Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Bagas de Goji – O que é o Goji e quais os seus benefícios


O Goji tem sido a grande sensação dos últimos tempos, e são dados a conhecer a cada dia que passa mais estudos e estudos cada vez mais aprofundados sobre esse fruto maravilhoso.
Por isso quero dar-vos a conhecer algumas das suas propriedades e usos.
Goji é a fruta da planta Lycium barbarum, proveniente dos Himalais, (Norte da China e Tibete). Apresenta-se em forma de baga vermelha. O seu aspecto assemelha-se em muito à nossa conhecida uva passa.
Embora seja usado há milhares de anos na China, Tibete e Índia, tanto na alimentação como constituinte de fórmulas de fitoterapia da Medicina Tradicional Chinesa, só começou a despertar o interesse da ciência ocidental, quando se começou a descobrir a sua qualidade nutritiva e o seu poder antioxidante.
Informação Nutricional
Um pequena síntese do seu valor nutritivo:
  • Contém 19 aminoácidos, incluindo 8 aminoácidos essenciais.
  • Contém 21 minerais vestigiais, incluindo Germânio , com actividade anti-cancerígena, que é raro como fito-nutriente.
  • Contém grande teor de proteínas.
  • Contém o espectro completo de carotenóides antioxidantes, incluindo Beta-caroteno (em maior concentração que a cenoura) e zeaxantina (protector dos olhos). O Goji é a maior fonte de carotenóides conhecida.
  • Contém 2500 mg de vitamina C por 100 gramas da fruta.
  • Contém Beta-Sisterol, fito-nutriente com função anti-inflamatória, que ajuda também a equilibrar os níveis de colesterol e pode ser usado no tratamento de impotência sexual e equilíbrio da próstata.
  • Contém ácidos gordos (ómega 3 e 6), que são necessários para síntese de hormonas e regula o funcionamento do cérebro e sistema nervoso.
  • Contém Cyperone, um fito-nutriente que traz benefícios ao coração e à pressão sanguínea.
  • Contém Physalin, fito-nutriente usado nos transtornos da hepatite B.
  • Contém Betaína, fito-nutriente usado pelo fígado para produzir colina. A betaína doa grupos metil, promovendo reacções energéticas no corpo, ajuda a reduzir o nível de homocisteína, um factor de risco em problemas cardíacos, protege a célula ao nível de DNA.
Benefícios das Bagas Goji
  • Protege o corpo do envelhecimento e aumenta a longevidade
  • Promove a energia e bem-estar em geral
  • Protege contra doenças cardio-vasculares e inflamatórias
  • Fortifica e mantém um sistema imunitário saudável
  • Alguns estudos apontam como tendo propriedades anti-cancerígenas
  • Combate a artrite
  • Baixa o colesterol
  • Equilibra os níveis de pressão do sangue
  • Ajuda no processo digestivo e na perda de peso
  • Melhora os níveis de insulina nos diabéticos
  • Melhora as cataratas, a visão turva e a audição
  • Fortalece e suporta a função saudável do fígado e dos rins
  • Fortalece os ossos e os tendões
  • Mantém um sistema nervoso saudável
  • Protege a pele dos danos causados pelo sol
  • Aumenta a libido e o desempenho sexual
  • Promove a fertilidade

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Naftalina pode causar cancro


As notícias Naftalina pode causar o cancro e deve ser banida e Naftalina em espaços fechados pode causar cancro dizem que «num documento com linhas orientadoras para a qualidade do ar em espaços fechados, a Organização Mundial de Saúde (OMS juntou cerca de 60 investigadores internacionais de várias áreas, que estudaram nove poluentes que indiciam níveis máximos de exposição em casas, escritórios ou outros espaços fechados. Dos poluentes estudados, a naftalina, que é usada por decisão consciente pelos utilizadores dos espaços fechados, foi classificada como "possivelmente cancerígena" para humanos, dadas as conclusões de testes em ratinhos de laboratório.

Imagem do DN

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Exercício físico contra a depressão


Transcrição de artigo do JN:


Jornal de Notícias. 20-12-2010. Por Eduarda Ferreira

Exercício físico pode ajudar pacientes com depressão.

Fazer exercício físico parece determinante na saída de uma situação de depressão profunda. O enquadramento dessa actividade marca também a diferença nos doentes seguidos em consulta e medicados. "Mexa-se! Pela sua depressão", é novo conselho médico.

Uma percentagem significativa (21%) de doentes com depressão grave recuperou da doença depois de ter seguido um programa diário de exercício físico, mantido a par da medicação. Outros doentes, apenas medicados, não alcançaram o mesmo resultado, de acordo com um estudo para que foram seleccionados 33 doentes da consulta externa de psiquiatria do Hospital de Magalhães de Lemos, no Porto.

Caminhadas numa passadeira rolante a cinco km/hora ou num ambiente perto de casa, durante 30 a 45 minutos, cinco vezes por semana. A proposta foi feita a 23 pessoas de entre as 33 com depressão "major" seleccionadas para o estudo coordenado por Jorge Mota Pereira, médico de psiquiatria, que contou com a colaboração da Universidade do Minho e da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto.

O estudo, que mereceu o primeiro prémio entre os 206 "posters" apresentados no VI Congresso Nacional de Psiquiatria da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, realça nos seus resultados que a actividade física, moderada e regular, contribui para uma percentagem significativa de curas em caso de depressão profunda. Essa conclusão decorre da comparação entre dois grupos de doentes. Dez de entre os 33 seleccionados não fizeram exercício regular, sendo que todos seguiam a medicação adequada para as situações de depressão "major".

O que os autores do estudo verificaram foi que dos 23 que praticaram exercício físico (sendo que 91% deles fizeram mesmo o combinado com a equipa de investigação) cinco tiveram remissão total e quatro ficaram muito melhor. De acordo com Jorge Mota Pereira, os resultados foram tanto mais positivos quanto três dos doentes, que estavam de "baixa", retomaram o trabalho. Em síntese, "houve uma taxa de remissão de 21%, o que é excelente".

O médico de Psiquiatria destaca o facto de ter sido evidenciado que o exercício é o factor que potencia a medicação adequada á depressão. E sublinha que essa actividade dos doentes foi devidamente enquadrada por técnicos, com explicações, envio de SMS e ensino de truques para lembrar os exercícios.

Além disso, os doentes, todos eles foram monitorizados por um acelerómetro, que só retiravam na hora de se deitarem. O aparelho monitorizava todos os seu movimentos. "O exercício físico funciona por si, dado facilitar a produção de endorfinas e outros mediadores químicos cerebrais", admite o autor principal do estudo.

Imagem do JN

Receitas de Natal- *SONHOS*

Esta deliciosa receita "surripiei" do blogue " Made in Portugal"




"Sweet Dreams (are made of this), diz a letra de uma conhecida música.
Estes sonhos feitos de amor e açúcar, sem crise.
Muito doces e com sabor a canela e a casa da avó…" texto do polittikus
  • Ingredientes:
2,5 dl de água e leite (metade de cada)
Meio quilo de acúcar
50 g de margarina
4 cascas de limão
150 g de farinha de trigo
3 ou 4 ovos, conforme o tamanho
1 pitada de sal
1 pau de canela
1 colher(chá) de canela moída
Vinho tinto ou branco
  • Preparação:
Calda: Comece por fazer a calda para os sonhos. Leve ao fogo cerca de meio quilo de açúcar. em uma panela cubra o açúcar com cerca de dois a três dedos de água e vinho do Porto branco ou tinto, este em maior quantidade para fazer uma calda. Junte a casca de dois limões e um pau de canela e pode colocar também uma colher de chá de canela moída. Deixe ferver lentamente, até obter um ponto mais ou menos pastoso. Mantenha-o mais ou menos quente, um pouco acima de morno.

Massa: Coloque o leite e a água numa panela com as cascas de limão e a margarina e leve ao fogo. Coloque uma pitada de sal. Quando começar a ferver, junte duma só vez a farinha de trigo. Mexa energicamente, deixando cozer até a massa se transformar numa bola e descolar-se do fundo, não parando de mexer.

Tire do fogo, deixe arrefecer e retire as cascas de limão. Numa tigela coloque a massa já fria e junte os ovos, um a um, batendo muito bem entre cada um, até obter uma massa consistente, homogênea e lisa. Em frigideira com bastante óleo, frite colheradas de massa. Normalmente crescem muito, se a massa foi bem batida.

Se não se virarem sozinhos, ajude-os a virar e quando estiverem dourados, retire e deixe escorrer. Depois de fritos, passe-os pela calda que deve estar mais que morna, ou com ajuda duma tenaz de salada ou com dois garfos.

Dicas:

Não frite a mais de 175º.
Também pode passá-los, depois de fritos por açúcar e canela.
O segredo dos sonhos está no bater muito bem a massa.
Uma frigideira redonda que leve dois litros de óleo, frita 9, (nove) sonhos de cada vez. Numa rectangular, 6 já ficam apertados e algumas até levam 2,5 litros de óleo.

Entrem e sirvam-se...

domingo, 19 de dezembro de 2010

Cuidados com o cólon. Convém prevenir

Transcreve-se artigo a que segue uma NOTA:

Cancro do cólon mata 10 pessoas por dia
Jornal de Notícias. 19-12-2010. Por Eduardo Pinto

Todos os anos surgem em Portugal sete mil novos casos de cancro do cólon, com uma taxa de mortalidade superior a 50%. Morrem 10 pessoas por dia. Os números fazem parte da campanha de sensibilização e prevenção da Europacolon Portugal.

"É uma doença que tem 90% de probabilidade de cura se for encontrada numa fase precoce", advertiu, ao JN, Vítor Neves, presidente da Associação Europacolon Portugal, salientando que o cancro do intestino demora "seis a oito anos a evoluir".

Daí que recomende que "a partir dos 50 anos, homens e mulheres devem fazer um rastreio". O mesmo conselho se aplica "se houver ligações hereditárias mesmo que não tenha aquela idade". Se assim for, garante: "Estaremos a contribuir para que a incidência seja menor".

A Europacolon Portugal tem andado a pressionar as autoridades de saúde nacionais para que se implemente um rastreio do cancro do intestino e que deve ser obrigatório a partir dos 50 anos de idade. "Há apenas um projecto-piloto na região centro, mas é obrigatório que se faça em todo o país. Ele está na agenda para 2011, mas também já estava para 2010".

Vítor Neves acredita que o investimento no rastreio "permitirá poupar milhões de euros em internamentos, tratamentos de quimioterapia e custos sociais dentro de três ou quatro anos. É uma opção que o governo tem de tomar".

Nas sessões que decorrem por todo o país, Vítor Neves explica os sintomas do cancro do cólon: "aparecimento de sangue nas fezes, dores abdominais, alterações dos hábitos intestinais, emagrecimento contínuo, cansaço". Mas ressalva que ter estes sintomas "não quer dizer que se tenha um cancro".

Quer dizer que a pessoa é "obrigada a ir ao médico de família". As causas até podem ser outras, mas "se for uma neoplasia no intestino ainda pode ir a tempo de ser tratado".

Para prevenir as doenças, as pessoas devem, em termos alimentares, preferir carnes brancas às carnes vermelhas, ingerir cinco doses de fruta e legumes todos os dias, preferir beber água e praticar exercício físico com regularidade.

Vítor Neves sublinha que "não há necessidade de ser fanáticos e deixar de comer aquilo de que gosta, mas deve-se diversificar para aumentar a protecção".

"O aparelho digestivo é como o motor de um automóvel. Se pusermos açúcar ou sal na gasolina ele vai durar menos tempo. O nosso estômago e o intestino são a mesma coisa", exemplifica.

A quem já tem cancro, Vítor Neves sugere "aumentar o autoconhecimento da doença", de modo a detectar as formas como podem sobreviver sem tanta necessidade de terceiros. E realça que a medicina tem evoluído muito, que há já formas médicas de estabilizar a doença durante vários anos. A Europacolon Portugal - Associação de Luta Contra o Cancro do Intestino, é uma associação sem fins lucrativos que existe há três anos e que tem sede no Porto.

Dedica-se a fazer campanhas de sensibilização e prevenção em todo o país. No sítio da internet http://www.europacolon.pt/ podem conhecer informação variada sobre a doença e testemunhos de pacientes, bem como possibilita a participação num fórum só para doentes colostomizados (que ficam privados de utilizar o intestino de forma completa).

NOTA: Neste blogue, em que se procura alertar os leitores para cuidados com a saúde, podem ser encontrados posts sobre produtos naturais que são recomendados para evitar, retardar, ou até curar alguns casos neoplasias. No espaço em branco em cima à esquerda escreva cancro e faça clic na lupa existente à direita nesse espaço. Encontrará leitura variada que lhe pode interessar.


Imagem da Net

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Refrigerantes


Quando você acaba de beber um refrigerante...


Pelo Prof. Dr. Carlos Alexandre Fett Faculdade de Educação Física da UFMT, Mestrado da Nutrição da UFMT Laboratório de Aptidão Física e Metabolismo, Consultoria em Performance Humana e Estética

O QUE ACONTECE QUANDO VOCÊ ACABA DE BEBER UMA LATA DE REFRIGERANTE

Primeiros 10 minutos:
10 colheres de chá de açúcar batem no seu corpo, 100% do recomendado diariamente.
Você não vomita imediatamente pelo doce extremo, porque o ácido fosfórico corta o gosto.

20 minutos:
O nível de açúcar em seu sangue estoura, forçando um jorro de insulina.
O fígado responde transformando todo o açúcar que recebe em gordura (É muito para este momento em particular).

40 minutos:
A absorção de cafeína está completa. Suas pupilas dilatam, a pressão sanguínea sobe, o fígado responde bombeando mais açúcar na corrente. Os receptores de adenosina no cérebro são bloqueados para evitar tonteiras.

45 minutos:
O corpo aumenta a produção de dopamina, estimulando os centros de prazer do corpo. (Fisicamente, funciona como com a heroína..)

50 minutos:
O ácido fosfórico empurra cálcio, magnésio e zinco para o intestino grosso, aumentando o metabolismo.
As altas doses de açúcar e outros adoçantes aumentam a excreção de cálcio na urina, ou seja, está urinando seus ossos, uma das causas das OSTEOPOROSE.

60 minutos:
As propriedades diuréticas da cafeína entram em ação. Você urina. Agora é garantido que porá para fora cálcio, magnésio e zinco, dos quais seus ossos precisariam..
Conforme a onda abaixa você sofrerá um choque de açúcar. Ficará irritadiço. Você já terá posto para fora tudo que estava no refrigerante, mas não sem antes ter posto para fora, junto, coisas das quais farão falta ao seu organismo.

Pense nisso antes de beber refrigerantes. Se não puder evitá-los, modere sua ingestão! Prefira AGUA ou sumos naturais. Seu corpo agradece!

Se achar interessante, divulgue. Certamente estará fazendo bem a alguém.

ESCOLHA SER FELIZ!

Por sugestão, do amigo João...

"Este post ficaria bem no seu blog Saúde e Alimentação.
A nossa saúde depende de dois factores:
- o que se come e bebe e
- os nossos pensamentos.
 Para ter saúde, para ser feliz, é preciso dar prioridade aos pensamentos positivos, construtivos. É preciso afastar tudo o que preocupa e faz doer. Perante uma dificuldade devemos concentrar as forças na procura da melhor solução e evitar «chorar sobre o leite derramado»."


Este alerta está colocado na porta de um espaço terapêutico
O resfriado ocorre quando o corpo não chora.
A garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O coração desiste, quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
O coração enfarta quando chega a ingratidão.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a"criança interna" tiraniza.
O plantio é livre. A colheita, obrigatória.

P.S.: Normalmente, o(s) sintoma(s) ocorre(m) três dias após o "acontecido".
Descubra o que o prejudicou e coloque para fora, em conversa com amigos ou com um profissional, que você se cura!
Sua saúde e sua vida dependem de suas escolhas!
E ainda:
Escolha ser feliz!

"Faça o que for necessário para ser feliz.
 Mas não se esqueça de que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade."
                                                    Mario Quintana

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Doces de Natal - Azevias de grão

 

  • Ingredientes:
Para a massa:
• 1000 grs de farinha sem fermento;
• 300 gr de banha;
• 500 gr de água;
• 10 gr de sal;
• Aguardente q.b.;
• 1 gema de ovo.

Para o recheio:
• 1000 gr de grão cozido;
• 1000 gr de açúcar;
• 1 pau de canela;
• 1 casca de limão;
• 4 gemas mais cerca de 200 grs de amêndoa moída (opcional).

  • Preparação:
Retire a casca ao grão o mais que puder, juntar com o açúcar, pau de canela e casca de limão, leve ao lume e ferva mais ou menos 1 hora, mexendo sempre para não pegar. Retire do lume, junte as gemas e a amêndoa, e leve novamente ao lume para cozer as gemas.
Deixar arrefecer.
Entretanto, prepare a massa: amasse a banha com a farinha até estarem bem misturadas, junte a água aos poucos e os restantes ingredientes até obter uma massa homogénea (tempo de amassar: cerca de 45 minuto).
Estique a massa, coloque porções de recheio separadas (tipo rissol), dobre e, com a carretilha, corte tipo almofada.
Frite em óleo bem quente e passe por açúcar e canela.

Bom apetite!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

RECEITAS PARA O NATAL - Perú Assado com Arroz de Passas

Ingredientes:

  • 2,1 kg de perú
  • 0.5 lt de vinho branco
  • 50 g pimentão doce
  • 50 g de massa de pimentão
  • 8 dentes de alho
  • piri-piri q.b.
  • 2 laranjas
  • 50 g de margarina
  • 2 dl. de azeite
  • 3 Cebolas
  • sal q.b.
  • 0,600 kg de arroz vaporizado
  • 0,100 kg de passas de uva
  • + 3 dentes de alho
  • 1 dl. de azeite

Preparação:

Forma-se uma pasta com vinho, o pimentão, a massa de pimentão, o alho picado, o piri-piri, o sumo de laranja e o sal. Reserva-se. Corta-se o perú aos pedaços e barra-se com a pasta. Cobre-se um tabuleiro com as cebolas às rodelas e colocam-se os pedaços do perú, regando-os com o restante molho. Colocam-se em cima das nozes de margarina e leva-se ao forno. Num tacho alouram os alhos com o azeite e frita-se o arroz. De seguida juntam-se as passas. Quando o arroz começa a escurecer, vai-se acrescento água, tapa-se até estar cozido.


N.B.:
Embora estejamos a ultilizar um arroz aparentemente mais caro, no final sai mais económico, pois não tem desperdícios. Enfeita-se o prato com maçã cortada em quartos, também esta, assada no forno.

RECEITAS PARA O NATAL- Cabrito à Padeiro

Ingredientes:

  • 1,5 kg de cabrito
  • 5 cebolas
  • 4 dentes de alho
  • 1/2 colher (sopa) de colorau
  • 2 folhas de louro
  • 1 dl de vinho branco
  • 3 dl de azeite
  • 1,2 kg de batatas
  • sumo de meio limão
  • sal e pimenta q.b.

Preparação:

Cortar o cabrito em pedaços e cobrir com 2 cebolas, os alhos picados e temperar com sal, pimenta, colorau, louro e o vinho branco. Deixar marinar cerca de 4 horas. Findo esse tempo colocar a carne num tabuleiro, juntamente com a marinada. Adicionar metade do azeite e levar ao forno, a 200º cerca de 35 a 40 minutos.
Descascar as batatas e as restantes cebolas em gomos. Temperar com sal, pimenta, colorau e o restante azeite e levar ao forno a 200º por 40 minutos
Antes de servir regar com o sumo de limão!

Observações: As batatas podem ser adicionadas juntamente com a carne, mas pessoalmente gosto mais quando assadas em separado!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Receitas para o Natal - Arroz de Polvo



Ingredientes:

  • 1 polvo com cerca de 2,5 kg
  • 800 g de arroz
  • 5 dl de vinho tinto
  • 400 g de cebolas
  • 6 dentes de alho
  • 2 dl de azeite
  • 400 g de tomate
  • 150 g de pimento
  • sal, pimenta e piri-piri q.b.

Preparação:

Amanhe e lave o polvo. Coza em água com vinho tinto. Retire do lume, escorra e deixe arrefecer o polvo e corte-o às rodelas. Coe e reserve o caldo da cozedura. Descasque, lave e pique as cebolas e os alhos. Pele, limpe as grainhas e pique o tomate. Aloure o alho e a cebola em azeite. Junte o polvo e deixe refogar. Adicione o tomate e o pimento previamente cortado em juliana. Tempere com sal, pimenta e piri-piri.
Lave e escorra o arroz. Adicione ao refogado o caldo reservado no quádruplo do volume de arroz e deixe ferver. Junte o arroz e deixe cozer. Rectifique os temperos. Sirva o arroz malandro, em prato individual.

retirado daqui

Receitas para o Natal - Bacalhau no Forno

Natal - a grande festa do ano.

 " ...há um só banquete que desbanca todos os jantares de Paris, mas que os desbanca inteiramente: é a ceia de véspera de Natal nas nossas terras do Minho..."       
                                             Ramalho Ortigão


Bacalhau no Forno

É feita no forno como a bacalhoada dos mais tradicionais restaurantes portugueses. É fácil e deliciosa e o bacalhau fica muito mais húmido e gostoso do que o cozido em água.

Ingredientes:
- 4 postas de lombo de bacalhau
- 3 Kg de batatas inglesas (pesadas com casca)
- 4 tomates
- 12 dentes de alho
- 4 cebolas
- 2 pimentões
- sal fino
- salsa e cebolinha desidratados
- azeitonas verdes
- azeite extra-virgem

Preparo:
Tire a pele do bacalhau. Comece a demolhá-lo de 24 a 48 horas antes do preparo .

No dia do preparo, descasque as batatas e corte-as em rodelas grossas (cerca de 2 cm). Descasque os dentes de alho (se o alho tiver um miolo fibroso, corte o dente ao meio e retire-o). Descasque as cebolas e corte-as em 4. Retire o miolo branco e as sementes dos pimentões e corte-os em rodelas. Corte os tomates em rodelas e tire as sementes (a pele pode ser retirada com o auxílio de uma faca afiada).

Pré-aqueça o forno a 200°C (temperatura média-alta). Separe duas formas rectangulares (uma média e uma grande) que caibam juntas no forno. Forre as duas formas com folhas de alumínio. Na forma grande, coloque os dentes de alho, as batatas, as cebolas, os pimentões e os tomates (nessa ordem). Polvilhe tudo com sal fino, salsa e cebolinha. Cubra a forma com outra folha de alumínio, vedando-a da melhor forma possível, para que o vapor formado durante o cozimento não escape.

Na forma média (também forrada com alumínio), disponha as postas do bacalhau (prove o bacalhau para saber se é preciso corrigir o sal) e cubra a forma com alumínio, exactamente da mesma maneira que a outra forma foi coberta.

Levar as duas formas ao forno. O bacalhau deve assar por cerca de 15 minutos (ou até fique visível a separação das lascas). Depois desse tempo, ele deve ser retirado do forno. Retire as espinhas e separe as lascas. As batatas devem assar por cerca de 30 a 45 minutos ou até que fiquem macias.

Depois de assados, os vegetais devem ser colocados em uma travessa grande. Por cima deles, espalhe o bacalhau, as azeitonas, regue com azeite de oliva extra-virgem e sirva.

Rendimento: 6 porções.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Laringite

Saiba quando recorrer a um médico e o que pode fazer em caso de suspeita de uma laringite.

  • Sintomas
Criança: durante uma rinofaringite, modificação de voz (que se torna rouca), tosse muitas vezes estridente e dificuldades respiratórias durante a inspiração. Febre pouco elevada (38°C). A criança não se baba nem se sente mal quando deitada.
Adulto: no final de uma constipação ou de uma bronquite, rouquidão ou falta de voz (afonia). Pouca febre; não há dificuldades respiratórias.
  • Pessoas mais em risco
Adultos e crianças (frequente entre 1 e 3 anos).
  • Porque dói?
A laringite é a maior parte das vezes uma infecção viral que provoca uma inflamação local com inchaço (edema) da laringe. Além disso, a tosse provocada pela irritação pode aumentar a inflamação. É um verdadeiro ciclo vicioso. É esta inflamação que está na origem da dor e das dificuldades respiratórias na criança (devido ao tamanho da sua laringe).
  • O que pode fazer?
Criança: aplique frequentemente soro fisiológico no nariz; humidifique a atmosfera colocando, por exemplo, tachos com água quente no quarto da criança.
Consulte o médico, pois um tratamento médico é sempre necessário a fim de evitar o reaparecimento das dificuldades respiratórias.
Adulto: Repouse a voz (evite falar durante pelo menos 5 dias).
Em caso de laringites repetitivas (tanto no adulto como na criança), consulte o médico e mande fazer um exame especial para encontrar uma causa local (malformação congénita ou angioma na criança, tumor no adulto).
  • Que tratamento?
Medicamentos
Os antibióticos são inúteis, pois trata-se de uma infecção viral. O tratamento assenta nos anti¬-inflamatórios de tipo corticóide em aerossol, comprimidos ou injecções. Na criança, no caso de estes tratamentos não resultarem e persistirem as dificuldades respiratórias, é por vezes necessário entubar durante alguns dias, com hospitalização em serviço de reanimação (mas este caso é raro).
As outras medicinas
Digitopunctura
Os pontos a tratar situam-se na extremidade do ângulo da unha do lado externo do polegar (faça pressão para cima e para dentro) e na extremidade da membrana entre o indicador e o polegar (faça pressão no sentido do osso do indicador).
Fitoterapia
Faça uma infusão de folhas de rinchão, de agrimónia, de silva e de hissopo (40 g de mistura cortada finamente para 11 de água, 15 minutos). Gargareje e a seguir beba 1 chávena. Repita sempre que quiser. O técnico pode ainda prescrever óleos essenciais antivirais.
Homeopatia
Deve actuar rapidamente: uma dose de Hepar sulf. 30CH, seguida de grânulos de Apis mellifica 7CH, alternados com Spongia 5CH e Sambucus nigra 5CH, de 5 em 5 minutos aproximadamente; faça intervalos maiores à medida que for melhorando. Na criança, se as dificuldades respiratórias não se alterarem em cerca de 30 minutos, consulte rapidamente o médico.
Naturoterapia
Na criança, reduza os produtos lácteos (leite, manteiga, iogurte, queijo), que favorecem a produção de mucosidades (utilize leite de soja). Consuma alho e cebola.

retirado daqui

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Aspirina . Mais um benefício


Transcrição de artigo com notícia credível, com interesse para os leitores:


Correio da Manhã. 07-12-2010. 

25 mil pacientes submeteram-se à investigação

Uma dose de 75 mg de aspirina reduz substancialmente as mortes dos pacientes com cancros mais comuns, segundo estudo britânico publicado esta terça-feira na revista médica 'Lancet'.

O estudo, realizado pela Universidade de Oxford em conjunto com outras entidades académicas, revela que a aspirina pode evitar um quinto das mortes provocadas pelos cancros comuns. A investigação foi realizada com 25 mil pacientes, maioritariamente provenientes do Reino Unido.

Os pacientes que tomaram a aspirina durante a investigação diminuíram 25 por cento de risco de morte por cancro e uma redução de dez por cento redução de morte por outras instâncias, comparado com os pacientes que não tomaram o remédio.

De acordo com o relatório agora publicado, o risco de cancro reduziu 20 por cento em 20 anos. Analisando os tipos de tumor de forma separada, verificou-se um decréscimo de risco de morte por cancro do esófago de 60 por cento, sendo o que registou a taxa de sucesso mais elevada. Também o risco de cancro nos intestino registou uma diminuição drástica, de 40 por cento. O cancro nos pulmões reduziu em 30 por cento e o da próstata 10 por cento.

O cancro do pâncreas, estômago e cérebro foram difíceis de quantificar dado o baixo número de mortes.

Os especialistas também não conseguiram tirar conclusões relativamente ao cancro da mama e dos ovários, por falta de dados.

Até ao agora apenas se sabia quea aspirina cortava os riscos de ataques cardíacos e enfartes, naqueles que têm maior predisposição, apesar de aumentar o risco de hemorragias no estômago e nos intestinos.

Peter Cardiff, epidemiologista da Universidade de Cardiff que participou no estudo, sugere que se beba um copo de leite para reduzir a irritação no estômago.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

A fonte da juventude Quer viver até aos 100? Experimente este estilo de vida.

Muitos olham para os pais para vislumbrar o seu próprio futuro. Por isso, quando a mãe de Karen Petcoff morreu, vítima de um cancro de pulmão, aos 55 anos, Petcoff decidiu fazer alguma coisa para proteger a sua saúde.
Filha de imigrantes escoceses do pós-guerra, cresceu com uma dieta cheia de carne, mas com muito pouca verdura. «Comíamos bifes do tamanho do prato», lembra. «Mas os vegetais, se os houvesse, eram de lata.»

Não vemos nenhuma carne gordurosa na sua cozinha hoje. O que havemos de ver são tigelas cheias de fruta fresca a amontoar-se nas bancadas da cozinha da sua ensolarada casa de Toronto. «Para mim, sigo aquele provérbio que diz “É vivendo e aprendendo”. Só que eu precisava de “desaprender” alguns maus hábitos e depressa», resume Petcoff, enquanto espalha uma mistura de avelãs torradas, sementes e frutos secos sobre os legumes que empilhou num pequeno prato quadrado. «Se foi a dieta da minha mãe, ou o facto de fumar, ou tudo junto, essas foram as escolhas dela. Eu decidi que não seriam as minhas.»

Petcoff, de 49 anos, mãe de duas crianças, enche um copo de vinho tinto e senta-se a comer. «Para mim, a grande mudança aconteceu após ouvir o Dan.»

Petcoff está a falar de Dan Buettner, autor do livro The Blue Zones. Viu-o pela primeira vez em Janeiro de 2009, quando deu uma palestra na Ontario Lung Association, onde Petcoff trabalha na área do marketing e comunicação. Enquanto Buettner descrevia o Projecto Blue Zones, que se tinha transformado no trabalho da sua vida, Petcoff teve um baque de consciência. «Dan estava a descrever a forma lógica e natural de melhorar a saúde pulmonar e cardíaca e o bem-estar emocional e espiritual», disse.

Ela devia sabê-lo: quase dois anos depois, está a colher os frutos do estilo de vida Blue Zones. «O facto de ter baixado o mau colesterol, de a minha tensão arterial estar agora nos 110/70 e de vestir um número abaixo do que vestia é um bónus.»

No seu livro, Buettner descreve quatro Blue Zones (zonas azuis, numa tradução literal), pequenas bolsas geográficas espalhadas pelo Mundo onde as pessoas têm vidas anormalmente longas e saudáveis: uma área montanhosa da ilha italiana de Sardenha, habitada maioritariamente por pastores, uma pequena «bolsa» em Loma Linda, Califórnia, onde vive um grupo de Adventistas do Sétimo Dia, uma região nas montanhas da península de Nicoya, na Costa Rica, que abriga uma comunidade de aldeões, e uma zona em Okinawa, Japão, morada de um grupo de jardineiros. Desde essa altura, Buettner identificou ainda uma quinta zona – na ilha de Ikaria, na Grécia – e pondera a inclusão de uma sexta – a região da Costa Sul da Nova Escócia.

Entre os residentes destas comunidades, as possibilidades de viverem até aos 100 anos é 10 vezes maior do que a média dos Norte-Americanos, enquanto a incidência de doenças cardiovasculares e cancro (as principais causas de morte no Canadá) é significativamente menor.

Para Buettner, à primeira vista estas regiões parecem incrivelmente diferentes entre si. Mas o que ele e a sua equipa de investigadores diligentes descobriram enquanto corriam o Mundo entrevistando centenários, é que há extraordinárias semelhanças na dieta e no estilo de vida entre todas estas pessoas de tão diferentes latitudes. Segundo Buettner, estes factos comuns oferecem «a melhor e mais credível informação disponível sobre a forma de acrescentar mais anos à sua vida e mais vida aos seus anos».

Tome-se como exemplo a pequena Gozei Shinzato, de Okinawa. Tinha 102 anos quando conheceu Buettner. Shinzato vivia de forma simples na sua casa de madeira e papel de arroz, comendo o alho, o melão amargo, o cebolinho e o açafrão que cultivava no jardim. E, apesar da idade, sentava-se e levantava-se agilmente do tapete onde serviu aos visitantes sopa de vegetais, tofu e chá de jasmim.

Guiseppe Mura, também de 102 anos, vivia com a sua filha, de 65 anos, e a família desta na ilha da Sardenha. Agricultor e pastor durante toda a vida, Mura bebe perto de 1l de vinho tinto por dia. Tal como a maior parte dos habitantes da Sardenha, come principalmente favas, queijo Pecorino e alguma – pouca – carne, quando tem dinheiro para a comprar, o que não acontece muitas vezes.

Buettner apercebeu-se de que o centro do estilo de vida das Blue Zones era a percepção de que os alimentos naturais e não processados – com muitos legumes e pouca carne – farão que dure mais tempo do que qualquer comprimido. E adoptar esse estilo de vida não é complicado. «A dieta Blue Zones permite uma grande variedade de alimentos de todos os quatro grupos alimentares», explica Anna Leiper, nutricionista clínica no Centro Médico Capital Health, em Halifax. «As regras são flexíveis e há o essencial: qualquer dieta que se adopte tem que ser qualquer coisa que possamos cumprir até aos 90 anos.»
Quer ser um blue zoner?
Basta seguir as regras simples de Buettner:

> Coma os legumes. Todas as dietas Blue Zones incluem, pelo menos, dois tipos de legumes a cada refeição. Além das razões habituais pelas quais deve comer vegetais (são baixos em calorias, ricos em vitaminas e fibras e vêm muitas vezes cheiinhos de antioxidantes), os cientistas descobriram mais uma: esteróis vegetais. Também conhecidos como «fitoesteróis», estes químicos existem na maioria das plantas e provou-se que diminuem os níveis de colesterol LDL – o «mau colesterol», que aumenta o risco de doença cardiovascular.

Em Maio, seguindo as indicações da Food and Drug Administration norte-americana (o equivalente ao português Infarmed), a administração de saúde canadiana validou os esteróis vegetais e anunciou que estes químicos poderiam ser acrescentados a produtos de mercearia, como as margarinas, o iogurte e os sumos. Da mesma forma, a maior parte das autoridades de saúde dos países da União Europeia e da Austrália validaram os esteróis vegetais como um aditivo alimentar que ajuda a baixar o colesterol. Os esteróis podem parecer uma solução fácil, mas há que ter cuidado: apesar do efeito que mostraram ter sobre o LDL, os seus benefícios sobre a saúde cardiovascular ainda não estão provados. «A melhor forma de consumir esteróis vegetais», adverte Leiper, «é através da ingestão de muitos legumes, frescos ou congelados

> Feijão, feijão, feijão. A par da soja, estas leguminosas são uma parte determinante da dieta das Blue Zones. Na península de Nicoya, feijão com tortilha marca presença em todas as refeições. Por outro lado, em Okinawa as proteínas vêm da soja – em sopas miso ou em tofu. «Os feijões e o tofu são fornecedores de proteínas, mas sem o colesterol dos produtos animais», explica Leiper. «E também são ricos em fibra.»

> Limite o seu consumo de carne. Nenhum dos centenários nas Blue Zones são especialmente carnívoros. Em Loma Linda, a maior parte são vegetarianos. Em Okinawa, na Sardenha e na península de Nicoya, a carne é reservada para ocasiões especiais. Buettner recomenda que se coma carne apenas uma ou duas vezes por semana, no máximo, e que se sirvam doses não maiores que um baralho de cartas.

> Vá lá, beba um copo. Na Sardenha, bebe-se vinho tinto todos os dias. Em Okinawa, é um copo de saqué com os amigos. Uma bebida por dia pode diminuir a incidência de doenças cardíacas e reduzir tanto os níveis de colesterol quanto os efeitos da inflamação crónica. O vinho tinto é rico em anti-oxidantes e polifenóis, que podem ajudar a atrasar a arteriosclerose. Mas o segredo é a moderação: beba um copo ou dois no máximo. Mais do que isso traz mais inconvenientes que vantagens.

> Nozes para todos os gostos. Na Blue Zones de Loma Linda, os adventistas do Sétimo Dia adoram nozes, e estes californianos parecem estar a colher os frutos disso. Um estudo realizado com este grupo descobriu que aqueles que comem nozes, pelo menos, cinco vezes por semana têm metade da incidência de doenças cardíacas do que aqueles que não as consomem e vivem cerca de dois anos mais. Isto talvez seja porque as nozes são ricas em gorduras monoinsaturadas e fibras solúveis, características que fazem baixar os níveis de LDL. São também uma excelente fonte de vitamina E, um ingrediente-chave numa dieta amiga do coração. Mas as nozes e demais frutos secos são muito ricos em gordura e calorias, por isso limite o seu consumo a 45g diárias.

> «Hara hachi bu». Esta simples frase, dita pelos habitantes de Okinawa antes de cada refeição, significa «come até ficares 80% satisfeito». Demora cerca de 20 minutos até que o estômago comunique que está saciado, por isso hara hachi bu diz-nos que comamos até estar sem fome e não até ficar cheio. É, em parte, esta a razão pela qual os habitantes de Okinawa consomem 1900 calorias por dia, comparadas com as 2358 calorias que um canadiano come em média por dia. Formas de aderir ao conceito hara hachi bu incluem utilizar pratos e chávenas mais pequenos e levar tempo a concentrar-se no que está a comer. Além da perda de peso, há grandes benefícios para a saúde: estudos mostram que para alguns perderem 10% de volume corporal traduz-se numa significativa diminuição da tensão arterial e dos níveis de colesterol.
De regresso a Toronto, Karen Petcoff está desejosa de testemunhar, na primeira pessoa, o poder transformador destas sugestões relativamente simples. Conseguiu convencer três amigas e mesmo o pai, escocês, a seguirem a dieta e o estilo de vida descritos no livro The Blue Zones. «O meu corpo reagiu de forma tão positiva!», alegra-se.

Há uma questão que permanece: será que viver como um blue zoner vai acrescentar-lhe anos de vida, tal como prometido? «Ah, eu tenciono viver até aos 100», diz com uma gargalhada. «Chamem-me daqui a 50 anos que eu vos direi como estão a correr as coisas.»
Não apenas uma dieta,um estilo de vida

 Muitos dos conselhos Blue zones não têm nada a ver com dieta. Para viver como um verdadeiro blue zoner, deve integrar estes comportamentos no seu estilo de vida.

1. Faça exercício de baixo impacto todos os dias.
2. Determine um objectivo na vida e persiga-o.
3. Abrande o ritmo e tire tempo para descansar, relaxar e recuperar.
4. Faça parte de uma comunidade espiritual.
5. Faça da família a sua prioridade n.º 1.
6. Passe tempo todos os dias com pessoas que pensem da mesma forma e que gostem de si.
7. Apague o cigarro. «Nunca conheci nenhum centenário fumador», diz Dan Buettner, autor do livro The Blue Zones.
artigo retirado daqui

sábado, 4 de dezembro de 2010

A ORQUESTRA DE VEGETAIS

A Orquestra de Vegetais de Viena é única no Mundo, porque actua com instrumentos feitos de vegetais frescos, com os quais nos presenteia com um universo musical e estético únicos. Além de que nos dá finalmente uma boa desculpa para brincar com a comida…




beijinhos

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Dieta para doentes com valores de ácido úrico elevado

O ácido úrico é um composto orgânico produto do metabolismo das proteínas pela acção de uma enzima. Quando em excesso no organismo pode provocar doenças como a gota e cálculos renais, de origem úrica.

  • ALIMENTOS ACONSELHADOS:
- Leite, iogurte magro e queijo branco

- Pão branco, bolos secos e biscoitos de água e sal

- Água e chás pouco fortes

- Arroz, batata e massas

- Pato e vaca

- Ovos

- Pescada, carapau, pargo, cachucho, faneca e corvina

- Vegetais e hortaliças – alho, abóbora, feijão verde, agrião, couve, alface, cenoura, lima, grelos e nabo

- Cebola e tomate com moderação

- Frutas – laranja, maçã, pêra, morango, melancia, tangerina

- Óleos vegetais em pouca quantidade

- Cozidos mas sem aproveitar a água da cozedura.

  • ALIMENTOS NÃO ACONSELHADOS:
- Pão de centeio

- Café, chocolate e cacau

- Bebidas alcoólicas

- Carnes defumadas, enchidos, porco, galinha, peru

- Miúdos (fígado, coração, moelas,…)

- Sardinha, marisco, lula, anchova, bacalhau, truta e salmão

- Favas, ervilhas, feijão, lentilha, grão-de-bico e trigo, espargos, brócolos, alho-porro, cogumelos e espinafre

- Cereja, limão, nêsperas, coco e ananás

- Castanha, nozes, avelã, amêndoa, pistaches e amendoim

- Grãos e sementes

- Molhos, caldos e refeições pré – cozinhadas

- Gorduras, principalmente a banha.


NOTA:

Beber o máximo de água por dia, nos intervalos das refeições

As dietas e recomendações não substituem nem alteram as indicações do seu médico.


Site Médico

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010



Brigadeiro na panela de pressão
Gostoso, Rápido e Fácil
Até criança faz!
Ingredientes

1 lata de leite condensado cozido por 45 minutos
3 colheres (sopa) de chocolate em pó
Coco ralado até dar o ponto
Granulado para envolve os doces

Modo de preparo

Na panela de pressão coloque a lata de leite condensado, cubra-a com água e tampe a panela, assim que pegar pressão conte 45 minutos.
Deixe esfriar totalmente, (não abra a lata enquanto estiver quente) abra a lata e coloque o doce em uma tigela. Misture o chocolate em pó e vá misturando o coco raldo até dar o ponto.
Enrole os doces e passe o granulado.