fazem você sentir-se otimista, relaxado e isso baixa a pressão do sangue. Os cães são os melhores, mas até um peixinho dourado pode causar um bom resultado.

17- Colocar tomate ou verdura frescas no sanduíche.
Uma porção de tomate por dia baixa o risco de doença coronária em 30%, segundo cientistas da Harvard Medical School; vantagens outras são conseguidas atráves de verduras frescas.

18- Reorganizar a geladeira. As verduras em qualquer lugar de sua geladeira perdem substâncias nutritivas, porque a luz artificial do equipamento destrói os flavonóides que combatem o câncer que todo vegetal tem. Por isso, é melhor usar á área reservada a ela, aquela caixa bem embaixo ou guardar em um tape ware escuro e bem fechado.

19- Comer como um passarinho. A semente de girassol e as sementes de sésamo nas saladas e cereais são nutrientes e antioxidantes. E comer nozes entre as refeições reduz o risco de diabetes.

20- Uma banana por dia quase dispensa o médico, vejamos: " Pesquisa da Universidade de Bekeley". A banana previne a anemia, a tensão arterial alta, melhora a capacidade mental, cura ressacas, alivia azia, acalma o sistema nervoso, alivia TPM, reduz risco de infarto, e tantas outras coisas mais, então, é ou não é um remédio natural contra várias doenças?

21- e, por último, um mix de pequenas dicas para alongar a vida:

-comer chocolate.
Duas barras por semana estendem um ano a vida. O amargo é fonte de ferro, magnésio e potássio..

- pensar positivamente .
Pessoas otimistas podem viver até 12 anos mais que os pessimistas, que, além disso, pegam gripes e resfriados mais facilmente, são menos queridos e mais amargos.

- ser sociável. Pessoas com fortes laços sociais ou redes de amigos têm vidas mais saudáveis que as pessoas solitárias ou que só têm contato com a família.

- conhecer a si mesmo . Os verdadeiros crentes e aqueles que priorizam o 'ser' sobre o 'ter' têm 35% de probabilidade de viver mais tempo, e de ter qualidade de vida...

'Não parece tão sacrificante, não é verdade? Uma vez incorporados, os conselhos, facilmente tornam-se hábitos... É exactamente o que diz uma certa frase de Sêneca:

'Escolha a melhor forma de viver e o costume a tornará agradável'! "Crie bons hábitos e torne-se escravo deles, como costumamos ser dos maus hábitos".

AVC. Prevenir factor de risco

Transcrição:
Controlo da arritmia cardíaca pode reduzir mortes por AVC
Jornal de Notícias 21-04-2010. Por Alexandra Inácio

Estudo revela que 2,5% dos portugueses, com mais de 40 anos, sofrem de fibrilhação auricular

O controlo da fibrilhação auricular pode reduzir o número de Acidentes Vasculares Cerebrais - uma das principais causas de morte em Portugal. Um estudo revelou que cerca de um quarto dos AVC acontece, directa ou indirectamente, devido a essa arritmia.

O alerta feito ontem na Sociedade Portuguesa de Cardiologia é claro: "milhares" de vidas por ano podem ser salvas em Portugal se houver maior controlo da incidência da fibrilhação auricular (FA). O rastreio pode ser simples, uma vez que o diagnóstico pode ser feito a partir de exames evasivos de rotina, como o electrocardiograma ou ecocardiograma; basta os portugueses e os clínicos gerais estarem mais atentos à sintomatologia de alerta: palpitações, falta de ar, cansaço fácil e batimentos cardíacos irregulares.

"A probabilidade de uma pessoa com fibrilhação auricular ter um AVC é cinco vezes superior à da população em geral, no mesmo grupo etário"; e a de morrer é o dobro, garante Daniel Bonhorst, presidente do Instituto Português do Ritmo Cardíaco (IPRC).

O IPRC e a Associação Portuguesa de Arritmologia, Pacing e Electrofisiologia (APAPE) realizaram o primeiro estudo sobre a prevalência da fibrilhação auricular em Portugal. As conclusões, apresentadas ontem à Imprensa e no Congresso de Cardiologia, na semana passada, revelam que 2,5% dos portugueses na faixa dos 40 anos sofre dessa arritmia cardíaca; ou seja, mais de 121 mil portugueses. Os investigadores avaliaram 10447 indivíduos, de ambos os sexos. João Primo, da APAPE, tem "certeza" que a taxa de prevalência é superior se for feito um rastreio em Portugal.

A fibrilhação auricular é a arritmia cardíaca "mais frequente nas consultas e urgências hospitalares". A partir dos 50 anos a sua taxa de incidência duplica, por cada década de vida, podendo ultrapassar os 10% entre as pessoas com mais de 80 anos.

Entre os 261 indivíduos identificados no estudo, 38% não estavam diagnosticados. Pedro Adragão, vice-presidente do IPRC, frisa que "em cada 12 episódios só um pode ser sintomático"; isto é, os sintomas podem passar despercebidos, por exemplo, as pessoas podem reduzir a sua actividade física e inibirem os sintomas.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Legumes - Sete Dicas


Legumes - 7 Dicas

* Na loja, escolha os legumes mais frescos.
Ao prepará-los em casa, rejeite as folhas murchas.
Evita assim a transformação de nitratos em nitritos.
* Prefira legumes da época, para evitar os cultivados em estufas, que tendem a acumular mais nitratos.
* Elimine folhas externas e nervuras dos legumes, dado estas serem mais ricas em nitratos. Esta operação reduz em 30% o teor em nitratos.
* Lave com cuidado uma a uma as folhas em água corrente. Desta forma, elimina em parte nitratos e nitritos, compostos muito solúveis na água.
* Mantenha os alimentos refrigerados, dado as bactérias que convertem os nitratos em nitritos se multiplicarem rapidamente à temperatura ambiente.



* Não reaproveite a água de cozedura dos vegetais ricos em nitratos para elaborar sopas ou puré. A cozedura pode reduzir o teor em nitratos entre 20 a 75 por cento.
* Não reaqueça legumes cozidos com antecedência, dado que estes aumentam a proporção de nitritos.
Varie no tipo de vegetais. Por exemplo, nas saladas use diferentes tipos e alface e inclua tomate, pepino e pimento. O feijão verde, a abóbora, e a couve de Bruxelas tendem a acumular menos nitratos.
É uma boa opção para a sopa das crianças.
Evite consumir legumes ricos em nitratos todos os dias.

Fernanda Ferreira

domingo, 18 de abril de 2010

A Importância de Dormir Bem

A Importância do Sono

Nada como uma óptima noite de sono para acordar novo e com mais disposição para enfrentar o dia. Muitas pessoas tem curiosidade em saber quanto tempo e como devem dormir. Pena que a rotina atarefada nem sempre permita um sono tranquilo. Se você é o tipo de pessoa que deixa de dormir para estudar ou trabalhar ou deixa que as aflições do dia-a-dia atrapalhem o seu sono, trate de relaxar.

Dormir bem é fundamental não somente para a melhorar a execução das tarefas diárias. O descanso é de suma importância para a sua saúde e o seu conforto. “O sono é uma necessidade de recuperação essencial ligada a todos os órgãos do corpo. Funções essenciais como conservação de energia, metabolismo anabólico, amadurecimento do sistema nervoso central, consolidação da memória e secreção hormonal são desempenhadas”, explica a neurologista Andréa Bacelar, da Clínica Neurológica Dr. Carlos Bacelar, no Rio de Janeiro.
Partes do Sono

Segundo a neurologista, o sono é dividido em partes que geram ciclos. “As partes de sonolência e de sono leve fazem parte do sono superficial, que são os I e II estágios. Quando o sono se intensifica, a actividade eléctrica cerebral fica mais lenta. Esse é o estágio III ou sono de ondas lentas, que representa o instante do descanso cerebral e da reorganização da memória”, enumera Andréa Bacelar.

O clímax dos processos acontece no sono REM (Rapid Eye Moviment). É a fase em que sonhamos, em que ocorre o relaxamento completo da musculatura do corpo. “O REM equivale a cerca de 25% do nosso sono. Durante esse tempo, o corpo efectua a renovação de toda a musculatura. O conteúdo aprendido durante o dia é processado e armazenado na nossa memória”, explica a neurologista.

O neurologista Paulo Luciano Gomes, do Hospital Universitário Pedro Ernesto, no Rio de Janeiro, diz que todos os estágios são fundamentais para uma óptima noite de sono. “Qualquer parte do sono é importante, porque a actividade encefálica precisa desses diferentes ritmos”.
Quanto Deve dormir?

A quantidade de sono ideal depende de cada pessoa. Na Maioria dos casos, a população adulta precisa dormir de 6 a 8 horas por noite. “Eventualmente, uma pessoa saudável pode dormir menos que isso sem prejudicar a saúde. Só não deve se tornar rotina”, diz o neurologista.

Mesmo se dormir mal por uma noite não afecte sua saúde, essa carência de sono será notada no dia seguinte: “Uma noite mal dormida interfere em todas as tarefas do dia-a-dia, desde o humor da pessoa até a sua produtividade no trabalho. Irritação, cansaço, sonolência e instabilidade emocional para enfrentar uma rotina estressante são alguns problemas enfrentados por quem dorme pouco”, alerta Paulo Luciano.

Nada de acumular sono para depois. A neurologista Andréa Bacelar recomenda a manutenção de um sono regular. “É fundamental entre a hora que se deita e se levanta. Quando dormimos menos em determinada noite, o que se deve fazer é antecipar um pouco a hora de ir para cama na noite seguinte. Se para tentar compensar a pessoa acordar muito mais tarde do que seu horário habitual ou então tirar um cochilo após o almoço, naturalmente ela terá maior dificuldade para dormir na noite seguinte, perpetuando o problema”.

Um dos agravantes que mais atrapalham o sono e tornam difícil ter uma noite tranquila é a rotina agitada que muitas pessoas têm. Grande parte da população não consegue se distrair dos problemas e acaba prejudicando seu sono. “A privação de sono, normalmente causada por preocupações, pode se tornar crónica, trazendo consequências irreversíveis para a saúde das pessoas”, alerta Andréa Bacelar, que dá dicas que vão ajudar a dormir melhor:

- Mantenha o quarto sempre com uma temperatura estável e agradável. Deixe o cómodo arejado durante o dia e escuro à noite;
- Estabeleça horários de dormir e acordar, respeitando seu ritmo biológico;
- Evite álcool ou bebidas com cafeína à noite;
- Evite o uso regular de tranquilizantes para dormir;
- Faça refeições leves à noite;
- Evite fazer exercícios físicos perto da hora de dormir;
- Evite actividades estimulantes à noite.

Transcrição de Você sabia, onde foi publicado por Lucas, em 10 de Março de 2010

quinta-feira, 15 de abril de 2010

BOLO FLORESTA NEGRA

Forma com 26 cm de diâmetro
(Receita p/12 fatias)
Para diabéticos ou para quem queira perder peso.

Ingredientes para a massa:
4 gemas
25 g. de Hermesetas em Pó
2 colheres sobremesa de água quente
150 g. de farinha
2 colheres de chá de fermento em pó
30 g. de cacau em pó
4 claras

Ingredientes para o recheio:
3 colheres sopa de Kirsch
2 colheres sopa de água
4 colheres sopa de Hermesetas em Pó ou 1 colher chá Hermesetas Líquido
400 ml de natas (pode substituir por yogurte)
2 colheres chá de gelatina em pó, desfeita em 2 colheres de sopa de água quente
2 claras
500 g. de cerejas s/caroço

Ingredientes para a decoração:
15 g. de raspas de chocolate

Confecção:

Bater as gemas, as Hermesetas em Pó e a água até obter um creme fofo. À parte, misturar a farinha, o fermento e o cacau em pó. Peneirar esta mistura , juntando-a ao creme. Bater as claras em castelo bem firme. Cuidadosamente, envolver as claras em castelo, no creme.
Deitar a mistura na forma previamente forrada com papel vegetal. Cozer em forno pré-aquecido a 180º por cerca de 20 min.
Deixar arrefecer. Depois de frio, dividir ao meio, em duas camadas, para rechear. Bater as natas com a quantidade restante de Hermesetas até ficarem firmes. Dissolver a gelatina em água quente, e misturar às natas. Bater as claras em castelo bem firme e juntar cuidadosamente ao creme.
Colocar as cerejas na base da massa, deitar por cima metade do creme. Colocar a parte superior de massa. Cobrir o bolo com o resto do creme. Decorar com raspas de chocolate e algumas cerejas.

Bom apetite.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Colesterol genético

Transcrição da notícia:

20 mil "bombas-relógio" estarão por identificar

Doentes com níveis acima de 290 podem ter gene mutado e transmissível a 50% dos descendentes. Só 400 estão identificados.

A hipercolesterolemia familiar é uma doença desconhecida para a maior parte da população, mas calcula-se que haja 20 mil portugueses que a carregam. São casos em que a mutação de um gene, transmitida a 50% dos familiares, se traduz em níveis de colesterol total e LDL elevadíssimos (290 e 190) e que aumentam cem vezes o risco cardiovascular em doentes entre os 20 e os 40 anos.

Mafalda Bourbon, geneticista molecular do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, está a desenvolver um estudo desta doença em Portugal, apoiada pela Sociedade Portuguesa de Cardiologia. Os doentes são referenciados por clínicos, embora os médicos de família ainda não estejam suficientemente alertados.

"Só realizamos testes genéticos em doentes que mantenham estes níveis após a alteração dos estilos de vida e que tenham história familiar da doença e, até, mortes prematuras", diz ao DN, lembrando que estes doentes são "bombas-relógio". A partir do caso central, que demora cerca de três meses a confirmar, testam-se outros elementos da família, já que a alteração genética é transmitida a 50% dos descendentes. Até agora, só foram identificadas 400 pessoas, 30% das quais são crianças, o que renova o apelo ao diagnóstico precoce. O estudo visa identificar mais pessoas, já que há tratamentos eficazes, embora ainda sejam pouco comparticipados.

domingo, 11 de abril de 2010

Paella de Marisco





Ingredientes:
Para 4 pessoas

* 4 colheres de sopa de azeite
* 225 g de tamboril sem pele e em bocados
* 3 lulas pequenas cortadas em rodelas
* 1 cebola picada
* 2 dentes de alho finamente picados
* 1 pimento vermelho em tiras
* 4 tomates sem pele picados
* 225 g de arroz agulha
* 4,5 dl de caldo de peixe
* 1,5 dl de vinho branco
* 75 g de ervilhas congeladas
* 4-5 fios de açafrão demolhados em 2 colheres de sopa de água quente
* 115 g de camarões cozidos, descascados
* 8 mexilhões com casca, bem limpos
* sal
* pimenta preta do moinho
* 1 colher de sopa de salsa picada para guarnecer
* quartos de limão para servir

Confecção:

Numa frigideira grande, aqueça 2 colheres de sopa de azeite e introduza o tamboril e as lulas.
Salteie tudo 2 minutos e depois retire o peixe para outro recipiente com algum líquido.
Deite o restante azeite na frigideira e junte a cebola, o alho e o pimento.
Coza tudo 6-7 minutos, mexendo frequentemente, até estar macio.
Adicione o tomate, salteie 2 minutos e junte o arroz.
Mexa de modo a envolvê-lo no azeite e deixe cozer 2 minutos.
Regue com o caldo e o vinho e junte as ervilhas e a água de açafrão.
Misture e tempere bem.
Cuidadosamente, junte os peixes cozidos e o líquido que largaram e os camarões.
Enterre os mexilhões no arroz.
Tape e deixe cozer suavemente mais 30 minutos.
O caldo foi absorvido mas o prato está cremoso.
Retire do calor, conserve tapado e deixe a paella repousar 5 minutos.
Polvilhe com a salsa e enfeite com os gomos de limão.

Bom apetite!

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Os nossos conselhos sobre OSTEOPOROSE

INTRODUÇÃO

Osteoporose é um nome difícil de pronunciar mas fácil de entender: significa que os ossos estão fracos, teem pouco cálcio, e por isso são mais porosos, isto é, a sua estrutura torna-se menos densa e eles ficam mais frágeis, o que facilita grandemente as fracturas, sobretudo em caso de quedas.

1. Saiba que, na maioria das vezes (e como em tantas outras doenças), mais vale prevenir que remediar - como o nosso povo diz.

Nalguns casos raros, de osteoporose por doença de glandulas endócrinas ou dos rins, as causas terão que ser procuradas e tratadas pelo médico, desde o início. Na maior parte das vezes, todavia, a prevenção pode fazer-se, e depende de si.

2. Saiba também que a osteoporose aparece sobretudo com a idade e com maior frequência no sexo feminino: nas mulheres, durante e depois da menopausa (incluindo a menopausa cirúrgica), e nos homens idosos. Em todos estes casos o exame radiológico ou tomográfico da coluna ou do fémur, e sobretudo a "densitometria óssea", podem ser requisitados pelos médicos, para diagnóstico e para avaliação da gravidade, sempre que entendam necessário.


3. A prevenção da osteoporose deve contudo começar muito mais cedo. Olhe pelos seus filhos, pois que é na infância que se constroem ossos fortes: dê-lhes pelo menos meio litro de leite por dia (pois que é rico em cálcio) e uma vida ginasticada e desportiva (a manter por toda a vida!)*

4. Para si (homem ou mulher, adultos) e para além do leite e da actividade fisíca, evite o fumo do tabaco (seu ou dos outros, isto é, tabagismo activo ou passivo) e também o abuso de bebidas alcoólicas e o excesso de café, pois todos eles contribuem para a osteoporose, em todas as idades e em ambos os sexos.

5. Adopte uma "dieta inteligente"** , com menos gorduras e doçuras, e mais verduras, mais fruta, cereais e pão de mistura, aumentando o consumo de leite magro e de peixe: desse modo faz a promoção da sua saúde e a prevenção da osteoporose (e de muitas outras doenças, incluindo as do coração e vários cancros!).

6. No caso das mulheres, durante a gravidez, a lactação e depois da menopausa, a "dieta inteligente" deve ser suplementada com cálcio (em leite enriquecido, ou medicamentos receitados).

7. É cada mais vez mais defendida pelos especialistas a terapêutica hormonal de substituição, nas mulheres peri e pós menopausa (sobretudo as que tenham outros factores de risco - hipertensão, diabetes, tabagismo, vida sedentária ou colesterol elevado*** - e não tenham contra-indicação para os estrogéneos) no sentido de prevenir a osteoporose, melhorar o seu bem estar e a qualidade de vida, e também reduzir a doença aterosclerótica em geral, e a doença cardíaca coronária em particular (angina de peito ou enfarte do miocárdio**** )

8. Oiça sempre o seu médico de família (e, a seu conselho e se for caso disso, o reumatologista, o ortopedista, o fisiatra, ou o ginecologista… ou mesmo o cardiologista) sobre a necessidade de exames clínicos, ou métodos especiais de diagnóstico ou de tratamento.

9 - A imobilização prolongada acelera a desmineralização óssea (ainda mais do que a inactividade física) ao mesmo tempo que leva à atrofia e "fusão" muscular, e até a tromboses venosas dos membros inferiores.

A movimentação permitida no leito, e a mobilização articular e o exercicio orientado dos diversos grupos musculares, ajudarão a reduzir a descalcificação e a manter a força muscular, essenciais para a recuperação da actividade e do próprio equilibrio, evitando assim futuras e previsíveis quedas.

10. O grande medo - justificado - da osteoporose consiste no muito mais fácil aparecimento de fracturas em consequência de quedas, mesmo que sejam pequenas (colo do fémur, braços), ou depois de esforços inusitados ou de transporte de pesos (coluna vertebral)

O aparecimento de dores inabituais (nas contigências descritas e nesses locais), mesmo que julgadas inocentes, devem obrigar a exame médico e a eventual terapêutica (que felizmente é fácil de fazer e é eficaz).

Cuide da sua saúde!



Estes são conselhos do Prof. Fernando de Pádua
Director do Instituto Nacional de Cardiologia Preventiva
e Coordenador Científico do Programa CINDI-PORTUGAL

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Francesinhas

ORIGEM E TRADIÇÃO
As francesinhas nasceram no Porto no restaurante “A Regaleira”, na Rua do Bonjardim, na década de sessenta, pela mão de um emigrante, o Sr. Daniel David Silva, regressado de França.
A partir do croque-monsieur (especialidade típica nos cafés franceses), inventou esta fantástica iguaria:

INGREDIENTES

Francesinha (individual):
2 - Fatias de pão de forma
3 - Fatias de fiambre
7 - Fatias de queijo
1 – Linguiça
2 - Fatias de paio;
1 - Bife 150g a 200g.

SEGREDOS DO MOLHO

Efectivamente, o principal segredo da Francesinha, está na confecção do molho;
A proporcionalidade quantitativa das diversas bebidas (cerveja, espirituosas, vinho do Porto,vinho de mesa, entre outras), que compõem o molho afecta a maior ou menor “acidez ou doçura” do mesmo, bem como o paladar final.

PREPARAÇÃO E CONFECÇÃO
Molho:
1. Colocar num tacho o azeite, os alhos picados, a cebola picada, as folhas de loureiro, sal e salsa.
2. Deixar refogar, acrescentando um pouco de água e mexendo de vez em quando.
3. Quando começar a alourar, adicionar a cerveja, a polpa de tomate, o piri-piri, as bebidas espirituosas, o vinho do Porto, o vinho de mesa.
4. Deixar ferver aproximadamente 10 minutos, mexendo de vez em quando;
5. Retirar as folha de loureiro;
6. Ralar tudo muito bem com a varinha mágica
7. Preparar as sopas, de marisco e rabo de boi, separadamente e de forma individual, (demora cerca de 15 minutos).
8. Acrescentar as sopas ao “molho” principal (estrugido).
9. Ralar novamente com a varinha (cerca de 2 minutos).
10. De forma a apurar, deixar ferver 10 minutos, mexendo continuamente e servir bem quente.
11. Se necessário, engrossar o molho com farinha tipo
“Maizena”.

Originalmente, a francesinha era servida de forma simples, todavia, actualmente é, ou
pode ser, servida e/ou acompanhada por:
Ovo frito.


Batata frita.


Lagostim .







A bebida que melhor representa e acompanha esta fabulosa e distinta iguaria Portuense, é a cerveja!

Receita original recebida por e-mail pela mão do amigo João Soares.

Recomenda-se moderação na ingestão deste delicioso prato... a que poucos muito resistem, incluindo os administradores deste Blog :)))

Como costumo dizer, uma vez de vez em quando só faz bem.

Fernanda Fereira (Ná)

terça-feira, 6 de abril de 2010

Caracol Doce


Ingredientes da massa:

15 g de fermento fresco
140 ml (1/2 copo) de leite morno
1 colher (sopa) de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
2 colheres (sopa) de açúcar
1 ovo
385 g (2 ½ xícara de chá) de farinha de trigo

Recheio:

500 ml de leite
1 lata de leite condensado
1 gema
3 colheres (sopa) rasas de amido de milho (maisena)

Cobertura:

2 colheres (sopa) de leite misturadas com 2 duas gemas de ovo.

Modo de fazer:

Massa: em uma tigela colocar o leite morno (cuidado, não pode ser quente) e dissolver o fermento. Acrescentar a manteiga, em temperatura ambiente, o açúcar, o ovo e misturar tudo muito bem. Aos poucos juntar a farinha de trigo e amassar até obter uma massa lisa e que se desprende das mãos.

Cobrir e deixar descansar por cerca de uma hora ou até dobrar de volume.

Recheio: Bater todos os ingredientes no liquidificador, colocar em uma panela, levar ao fogo, mexendo sempre até obter um creme. Retirar do fogo e deixar esfriar.

Nesse ponto se quiser pode-se adicionar 100 g de coco ralado.

Abrir a massa com o pau de macarrão, na forma de um rectângulo e espalhar o recheio. Enrolar e cortar fatias de mais ou menos 5 cm.

Arrumar as fatias em uma forma de buraco no meio, untada e enfarinhada, colocando uma fatia ao lado da outra, deixando um espaço entre elas para poderem crescer.

Deixar descansar por mais meia hora. Pincelar com a cobertura, levar ao forno pré aquecido a 180°C por cerca de 40 minutos ou até que esteja dourado.

Desenformar morno.

Receita da amiga Teresa do Blog - Sbrigati in Cicina.

domingo, 4 de abril de 2010

Hortas biológicas


Por estar dentro dos objectivos deste espaço e por se pensar haver muitosd visitantes interessados, transcreve-se o artigo:

Aprenda a plantar vegetais naturais em qualquer lado... incluindo na varanda
Diário de Notícias. 04-04-04-2010. Por Bruno Abreu

Aquele vaso que tem à entrada da sua casa pode ser um excelente local para semear uns coentros ou umas alfaces. Se não sabe como, leia este texto e veja como a Fundação Biológic@ o pode ajudar a comer vegetais saborosos e sem uma pinga de pesticidas nem herbicidas.

Com um puxão despachado, Teresa Fiúza arranca uma tangerina da árvore. Sem demora, abocanha a casca para ver se está boa. Após um sinal de aprovação, vira-se e exclama enquanto sorri: "Agricultura biológica é isto: ir à árvore, pegar na fruta e comer logo, sem haver preocupação se ela tem pesticidas ou herbicidas." Se acha que esta é uma ideia que lhe interessa, a Fundação Biológic@ pode dar uma ajuda com os seus cursos para hortas ecológicas. Ao alcance de todos, quer tenha um terreno com alguns hectares ou só uns vasos na varanda.

Teresa Fiúza estava calmamente sentada na sala da sua Quinta do Paraíso, quando ouviu falar pela primeira vez, no programa de televisão Biosfera, numa fundação que ensinava a plantar e a tratar de hortas biológicas. "Enviei logo um e-mail a mostrar-me interessada. Avisei que não era agricultora e que tinha apenas um bocado de terreno onde queria plantar umas alfaces para o Banco Alimentar", conta.

Sofia Lobo, da Biológic@, ficou interessada nesse "bocado de terreno" que afinal, ficou a saber mais tarde, eram 30 hectares. Agora, Teresa Fiúza, que participou num dos cursos da fundação, já tem um vasto quintal biológico. Lá planta, além das alfaces, couves, brócolos, cebolas, nabos, ervilhas, alhos e nabiças. "Sete mil pés, tudo natural", não se cansa de repetir.

"Qualquer espaço dá para fazer uma horta ou uma mini-horta. Só tem de se adaptar o que se pretende cultivar ao espaço", explica Sofia Lobo. Um quintal pode ser um bom local para plantar, assim como uns vasos na sua varanda, caso more num apartamento. "É algo que os ingleses fazem desde há muito, os chamados kitchen gardens e que, felizmente, têm vindo a ganhar cada vez mais adeptos em Portugal", diz. As preferências dos "agricultores de varanda" passam pelas ervas aromáticas e condimentares. De entre os legumes, as alfaces são as preferidas, mas há muitos que cultive de tudo, até batatas em vasos.

Nos cursos da Fundação Biológic@ aprende-se como controlar e tratar pragas sem químicos, assim como fertilizar as plantas sem usar adubos artificiais. "Ponho urtigas e outras plantas num bidão com água e uso como fertilizante. Tenho cavalos, ovelhas e patos e do que eles deixam aproveito para fazer compostagem", diz Teresa Fiúza, que condena os preços a que são vendidos os produtos "bio".

"Compro sementes biológicas que vêm do estrangeiro. Uma embalagem dessas sementes de alho-francês custa menos do que chupa-chupa. Não percebo como é que nos supermercados vendem pacotes de alho-francês a oito euros." Por isso promete que, quando começar a vender os seus produtos na Quinta - por volta de Maio ou Junho -, vai ter preços mais baixos do que os outros, porque "vender alho-francês a seis euros o quilo é pura especulação".

Tão especulativo que Sofia Lobo considera que no futuro a agricultura biológica poderá alimentar o mundo inteiro: "Se virmos bem a quantidade de desperdício alimentar que existe, principalmente nas grandes superfícies, concluímos que precisamos de menos alimentos do que o que consumimos. Há também imensas terras por cultivar, sendo Portugal exemplo disso, assim como o continente africano", explica.

A agricultora da Quinta do Paraíso conta ainda que descobriu a parte humana da agricultura biológica. Toda a família intervém nas culturas, juntando-se para semear, colher, lavar e comer os seus produtos.

Os seus netos levaram algumas alfaces para a escola, para os colegas comerem. A satisfação foi geral e todos elogiaram o "sabor natural a antigamente".

Bolo de chocolate diferente e leve!

Ingredientes:

- 3 “petits suisses” naturais;
- 200 g de chocolate (tablete);
- 3 ovos;
- 150 g de açúcar;
- 50 de farinha.

Preparação:

Misture os “petits suisses” com os ovos, junte o açúcar e a farinha. Derreta o chocolate no micro-ondas e junte ao preparado anterior.
Leve ao forno já quente, numa forma (não muito grande) untada com manteiga e polvilhada com farinha. E cuidado com o tempo de cozedura: gosto dele meio mousse de chocolate, meio bolo. Mal tenha alguma firmeza, retiro-o logo do forno.
Apreciação:
É muito bom e é verdade que nem sequer se nota diferença pelo facto de não levar manteiga. E assim “meio derretido”…hum..
Ah, para o enfeitar um bocadinho, coloquei em cima de cada fatia uma espécie de bolachinha pequenina também francesa (comprada no mesmo sítio), muito, muito boas, com recheio de praliné..são pequeninas, pequeninas…e tão boas! Um regalo!

Fernanda Ferreira (Ná)

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Consumo de Sal e AVC

Transcrição:

Portugueses abusam muito do sal
24 Horas - 01-04-2010

Nós, os portugueses, temos o problema do sal. O português consome demasiado sal”. A preocupação é de Manuel Carrageta, presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia, que considera o sal um dos principais inimigos no combate e prevenção do acidente vascular cerebral (AVC).

“A hipertensão arterial é um dos principais factores de risco para o aparecimento de um AVC. E o sal contribui para o problema”, explica ao 24horas o cardiologista. E o problema é grande: “É impressionante! É um problema de saúde pública. Morrem, em média, duas pessoas por hora com AVC”.

O especialista aponta o pão, a manteiga, o queijo, a fast-food a comida enlatada como as principais fontes do excesso de sal: “No pão a legislação está a caminhar no sentido da redução, mas nos enlatados ainda há muito sal”.

A causa do problema é antiga e tem a ver com a chegada tardia dos frigoríficos a Portugal. “Antigamente, os alimentos eram conservados com sal e habituámo-nos a esse sabor”, justifica. Mas há uma solução: “As nossas papilas gustativas habituam-se facilmente a alimentos que tenham menos sal”.

Exercício a sério

Menos sal, uma vida menos sedentária e nenhum tabaco são as chaves para evitar um AVC. O cardiologista Manuel Carrageta explica ainda que o exercício deve ser levado a sério como medida de prevenção: “Quando se deixa de praticar exercício, perde-se os benefícios em apenas alguns dias”.

Depois é preciso estar atento aos sinais: entorpecimento, formigueiro ou fraqueza na cara, braço ou perna, especialmente num dos lados do corpo, sensação de confusão, dificuldade em falar e compreender, dificuldades de visão, falta de equilíbrio e dor de cabeça forte sem causa aparente.

“O AVC é uma doença súbita, se lhe aparecer repentinamente um destes sintomas, ligue para o 112 imediatamente”, recomenda o médico.

Sobre o tema, sugere-se a leitura de:

Sal e a hipertensão
AVC mata
Como prevenir o AVC
Como reconhecer um AVC e actuar

Cuidados com a saúde depois dos 60 anos

Sempre que dou aula de Clínica Médica a estudantes do quarto ano de Medicina, lanço a pergunta:

-Quais as causas que mais fazem o vovô ou a vovó terem confusão mental?

Alguns arriscam: "Tumor na cabeça".
Eu digo: "Não". Outros apostam: "Mal de Alzheimer".
Respondo, novamente: "Não".
A cada negativa a turma espanta-se.
E fica ainda mais boquiaberta quando enumero os três responsáveis mais comuns:

- diabetes descontrolado;
- infecção urinária;
- a família passou um dia inteiro no shopping, enquanto os idosos ficaram em casa.

Parece brincadeira, mas não é. Constantemente vovô e vovó, sem sentir sede, deixam de tomar líquidos.
Quando falta gente em casa para lembrá-los, desidratam-se com rapidez.
A desidratação tende a ser grave e afeta todo o organismo. Pode causar confusão mental abrupta, queda de pressão arterial, aumento dos batimentos cardíacos ("batedeira"), angina (dor no peito), coma e até morte.
Insisto: não é brincadeira.
Na terceira idade, que começa aos 60 anos, temos pouco mais de 50% de água no corpo.
Isso faz parte do processo natural de envelhecimento. Portanto, os idosos têm menor reserva hídrica..
Mas há outro complicador: mesmo desidratados, eles não sentem vontade de tomar água, pois os seus mecanismos de equilíbrio interno não funcionam muito bem.

Conclusão:

Idosos desidratam-se facilmente não apenas porque possuem reserva hídrica menor, mas também porque percebem menos a falta de água em seu corpo.
Mesmo que o idoso seja saudável, fica prejudicado o desempenho das reações químicas e funções de todo o seu organismo.

Por isso, aqui vão dois alertas.

O primeiro é para vovós e vovôs: tornem voluntário o hábito de beber líquidos.
Por líquido entenda-se água, sucos, chás, água-de-coco, leite. Sopa, gelatina e frutas ricas em água, como melão, melancia, abacaxi, laranja e tangerina, também funcionam. O importante é, a cada duas horas, botar algum líquido para dentro.
Lembrem-se disso!
Meu segundo alerta é para os familiares: ofereçam constantemente líquidos aos idosos.
Ao mesmo tempo, fiquem atentos. Ao perceberem que estão rejeitando líquidos e, de um dia para o outro, ficam confusos, irritadiços, fora do ar, atenção. É quase certo que sejam sintomas decorrentes de desidratação.
"Líquido neles e rápido para um serviço médico".

Autor: Arnaldo Lichtenstein (46), médico, é clínico-geral do Hospital das Clínicas e professor colaborador do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

Recebido por e-mail do amigo João Garção

Sobre este tema sugere-se a leitura de:

A importância da água e a Saúde...
Prisão de ventre como a tratar
Água com estômago vazio