Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Debulho de Sável

Com a chegada da Primavera, dá-se a aparição do SÁVEL. Desde tempos remotos que o sável se pesca nas águas do Rio Minho.
Em Cerveira, os homens pescavam o sável e as mulheres encarregavam-se de o vender, indo muitas das vezes de porta em porta vendê-lo às postas. Como na maioria das vezes os compradores só queriam as postas maiores, elas ficavam com as partes mais fracas do sável que eram a cabeça, o rabo, as ovas e as postas pequenas. Assim surgiu o saboroso Debulho de Sável.

Debulho:Preparação

O sável deve ser bem escamado e limpo. Em seguida, corta-se a cabeça e o deguladouro (posta junta à cabeça). Tiram-se as ovas e aproveita-se todo o sangue possível, com a ajuda de vinho verde tinto e um pouquinho de vinagre, o qual irá servir para a calda.
Cortam-se também, o rabo e as postas mais pequenas.
Temperam-se estas partes com sal, salsa, louro, pimenta, e cobre-se com vinho verde tinto. Deixa-se marinar durante umas horas, tempo que se reserva para fazer o arroz.
As restantes postas são cortadas muito fininhas para que não se sintam as espinhas após a fritura, preferencialmete feita em banha.
Num tacho, pica-se uma cebola grande e deita-se um pouco de azeite, vai ao lume e logo que a cebola esteja estalada, deita-se o debulho e a respectiva calda.
Cozido o peixe, retira-se para um recipiente ao lado ao qual se tiram todas as espinhas (tarefa árdua, mas essencial). À calda inicial, junta-se a água necessária para cozer o arroz. Assim que esteja cozido, junta-se o debulho e rectificam-se os temperos.

Servir malandrinho.
Acompanha-se com as postinhas do sável frito.

A gastronomia minhota é riquíssima e, se tem dúvidas, veja em Gastronomia outras receitas, e também mais aqui ou ainda aqui.
Se procura um restaurante de eleição leia este meu texto
Panorama Melgaço.

Fernanda Ferreira

Será publicada dia 20 na Aldeia da Minha Vida a concurso, por Fernanda Ferreira em representação do Sempre Jovens.

1 comentário:

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Está perfeito e é delicioso.
Eu sou louca por sável.
Pena que comece a ser cada vez mais raro e consequentemente mais inacessível.

Lá se come uma vez por ano.
Beijinhos