Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

domingo, 30 de janeiro de 2011

Base de dados mostra como poupar nos genéricos

A Associação de Defesa do Consumidor (DECO) lança, esta sexta feira, uma base de dados na qual estão incluídos mais de cinco mil genéricos, para que os doentes crónicos possam comparar os seus preços e consigam poupar "centenas de euros em medicamentos".

Na base de dados, disponível em www.deco.proteste.pt, os consumidores podem verificar se existem alternativas mais baratas ao fármaco que habitualmente tomam.

Para a prevenção da trombose, por exemplo, podem ser receitados fármacos desde 4,09 euros até 29,49 euros por embalagem de 28 unidades, já com a comparticipação do Estado. O mais barato não só tem a mesma qualidade, eficácia e segurança do mais caro, como permite poupar cerca de 300 euros por ano.

"O objetivo é promover a transparência ao nível dos preços e facilitar o acesso à informação, essencial para escolhas racionais", explica Lusa João Oliveira, da Deco Proteste, à agência Lusa.

O responsável sublinha que os doentes devem "abordar a questão do preço na consulta com o médico e sugerir a receita do medicamento mais vantajoso para si".

A DECO espera, assim, evitar que muitos portugueses deixem de ter acesso aos medicamentos de que necessitam por causa do preço. Um inquérito a 4.800 portugueses divulgado pela Teste Saúde, em 2007, indicava que esse era já o caso de 12% dos indivíduos.

"Em altura de crise, este problema agrava-se, em particular nos grupos mais vulneráveis, como os idosos. A opção pelo mais barato contribui para reduzir as dificuldades", salienta João Oliveira.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Intoxicações


Hoje em dia vivemos rodeados de possíveis tóxicos que utilizamos constantemente nas nossas casas, garagens, fábricas, campo, etc.

  • Os produtos tóxicos mais comuns são:
* Medicamentos;
* Cosméticos;
* Bebidas Alcoólicas;
* Combustíveis;
* Plantas;
* Produtos de limpeza;
* Pesticidas.

  • Em caso de intoxicação:

* Mantenha a calma. Não se precipite, mas não perca tempo;
* Contacte o CIAV (Centro de Informação Antivenenos) através do número de telefone 
808 250 143;
* Responda de forma clara às perguntas feitas pelo médico do CIAV - Quem, O Quê, Quanto, Quando, Onde, Como;
* Se não conseguir ligar para o CIAV, ligue para o 112 ou dirija-se ao hospital mais próximo;
* Leve as embalagens suspeitas.

  • Primeiros Socorros


1. Caso um produto tóxico entre em contacto com os olhos:

* Lave com água corrente durante cerca de 15 minutos, mantendo as pálpebras afastadas;
* Não aplique quaisquer produtos;
* Ligue para o CIAV.

2. Caso um produto tóxico provoque a contaminação da pele:

* Retire as roupas que contenham o produto tóxico;
* Lave abundantemente com água durante 15 minutos;
* Ligue para o CIAV.

3. Caso a intoxicação seja provocada por uma picada de animal (abelha, vespa, víbora, peixe-aranha):

* Imobilize a zona atingida;
* Aplique calor no caso do peixe-aranha e frio nos restantes casos;
* Ligue para o CIAV.

4. Caso a intoxicação se deva à inalação de algum tóxico:

* Retire o intoxicado para fora do ambiente contaminado, de preferência para o ar livre.
* Ligue para o CIAV.

5. Caso o motivo da intoxicação seja a ingestão de um produto tóxico:

* Não provoque o vómito;
* Dê a beber alguns golos de água ou leite;
* Ligue para o CIAV.

informação retirada de: www.inem.pt

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Manobra de heimlich



  • O que é a Manobra de Heimlich?
A manobra de Heimlich é uma técnica de emergência que consiste na realização de uma série de compressões a nível superior do abdómen, mais precisamente abaixo do esterno.
  • Quando é usada?
Esta manobra é usada em caso de asfixia ou sufocação, provocada por um pedaço de comida ou um corpo estranho entalado nas vias respiratórias, impedindo a vítima de respirar.
  • Situação em que deve ser utilizada:
Imaginemos que um grupo de amigos foi almoçar. Subitamente, um deles engasga-se! Tenta tossir, mas parece estar seriamente em apuros. Levanta-se e fica agitado e leva as mãos à garganta. Não consegue falar. Parece ter dificuldade em respirar. A pele muda de cor, ficando arroxeada, indicando, assim, a baixa oxigenação do sangue.

Quando algo bloqueia a passagem de ar, não há tempo suficiente para esperar pela chegada de um socorro médico. A pessoa mais próxima precisa de agir rapidamente!
  • O que fazer?

* O socorrista deve actuar de imediato, aplicando 5 palmadas entre os ombros.
* Se não surgir efeito deve aplicar a MANOBRA DE HEIMLICH!
  • Como efectuar a Manobra de Heimlich?
1. Coloque-se atrás da vítima com um pé ao lado e outro ligeiramente atrás da mesma e com os braços a envolver o abdómen da vítima;
2. Coloque a sua mão fechada, abaixo do esterno e ligeiramente acima do umbigo, com o polegar para dentro, contra o abdómen da vítima;
3. Agarre firmemente o punho com a outra mão;
4. Efectue 5 compressões abdominais, para dentro e para cima, de modo a aumentar a pressão torácica, que irá expulsar o objecto. Note que cada compressão deve ser suficientemente forte para deslocar a obstrução, mas não agressiva de forma a causar fractura;
5. Reavalie a vítima, verificando se ainda tosse ou se já respira, verificando se o corpo estranho saiu pela boca;
6. Se não obtiver êxito, repita a manobra de Heimlich, tantas vezes quanto as necessárias.

Se as funções respiratórias não forem restabelecidas dentro de 3 a 4 minutos, as actividades cerebrais cessarão totalmente, podendo levar à morte da vítima. O oxigénio é vital para o cérebro!

Vejam o vídeo:

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

A dor nas pessoas idosas


Segundo várias pesquisas, 70% das pessoas com mais de 65 anos têm dores.
Todavia, muitas dessas pessoas, pelas mais diversas razões, não se queixam, suportam a dor e o mal-estar, não pedem ajuda. Na verdade, a dor tira a essas pessoas o gosto pela vida, que se torna assim um verdadeiro sacrifício.
  • A idade aumenta a dor física?
É verdade que com a idade o número de doenças degenerativas (como a artrose) aumenta, assim como o risco de cancro.

É, pois, normal ver aparecer dores sintomáticas (que acompanham uma doença) à medida que se avança na idade. A artrose, que atinge sobretudo as articulações de sustentação, como o joelho e a anca, é de resto responsável pelo maior número de queixas ligadas ao envelhecimento. Mas o agravamento da dor com a idade permanece uma questão ambígua.

Em certas doenças (como a zona), as dores das sequelas são agravadas pela idade. Noutros casos, pelo contrário, não existe dor, mesmo em caso de patologias que se sabe serem dolorosas. Por exemplo, o enfarte do miocárdio, que provoca, em regra, uma dor típica, pode ser totalmente indolor numa pessoa idosa.

Por isso, os profissionais da dor não partem com ideias preconcebidas sobre cada caso. Para avaliar a dor do idoso, fazem-lhe perguntas: se tem dores, que tipo de dores, onde, quando. A questão da idade torna-se secundária, e os médicos procuram fazer urna avaliação individual.
  • Solidão e isolamento
Quando vive sozinha, isolada, longe da família, a pessoa idosa tem, para além da dor física, carências afectivas que são fonte de grande sofrimento. A morte de familiares e de amigos gera um sentimento de perda e de desespero.

A tristeza mistura-se com a agressividade, ou então é o medo da solidão e da dependência que se instala. Todos estes sentimentos devem ser percebidos e tidos em conta pelos que rodeiam a pessoa idosa, quer seja no hospital, em casa ou num lar.

O sofrimento moral, mais frequente se a pessoa estiver isolada ou fisicamente incapaz (por doença ou não), pode resultar numa depressão, como acontece em qualquer idade, razão pela qual deve procurar-se descobrir os sinais: as queixas são a expressão de um sentimento negativo.

Um médico ou um psicólogo podem ajudar a descodificar os sinais de sofrimento e a iniciar o tratamento.
  • Estar atento, saber ouvir
Por razões culturais, a pessoa idosa raramente se queixa de dores. Mas o sofrimento adivinha-se por mudanças do comportamento ou dos hábitos de vida: alteração do apetite, do sono, da forma como ocupa o seu tempo, agravamento de deficiência. Se detectar estes sinais num idoso seu familiar, consulte o seu médico assistente e/ou um especialista para que tomem conta da situação.

Se o idoso se manifesta, saiba ouvir o que ele tem para lhe dizer. Aconselhe-se junto de pessoal especializado em gerontologia (especialidade que procura ajudar o doente idoso em todos os seus aspectos). Por vezes, basta ter com quem falar. Outras vezes, é preciso ir mais longe (tratamento de uma depressão, por exemplo). Não há falta de medicamentos para tratar a doença nos idosos, mas, em contra partida, a dor destas pessoas é considerada banal - quantas vezes se ouve dizer: «Nesta idade é normal ter dores!» - e nem sempre sistematicamente avaliada, o que pode levar à sua subavaliação. A formação dos médicos e das equipas de assistência em matéria de dor permite esperar progressos rápidos neste domínio. A mediatização do problema ajuda a fazer evoluir as mentalidades.
  • Aliviar: os remédios existem
A panóplia dos antálgicos
Todos os medicamentos contra a dor são eficazes nos idosos: antálgicos (paracetarnol, aspirina), anti-inflamatórios, produtos à base de codeína, morfina, mas a sua prescrição torna-se difícil quando se trata de uma dor crónica que exige urna toma prolongada.

Com efeito, quando um idoso sofre de uma doença cardiovascular ou metabólica (hipertensão arterial ou diabetes, por exemplo), ele toma normalmente de forma escrupulosa os medicamentos receitados pelo médico. Em matéria de antálgicos, em contrapartida, constatou-se que os idosos tendem quer a abandonar o tratamento, quer a auto-medicar-se, aumentando as tomas.

Por isso, os médicos tentam fazer prescrições rigorosas, tendo em conta as contra-indicações possíveis (situação cardiovascular e renal) e as interacções eventuais com outros medicamentos receitados ao mesmo tempo. Para um idoso, preconiza-se em geral um tratamento a horas fixas, e não a pedido, espaçando-se as tomas de modo a evitar a acumulação dos fármacos e reduzindo as doses.

Graças às recomendações da OMS, a prescrição da morfina para combater a dor aumentou. A analgesia auto controlada, por exemplo, permite administrar morfina por via intravenosa ali subcutânea com uma eficácia notável. Todavia, deve avaliar-se a dor com cuidado, a fim de não receitar morfina senão nos casos necessários. Por outro lado, se é certo que este produto não deve ser retirado do tratamento da dor na pessoa idosa, tão-pouco deve servir de justificação para aliviar a consciência do terapeuta e evitar-lhe a preocupação de tratar a doença!
  • Agir localmente
As chamadas técnicas invasivas levam os produtos directamente ao nível da zona dolorosa: corticosteróides em infiltrações intra-articulares ou anestésicos locais em bloqueios anestesiológicos. As infiltrações intra-articulares são utilizadas em casos de reumatismo. Os bloqueios anestesiológicos são, em regra, reservados às dores rebeldes de uma zona limitada (braço, perna, etc.).

Estes métodos são particularmente eficazes corno complemento de medicamentos, mas não podem ser generalizados, pois implicam riscos, principalmente riscos de infecção, em pessoas fragilizadas. A neurocirurgia da dor está especialmente indicada em patologias bem definidas, como a nevralgia do trigémeo, quando não cede ao tratamento médico.
  • Com cuidado
Sabe-se que os idosos não toleram muito bem os medicamentos alopáticos, e é por isso que os sistemas de tratamento menos agressivos representam um meio eficaz de alívio sem apresentar a desvantagem dos efeitos secundários.

Qualquer que seja a origem das dores, podem (e devem) experimentar-se alguns sistemas de tratamento alternativos. Por esse motivo, associam-se muitas vezes aos medicamentos técnicas não-medicamentosas (acupunctura, e electroacupunctura, por exemplo), técnicas físicas (electroterapia, massagens, aplicação de calor ou de frio, mesoterapia) e, em certos casos, mesmo a homeopatia.

A estimulação nervosa eléctrica transcutânea permite também combater certas dores muito localizadas: sequelas de lesões nos nervos pós-traumáticas, pós-cirúrgicas ou pós-infecciosas (dores que se seguem a uma crise de zona).
  • A ajuda das associações
Em matéria de cuidados e de ajuda a idosos no domicílio, existem em vários países ocidentais numerosas associações que organizam as ajudas em casa, as visitas dos cinesiterapeutas, das enfermeiras, etc., principalmente no meio rural.

Em Portugal, e sobretudo fora dos centros urbanos, esse apoio, público ou privado, é insuficiente, pelo que o doente idoso fica dependente da família e de amigos. Se tem um familiar idoso nestas circunstâncias, tente, com tempo, programar alguma ajuda através da sua junta de freguesia, do centro de saúde da área da residência do doente ou da Misericórdia.
  • Um fim de vida sem sofrimento
No mundo contemporâneo, a morte mudou de rosto: cada vez mais as pessoas morrem no hospital, num ambiente asséptico, longe de casa.

Já não se reúne a família, já não há velório. Este fenómeno social deu origem em alguns países ao desenvolvimento do acompanhamento dos moribundos e dos cuidados paliativos, em que profissionais e voluntários acompanham os doentes terminais, aliviando-lhes a dor dos últimos momentos. Em Portugal, estas preocupações começam agora a traduzir-se em acções concretas.


texto retirado daqui

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

domingo, 16 de janeiro de 2011

Depósito quando de internamento de urgência



O Hospital da Luz exigiu 2000€ a uma pessoa para ser internada de urgência!


SAÚDE: Lei Sobre o Depósito de Valores nas Clínicas Privadas, Antes do Internamento.
Foi publicada no DIÁRIO DA REPÚBLICA em 09/01/02, a Lei nº 3359 de 07/01/02, que dispõe:

Art.1° - Fica proibida a exigência de depósito de qualquer natureza, para possibilitar internamento de doentes em situação de urgência e emergência, em hospitais da rede privada.

Art 2° - Comprovada a exigência do depósito, o hospital será obrigado a devolver em dobro o valor depositado, ao responsável pelo internamento.

Art 3° - Ficam os hospitais da rede privada obrigados a dar possibilidade de acesso aos utentes e a afixarem em local visível a presente lei.

Art 4° - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Não deixe de alertar os seus parentes, amigos e conhecidos.
Uma lei como esta, que deveria ser divulgada, está praticamente escondida da população!
Desde 2002. Há 9 (nove) anos !!!

Transcrição do blog Sempre Jovens

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Beterraba - benefícios

Os benefícios da beterraba são tão grandes e variados que é difícil saber por onde começar. Tem uma importante acção de depuração e de fortalecimento do sistema imunitário, estendendo-se os seus efeitos benéficos a todo o organismo.
O seu elevado conteúdo de antioxidantes é útil no combate às infecções. Tem uma acção profunda na estimulação da circulação e na produção de glóbulos vermelhos, limpando e purificando o sangue, o que lhe permite transportar os nutrientes por todo o corpo e combater a anemia.
Na Europa de Leste, as suas propriedades de limpeza do sangue são de tal modo respeitadas que é usada no tratamento da leucemia. O teor de ferro e de açúcar da beterraba fortalece e dá energia, estimulando a memória e a concentração.
Apesar de doce, é muito pouco calórica e rica em hidratos de carbono, bem como em vitaminas e minerais essenciais – betacaroteno (que o organismo transforma em vitamina A), vitaminas B6 e C, ácido fólico, manganés, ferro, potássio e fósforo.
  • Órgãos vitais
A beterraba protege muitos dos nossos órgãos vitais. Reforça o funcionamento dos rins, vesícula biliar e fígado e combate a formação de cálculos renais. É um anti-inflamatório natural, ajudando a atenuar as reacções alérgicas.
Dada a sua acção sobre o sangue, a beterraba pode ser muito útil no alívio de problemas ligados à menstruação, como a anemia causada por períodos abundantes, ou como regulador do ciclo menstrual. Pode também ajudar a reduzir os problemas provocados pela menopausa.
A beterraba contém antioxidantes importantes que previnem a doença. Fortalece ainda o sistema linfático - a primeira linha de defesa do organismo contra a doença -, sobretudo se ingerida em sumo.
  • Escolher, guardar e usar
Escolha beterrabas firmes, vermelho-púrpura a pele inteira, de preferência as de cultura biológica ainda com a rama. Verifique a sua frescura pelas folhas, que deverão ser verdes.
Pode incluir a beterraba em diversos pratos; normalmente, serve-se cozinhada, mas pode também ser consumida crua em saladas, ralada ou em rodelas finas. É muito utilizada na cozinha do leste europeu.
O sumo de beterraba é altamente fortificante e, se o misturar com cenoura, espinafres e couve, obterá um cocktail extraordinariamente saudável. Muitas pessoas que não gostam de comer beterraba apreciam o seu sumo adocicado, sobretudo quando misturado com o de outros legumes mais apimentados ou amargos. Inclua a rama no sumo, pois esta contém outros nutrientes. A única desvantagem conhecida da beterraba é manchar a roupa. Tome cuidado.
  • Benefícios
- Elimina as toxinas
- Fortalece os sistemas imunitário e circulatório
- Fortalece o sangue e combate a anemia
- Combate infecções. Inflamações e cálculos renais
- Fornece energia e dá equilíbrio


retirado daqui

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Coma de acordo com a sua idade

Com o tempo tudo muda – até a forma como o seu organismo processa a comida.
 Por Helen Signy

Provavelmente, já não veste as roupas de que tanto gostava décadas atrás, e, provavelmente, não devia comer as mesmas coisas. As nossas necessidades nutricionais mudam à medida que envelhecemos. Em cada década há nutrientes que devemos procurar e outros que devemos igualmente abandonar, quer estejamos a comer por estarmos grávidas, por nos preocuparmos em permanecer jovens ou com a menopausa.
Falámos com três peritos: a Dra. Catherine Lombard, uma dietista-investigadora da Fundação Jean Hailes para a Saúde das Mulheres; Pam Stone, directora de Educação em Blackmores, e Tara Diversi, porta-voz da Associação de Nutricionistas da Austrália, para conhecer os seus conselhos sobre como maximizar a sua dieta para a sua idade e momento na vida.

20-30 ANOS

AS SUAS NECESSIDADES NUTRICIONAIS

Nesta idade, você anda provavelmente prego a fundo – no trabalho, em festas ou correndo atrás das crianças. As suas necessidades de energia são elevadas, por isso proteínas e cereais integrais deverão ser componentes vitais da sua dieta. Também estará a estabelecer as fundações da sua futura saúde – más escolhas neste ponto podem traduzir-se em doenças do coração e diabetes mais tarde.
Deficiência de ferro é uma possibilidade, e pode precisar de mais ácido fólico e iodo se pensa engravidar. Deve obter estes nutrientes quer da comida, quer de suplementos.
A sua massa óssea está perto do máximo. Em nenhum outro momento da sua vida terá tanto cálcio armazenado como agora. Depois dos 40 começará a diminuir, por isso é vital que atinja o máximo de densidade óssea enquanto ainda pode. Lacticínios são a chave.

ALIMENTOS IDEAIS PARA SI

Laranjas cheias de vitamina C, especialmente importantes na altura da concepção e da gravidez.
Espinafres O ácido fólico vem das verduras; por isso, se não gosta de espinafres, qualquer vegetal verde folhoso servirá. E não dá para usar comprimidos; mesmo que esteja a tomar suplementos, precisa de nutrientes dietéticos.
Salmão de conserva Salmão enlatado (selvagem), e não de aquacultura, tem o mais elevado teor de ómega-3 e cálcio para os seus ossos (e também é óptimo para o feto em desenvolvimento, caso tenha um).
Iogurte natural Fornece a gordura de que precisa para ajudar a absorver a vitamina D, que, por seu turno, ajuda a absorver o cálcio para proteger contra a osteoporose mais tarde na vida.
Ovos e torrada integral Proteína e cereais integrais ajudam-na a sentir-se satisfeita, dão energia e ajudam a manter níveis estáveis de açúcar no sangue.
Bananas Fornecem magnésio para ajudar a lidar com TPM e contrariar o desejo de açúcar.

ERROS A EVITAR
  • Não consumir suficientes lacticínios por se preocupar com o peso.
  • Consumir demasiada cafeína, refrigerantes e álcool, que diminuem o cálcio e afectam a forma como o corpo absorve os nutrientes.
  • Não comer regularmente. Isso descontrola os níveis de açúcar no sangue.
  • Cortar grupos de alimentos necessários (por exemplo, não comer carne ou hidratos de carbono).
40 ANOS

AS SUAS NECESSIDADES NUTRICIONAIS

Este é o momento por excelência para prevenir problemas de saúde mais tarde, como hipertensão, colesterol elevado e ganhos de peso excessivos. A sua vida pode ainda ser agitada, mas pode não ser fisicamente activa como já foi – levar as crianças ao futebol ou ao ballet não faz o coração bater mais depressa.
Pode também encontrar-se na pré-menopausa, o que significa que notará mudanças no seu corpo e no seu metabolismo. Com a diminuição dos níveis de estrogénio, encontrará mais depósitos de gordura na cintura que nas ancas e coxas, o seu colesterol pode subir e os seus ossos podem começar a ficar mais fracos.
As suas necessidades de cálcio e ferro ainda são elevadas, mas vigie o peso e evite açúcares e gorduras. Óleos mono e poliinsaturados de boa qualidade como azeite ou de colza são óptimos. Experimente comer mais peixe e aumente as doses de cereais e fibras para proteger os intestinos.

ALIMENTOS IDEAIS PARA SI

Peixe Pleno de ómega-3, óptimo para manter a pele hidratada, e com efeitos anti-inflamatórios.
Ovos Ricos em proteína e zinco para ajudar a regeneração de tecidos e da pele.
Amêndoas Contêm vitamina E e também são uma boa fonte de gordura «boa» e proteínas.
Limões Têm um efeito desintoxicante e purificador nos seus órgãos e na pele. Esprema um para um copo de água e beba todas as manhãs.
Maçãs Contêm fibra e também são ricas em pectina e vitamina C, que são boas para uma pele saudável.

ERROS A EVITAR
  • Comer demais. Comer gradualmente gasta menos energia: deve começar a dosear as suas porções.
  • Não comer suficientes proteínas. É importante manter-se com a sensação de plenitude, permitindo digerir os hidratos de carbono mais devagar e evitando a acumulação de gordura em volta do estômago.
  • Comer demasiada comida de conveniência. Ricas em sal e gordura, podem dar hipertensão.
  • Comer alimentos magros ricos em açúcar. Precisa de alguma gordura (ajuda ao aspecto mais jovem), por isso tente não ser demasiado saudável nesse aspecto.
50 ANOS

AS SUAS NECESSIDADES NUTRICIONAIS

O advento da menopausa traz uma série de mudanças à forma do seu corpo, a como se sente sobre si mesma e mesmo aos seus relacionamentos. Alguns dos sintomas que vai experimentar, como afrontamentos, sonolência e perdas de memória, podem ir do ligeiramente irritante ao debilitante.
O ferro torna-se menos importante quando param as menstruações, por isso pode procurar fontes de proteína que não a carne vermelha. No entanto ainda precisa de muito cálcio para proteger os ossos.
Agora é a altura de aumentar as doses de antioxidantes para prevenir as doenças crónicas comuns na velhice, como doenças cardiovasculares e cancro. Bastantes fibras e água são essenciais para um intestino saudável daqui em diante.

ALIMENTOS IDEAIS PARA SI

Pão de soja e linho: Ambos contêm altos níveis de fitoestrogénios, que alguns estudos sugerem que podem ajudar ao equilíbrio hormonal e mitigar alguns dos sintomas da menopausa.
Lentilhas: Juntamente com outras proteínas vegetais, ajudam a regular as hormonas.
Tofu: Está demonstrado ter um efeito positivo na densidade óssea.
Vegetais frescos: Ricos em fibras naturais, previnem o depósito de gordura em volta do estômago.
Melancia: Ou outros frutos ricos em água, que ajuda a manter a hidratação natural do corpo.

ERROS A EVITAR
  • Comer demais. O peso aumenta 1kg cada ano depois dos 30, se comer as mesmas porções; por isso, a quantidade de comida começa a ser crítica agora.
  • Mordiscar bolos e biscoitos em cada reunião ou ocasião social a que vai. Faça cada trinca contar nutricionalmente.
  • Beber demasiado café ou vinho tinto. Estes podem piorar as insónias, ansiedade e depressões que possa estar a experimentar.
  • Comer demasiada comida condimentada. O picante pode exacerbar os afrontamentos.
DEPOIS DOS 60

AS SUAS NECESSIDADES NUTRICIONAIS

É um facto infeliz que, quanto mais velha for, maior a probabilidade de desenvolver uma doença crónica. Doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes, artrite e várias outras são comuns neste grupo etário, por isso pode bem precisar de ajuda profissional para moldar a sua dieta. Regimes com pouco sal e ricos em nutrientes são essenciais para uma saúde boa e continuada nesta altura.
Perdas de memória e depressão são problemas comuns com a idade, por isso tente melhorar a sua ingestão de comidas com ómega-3 e 6, como marisco e nozes. Evitar o isolamento e continuar a exercitar-se são muito importantes para prevenir estes problemas.
Mais do que nunca, precisa de proteger a saúde dos seus intestinos, ingerindo iogurte regularmente e mantendo uma dieta rica em fibras.

ALIMENTOS IDEAIS PARA SI

Mirtilos Como outros frutos silvestres, estão cheios de antioxidantes, são óptimos para a circulação e para uma função cerebral saudável.
Peixe ómega-3 ajuda a manter a actividade das células cerebrais e a gerir os triglicéridos, que são um factor de risco para doenças de coração se aumentarem demasiado.
Nozes de macadâmia Excelentes para baixar o colesterol.
Espinafres Uma das mais ricas fontes de luteína, um antioxidante com o benefício adicional de ajudar a prevenir a degeneração macular (uma causa importante de perda de visão).
Queijo Não é tão importante perder peso como manter-se saudável. Os lacticínios estão cheios de nutrientes e são óptimos para os seus ossos. Aprecie!

ERROS A EVITAR
  • Comer demasiado sal. O seu paladar deteriora-se com a idade – mas juntar mais sal para compensar faz subir a pressão arterial. Quando possível, todo o seu sal deve ser de fontes naturais em vez de adicionado aos alimentos.
  • Não beber água suficiente e não comer regularmente. Pode não sentir sede, mas ainda precisa de fluidos regulares para manter boas funções cognitivas.
  • Não sair o suficiente. O exercício é importante em qualquer idade – e se ficar em casa demasiado tempo, os seus níveis de vitamina D ficam comprometidos, afectando a saúde óssea.
  • Comer demasiadas gorduras saturadas e trans, que tornam a circulação lenta e acabam por afectar a função cerebral.

retirado daqui

Podemos emagrecer comendo gordura

Estudos recentes defendem que se pode emagrecer comento queijos e enchidos, mas evitando hidratos de carbono. Os estudos que recomendavam uma dieta pobre em gordura para prevenir o excesso de peso e os problemas cardiovasculares parece que estavam errados. O que nos engorda não é a gordura, mas sim os hidratos de carbono.

As dietas pobres em gorduras não têm evitado que haja cada vez mais gordos nos países desenvolvidos, onde se abusa de hidratos de carbono. Para melhor conhecimento do assunto sugere-se a leitura da notícia «Dieta de Atkins. Comer gordura para perder os quilos a mais».

"O problema não é a gordura. Se os americanos conseguissem eliminar as bebidas açucaradas, as batatas, o pão branco, a massa, o arroz branco e os petiscos doces, eliminávamos quase todos os problemas que temos com peso, diabetes e outras doenças metabólicas".

Imagem do Google

Vacina contra o cancro do pulmão


Transcreve-se o seguinte artigo por constituir um raio de esperança para os fumadores, embora seja melhor não fumar.


PÚBLICO. 11-01-2011. Por Teresa Firmino

A equipa da investigadora Gisela González, do Centro de Imunologia Molecular de Cuba, anunciou o desenvolvimento da primeira vacina terapêutica contra o cancro do pulmão, numa entrevista ao jornal cubano “Trabajadores”.

A vacina, testada em mais de mil doentes, já foi patenteada em Cuba, ainda segundo a investigadora, que no entanto não referiu se este trabalho foi publicado numa revista científica internacional.

A publicação em revistas científicas é uma forma de garantir a qualidade de uma investigação, uma vez que, dessa forma, um artigo é avaliado previamente por outros cientistas antes de ser divulgado à restante comunidade científica. Por outro lado, a publicação em revistas científicas também permite à comunidade científica avaliar de forma crítica as investigações de uma equipa, reproduzi-las noutros trabalhos ou construir novos conhecimentos a partir daí.

Gisela González adiantou que a vacina, em desenvolvimento há cerca de 15 anos, se baseia numa proteína humana relacionada com a proliferação celular (no cancro, as células proliferam de forma descontrolada). Chama-se CimaVax-EFG e destina-se a ser aplicada em doentes terminais de cancro do pulmão. O objectivo é um dia tornar crónica esta doença.

“Quando o doente acaba a radioterapia ou quimioterapia e é considerado terminal, aplica-se a vacina, que ajuda a controlar o crescimento do tumor sem toxicidade associada e pode ser usada como um tratamento crónico, que aumenta a expectativa e a qualidade de vida do doente”, explicou Gisela González ao jornal cubano.

Em 2008, a agência Reuters noticiou que nos Estados Unidos tinham sido aprovados ensaios clínicos à vacina, mas que, até haver autorização para a sua aplicação em tratamentos, teriam ainda de decorrer muitos anos. Nessa altura, Cuba tinha acabado de autorizar o tratamento do cancro do pulmão com a vacina, que, ainda segundo a Reuters, permitia aos doentes de cancro do pulmão viver em média mais quatro a cinco meses por comparação com aqueles que eram tratados apenas com as terapias convencionais.

Em Cuba, disse agora Gisela González, a patente da vacina permitirá a sua aplicação de forma maciça.

Imagem da Net

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

TSampa um alimento do futuro!


Extraído do Sítio Terra Zen http://sitioterrazen.com.br/2010/05/04/tsampa-um-alimento-do-futuro/


TSAMPA é um alimento, que em caso de escassez, guerra ou outra necessidade de sobrevivência, uma bolinha deste alimento substitui uma refeição!
No caso de que SE os alimentos em determinado momento escassearem, em casos de conflitos ou de severas mudanças terrestres que poderão acontecer… . .
Seria importante que as pessoas saibam como se manter elaborando um alimento nutritivo e fácil de ser armazenado, sem necessidade de eletricidade e de fácil acesso.
Este alimento, no formato de uma bolinha, elaborada, substitui uma refeição, claro junto com líquido suficiente.
Os 9 ingredientes necessários para a confecção do TSAMPA :
  • Feijão vermelho
  • Grão de bico
  • Lentilha
  • Milho seco
  • Amendoim natural
  • Mel puro
  • Banana verde
  • Soja em grão
  • Trigo seco
  • Este alimento, condicionado herméticamente em vidros de boca larga, ficarão livres de bactérias, fungos e podem durar de 4 a 7 anos!!!
A seguir, contamos as particularidades da elaboração desta receita, bem como os por menores de cada alimento e suas combinações!

passo-a-passo do tsampa!


O TSAMPA é um alimento altamente energético. O consumo de  éuma bolinha de TSAMPA o equivalente a uma das três refeições que normalmente consumimos num dia, portanto com a ingestão diária de três bolinhas de TSAMPA não se necessita consumir nenhum outro alimento, já que só elas fornecem ao organismo a energia necessária e suficiente para seu desenvolvimento funcional durante o dia. Em tempos “difíceis”, o TSAMPA preparado e armazenado com antecipação pode ser a única tábua de salvação frente a escassez de alimento ou diante da impossibilidade de consumir o que se consiga ao redor devido a sua contaminação, seja química, biológica ou nuclear.



PREPARAÇÃO TOSTADO:
Todos os ingredientes serão tostados em separado, já que cada um tem seu grau de tostagem específico. A banana uma vez cortada em tiras pode ser seca ao sol, se é que tem a possibilidade de fazê-lo. Se não, simplesmente se pode tostá-la num forno para logo moê-la.



Moinho de Tsampa
MOAGEM:

Se moem os ingredientes separadamente já que cada um tem seu grau de dureza específico (o milho é o mais duro de moer) utilizando um moinho manual tipo corona. (NÃO UTILIZAR MOINHO ELÉTRICO). Recomenda-se não utilizar moinhos elétricos de nenhum tipo já que ao utilizar estes artefatos se estaria privando aos ingredientes do corpo elétrico ou corpo energético, que também os vegetais possuem e que neles constitui em definitivo o elemento nutritivo principal para nós, os humanos.
MISTURA:Quando tiver todos os grãos e a banana moída, juntam-se todas as farinhas, dependendo da quantidade em um,dois ou mais recipientes não de metal e sim de plástico, tomando o cuidado de fazer uma mescla o mais uniforme possível.



MISTURA COM MEL:Quando as farinhas estiverem bem misturadas, coloca-se gradualmente o mel.Vaiamassando manualmente toda a mistura até obter a consistência desejada, procurando não deixar pequenas bolinhas de farinha sem mel.

BOLINHAS:

Quando estiver toda a massa pronta, bem misturada, nem muito seca e nem muito molhada, fazem-se manualmente pequenas bolinhas do tamanho aproximado de uma bola de golfe ou pingue- pongue.



SECAGEM:

Quando terminar de fazer as bolinhas, deixar secar num local adequado e possivelmente à sombra, tomando cuidado de cobri-las com um pano ou tela que impeça que os insetos, sobretudo as moscas, possam colocar ali seus ovinhos, estragando assim um trabalho de muitos esforços. Uma boa secagem se obtém quando as bolinhas de TSAMPA tenham uma consistência não muito dura e apresentem certo grau de maleabilidade.


CONSERVAÇÃO:

Uma vez obtido uma boa secagem se passa para a conservação.
Recomenda-se armazenar as bolinhas de TSAMPA em recipientes de vidropossivelmente de boca larga que, além de assegurar uma boa conservação natural, permitem um acesso fácil na hora de pegá-las, entretanto também pode utilizar-se um recipiente de plástico… Ambos os tipos de recipientes devem ficar fechados herméticamente para que não haja aceleração no processo de deteriorização das bolinhas ao serem expostas ao ar.



Um TSAMPA bem preparado, que teve uma boa secagem, longe de mosquitos e de insetos e que tenha sido bem armazenado, chega a conservar-se perfeitamente comestível por um tempo de não menos de 4 anos e no máximo 7 anos!

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

As vantagens da semente de CHIA

As sementes de chia são um dos alimentos mais poderosos, funcionais e nutricionais do mundo, porque são uma excelente fonte de fibra, com antioxidantes e minerais, e a fonte vegetal conhecida mais rica em em ácidos gordos ómega 3. Ainda mais rica do que a Quinoa, por exemplo. 
Estas sementes são originárias da planta do deserto Salvia Hispanica, da família da menta, no sul do México. Há sementes cinzentas, castanhas, pretas e brancas. 
A variedade de sementes brancas é designada como Salba. Na Era Pré-Columbiana, as sementes de chia eram um componente das dietas aztecas e maias. A chia representava a ração de sobrevivência dos guerreiros aztecas. 2 colheres de sopa destas sementes conseguiam suster um guerreiro que marchava durante 24 horas. Os aztecas pagavam os seus impostos com estas sementes que eram, também, usadas como moeda.

  • Sugestão de utilização: pode espalhar as sementes inteiras ou moídas em cereais , iogurtes, saladas, etc. Pode ainda moê-las e adicioná-las à farinha para fazer pão. Também pode usá-las como bebida fresca, colocando 2 colheres de chá de sementes de chia em 250 ml de água, mexendo e deixando repousar até criar um líquido ligeiramente gelatinoso. Como as sementes conseguem absorver várias vezes o seu peso de água formando uma espécie de gelatina são óptimas como substituto de ovo.

Em conclusão:

• A mais rica fonte de Ómega 3 e fibra na natureza
• Mais seis vezes cálcio do que o leite inteiro
• Mais três vezes ferro do que os espinafres
• Mais quinze vezes magnésio do que os brócolos

É adquirida em qualquer loja de produtos naturais

Hoje em dia, estudos científicos provam que a chia proporciona grande número de nutrientes interessantes, de tal modo que esta semente mágica está a ser redescoberta pelos nutricionistas e está a ganhar rapidamente uma enorme popularidade, quer seja na alimentação humana ou na dos animais. Actualmente a chia é cultivada para fins comerciais no México, Argentina, Bolívia, Peru e Colômbia.

A chia pertence, exactamente como o psílio e a linhaça, às sementes mucilaginosas. Estas sementes são de facto ricas em mucopolis-sacarídeos e constituem uma excelente fonte de fibras alimentares solúveis e insolúveis. São os mucopolissacarídeos solúveis que formam um gel mucoso incolor à superfície das sementes, quando entram em contacto com a água. 
Quando se mete um punhado de sementes de chia num copo de água, constata-se que após alguns minutos o copo está cheio com um tipo de gel pectinoso. Estas mucilagens são benéficas para os intestinos. 
Em primeiro lugar podem fixar até 12 vezes o seu peso em água, o que faz que melhorem a qualidade e a consistência das fezes em caso de diarreia. 
Além disso estes mucopolissacarídeos constituem também uma camada de mucilagem na parede intestinal de tal modo que as bactérias patogénicas são travadas nos seus efeitos danificadores e que as mucosas do intestino possam recuperar mais depressa.

Fontes: Wikipedia

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Cancro da pele: novo aparelho evita biópsia

 
O diagnóstico do cancro da pele pode ser menos invasivo: o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia dispõe de um aparelho único no país que permite avaliar se um sinal é benigno ou não, revelando os resultados do exame na hora e evitando, em muitos casos, o recurso à biopsia.

O equipamento é utilizado nos casos em que não há certezas quanto ao diagnóstico. Contudo, pode também ajudar a tomar decisões caso os médicos determinem que é necessária uma cirurgia.

"Permite-nos planear melhor uma cirurgia, em determinado tipo de tumores, por exemplo nos casos em que não sabemos bem quais os limites da lesão, permitindo-nos mapear melhor a lesão a abordar", explica à RTP Armando Baptista, que dirige o serviço de dermatologia do Centro Hospitalar de Gaia.

O método é indolor e rápido: em 10 minutos, o exame fica concluído.

Nuno Menezes, dermatologista daquela unidade de saúde a norte do país, frisa que, em casos dúbios, a biopsia continua a ser o recurso mais eficaz. Ainda assim, reconhece que o aparelho "pode ser importante ao guiar-nos na pele, na superfície da lesão", ajudando a perceber qual é a área mais suspeita.

Espinafres não são panaceia

A saúde depende muito dos cuidados com a alimentação e tem sido nosso objectivo, neste espaço, dar aos nossos visitantes todos os dados que nos chegarem que permitam aprimorar as precauções que ela merece.

O Jornal de Notícias traz dois títulos que, só por si dizem muito. Ficam aqui os seus links para poderem ser consultados e, para os que dispõem de menos tempo, seguem-se alguns conselhos deles transcritos.

Eis os títulos:


E as dicas resumidas:

Os chamados vegetais de folha têm nitratos que são convertidos em nitritos que, quando são consumidos em quantidades elevadas (mais de 200 gramas de alimento), podem conduzir a uma metahemoglobinémia, o que é desaconselhável em bebés e jovens crianças de um aos três anos.
Os especialistas salientam a necessidade de reforçar a ideia de uma alimentação diversificada. "Se se variar, nunca se corre este risco".

Aconselham a diversificação dos vegetais na alimentação dos mais novos e a inclusão de hortícolas diferentes na elaboração das suas sopas.

É necessário adicionar à base das sopas das crianças (composta normalmente por abóbora, batata e cenoura) outros legumes.

Os espinafres são importantes porque são ricos em ferro, mas como tudo, "não devem ser consumidos em excesso".

Os legumes e vegetais são alimentos importantes para os mais pequenos, visto serem fornecedores, por excelência, de fibras, vitaminas, sais minerais e de água.

Todos estes nutrientes são importantes para a formação do organismo, para o combate às anemias e para a sua regulação. Devem ser ingeridos diariamente, mas com conta, peso e medida.

Imagem do JN