Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

domingo, 30 de outubro de 2016

COM GRIPE, EVITE



Oito erros a evitar quando está com gripe
161025 no jornal SOL por Rita Porto. rita.porto@newsplex.pt

Com estas mudanças de tempo, são poucas as pessoas que não apanham constipações ou gripes. E quando se está neste estado, queremo-nos curar o quanto antes.
Mas há coisas que, provavelmente, está a fazer - ainda que inconscientemente - e que estão a prolongar a sua gripe ou constipação. O WebMedfez uma lista de oito conselhos para não piorar o seu estado de saúde.

1. Não peça antibióticos ao seu médico
Está muito enganado se acha que os antibióticos vão curar a sua gripe ou constipação. As infecções virais não se curam com antibióticos portanto deixe de importunar o seu médico.

2. Não se arme em super-herói
É daquelas pessoas que se recusa a ficar um dia em casa para se recuperar porque tem muita coisa para fazer? Pense nisto: quer contagiar os seus colegas? Talvez não seja boa ideia.
O melhor é ficar por casa até desaparecerem os sintomas. Aliás, o ideal é só aparecer no seu local de trabalho 24 horas depois da última vez que teve febre.

3. Largue o desinfectante de mãos
Os desinfectantes de mãos – aqueles que têm 60% de álcool - são bons quando não consegue lavar as mãos. Mas sempre que puder, lave-as com água e sabão. É a maneira mais eficaz de se livrar dos germes. Lave frequentemente as mãos e faça-o durante cerca 20 segundos.

4. Não ultrapasse as doses recomendadas
Muitas pessoas têm a tendência de duplicar as doses dos medicamentos para ver se ficam curadas mais rapidamente, mas não podiam estar mais erradas. No caso dos descongestionantes nasais (os sprays), quando utilizados em demasia não só deixam de funcionar como ainda entopem mais o nariz.
Siga as instruções do seu médico ou o folheto informativo e tenha paciência.

5. Não stresse
Que o stress é algo negativo, já todos sabemos, mas estudos recentes mostram que o stress aumenta o risco de apanhar o vírus da gripe e ainda piora os sintomas da gripe e constipação.
Como se isto não bastasse, as insónias, que são provocadas pelo stress, fazem com que recupere destas doenças muito mais lentamente. Tente descansar o máximo possível assim que começar a sentir os primeiros sintomas.

6. Evite fumar
Sim, é difícil. Mas quando se está doente o melhor é largar os cigarros (e outros que tais). Tanto fumar, como estar perto de pessoas que fumam, pode aumentar o risco de contrair infecções respiratórias e piorar os seus sintomas de gripe ou constipação.

7. Largue a cafeína
Não, a cafeína nestes casos não o vai ajudar a ganhar energia. Pode mesmo desidratá-lo. Troque o seu habitual café por chá com colheres de mel – as bebidas quentes e o mel ajudam nos sintomas de tosse, dores de garganta e até o podem ajudar a dormir melhor. Atenção: nunca dê mel a uma criança com menos de um ano, pode causar botulismo infantil.

8. Não deixe de comer nem de beber
Quando se está doente, muitas vezes perdemos o apetite e acabamos por nos esquecer de comer e beber – outro erro típico. Ainda que não lhe apeteça, faça um esforço: recorra à clássica canja de galinha, que está cheia de propriedades anti-inflamatórias que vão ajudar na cura da gripe ou constipação (estudos recentes comprovam a sabedoria ancestral).

sábado, 29 de outubro de 2016

GRIPES E CONSTIPAÇÕES




A saúde depende muito da alimentação. É nesta que devemos procurar a prevenção e a cura

 A descida de temperatura e a resistência às roupas de estação são duas das principais causas para as primeiras constipações e gripes pós-férias. Sim, está na hora de guardar as sandálias e de começar a usar um casaco mais grosso e quente.

Ao primeiro sinal de ‘pingo’, são muitas as pessoas que ‘atacam’ com um ou mais comprimidos, mas a verdade é que o segredo (e a cura) está na alimentação.

Como mostra o site Eat This, Not That!, alguns alimentos são verdadeiramente eficazes não só na prevenção como também no tratamento de constipações e gripes, devendo ser olhados como fármacos naturais e, por isso, incluídos na alimentação assim que os primeiros sinais de doença aparecem.

O mel é um dos exemplos mais ‘famosos’. Já as nossas avós diziam e com razão que este elixir era um dos mais poderosos combatentes da tosse, mas a ciência vai mais longe e diz que duas colheres de chá de mel mostraram-se suficientes para ajudar as pessoas com infeções respiratórias. A juntar ao mel ou para consumo isolado, o abacaxi é um outro alimento a ter em conta, uma vez que ajuda a reduzir o muco.

Muito comuns das constipações e gripes, as dores de cabeça são também um ‘alvo a abater’ e, para tal, nada como apostar na banana, um fruto rico em potássio e com um poder calmante capaz de aliviar aqueles ‘martelos’ que teimam em não sair da cabeça. E para que o efeito da banana seja realmente eficaz e proporcione uma boa noite de sono, nada como incluir arroz Jasmine ao jantar, uma vez ajuda o organismo a produzir um aminoácido que provoca sonolência, o triptofano.

Para reduzir as dores deve-se consumir gengibre e apostar na ingestão de lentilhas para aumentar os níveis de energia e evitar aquela ‘moleza’ associada aos estados gripais.

Quando a constipação afecta ainda a sinusite, o recomendado é comer alimentos mais picantes, devendo-se apostar nas malaguetas, uma vez que possuem propriedades anti-inflamatórias.

As sementes de abóbora são ainda um alimento a ter em consideração, especialmente quando o objectivo é reduzir o período da doença. Aqui, explica o site, o segredo está na elevada quantidade de zinco que esta semente tem e que é capaz de travar a proliferação do vírus.

E, mais uma vez, as nossas avós é que têm razão. Sabia que a canja de galinha é mesmo eficaz no combate ao vírus da gripe e às constipações?

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

JINDUNGO OU PIRI-PIRI


Jindungo
Texto extraído de um anexo que me foi gentilmente enviado por e-mail pelo Amigo J G Matos Duque, a quem estou profundamente agradecido.



Quem coloca o jindungo no dia-a-dia está levando, além de tempero, uma série de medicamentos naturais: analgésico, anti-inflamatório, xarope, vitaminas, benefícios que os povos primitivos descobriram há milhares de anos que agora estão sendo comprovados pela ciência.

O jindungo faz bem à saúde e seu consumo é essencial para quem tem enxaqueca. Essa afirmação pode cair como uma surpresa para muitas pessoas que, até hoje, acham que o condimento ardido deve ser evitado.

O jindungo traz consigo alguns mitos, como por exemplo o de que provoca gastrite, úlcera, pressão alta e até hemorróidas..

Nada disso é verdade. Por incrível que pareça, as pesquisas científicas mostram justamente o oposto! A substância química que dá ao jindungo o seu carácter ardido é exactamente aquela que possui as propriedades benéficas à saúde.

No caso da pimenta-do-reino, o nome da substância é piperina.
No jindungo, é a capsaicina.

Surpresa! Elas provocam a liberação de endorfinas ? verdadeiras morfinas internas, analgésicos naturais extremamente potentes que o nosso cérebro fabrica!

O mecanismo é simples: Assim que você ingere um alimento apimentado, a capsaicina ou a piperina activam receptores sensíveis na língua e na boca. Esses receptores transmitem ao cérebro uma mensagem primitiva e genérica, de que a sua boca estaria pegando fogo. Tal informação, gera, imediatamente, uma resposta do cérebro no sentido de salvá-lo desse fogo: você começa a salivar, sua face transpira e seu nariz fica húmido, tudo isso no intuito de refrescá-lo.

Além disso, embora a pimenta não tenha provocado nenhum dano físico real, seu cérebro, enganado pela informação que sua boca estava pegando fogo, inicia, de pronto, a fabricação de endorfinas, que permanecem um bom tempo no seu organismo, provocando uma sensação de bem-estar, uma euforia, um tipo de barato, um estado alterado de consciência muito agradável, causado pelo verdadeiro banho de morfina interna do cérebro. E tudo isso sem nenhuma gota de álcool! Quanto mais arder o jindungo, mais endorfina é produzida! E quanto mais endorfina, menos dor e menos enxaqueca.

E tem mais: as substâncias picantes do jindungo (capsaicina e piperina) melhoram a digestão, estimulando as secreções do estômago.

Possuem efeito carminativo (antiflatulência).

Estimulam a circulação no estômago, favorecendo a cicatrização de feridas (úlceras), desde que, é claro, outras medidas alimentares e de estilo de vida sejam aplicadas conjuntamente.

Existem cada vez mais estudos demonstrando a potente acção antioxidante (antienvelhecimento) da capsaicina e piperina.

Pesquisadores do mundo todo não param de descobrir que o jindungo, tanto do gênero piper (pimenta-do-reino) como do capsicum (jindungo), tem qualidades farmacológicas importantes. Além dos princípios ativos capsaicina e piperina, o condimento é muito rico em vitaminas A, E e C, ácido fólico, zinco e potássio. Tem, por isso, fortes propriedades antioxidantes e protetores do DNA celular.

Também contém bioflavonóides, pigmentos vegetais que previnem o câncer. Graças a essas vantagens, a planta já está classificada como alimento funcional, o que significa que, além de seus nutrientes, possui componentes que promovem e preservam a saúde.

Hoje ela é usada como matéria-prima para vários remédios que aliviam dores musculares e reumatismo, desordens gastrintestinais e na prevenção de arteriosclerose.

Apesar disso, muitas pessoas ainda têm receio de consumi-la, pois acreditam que possa causar mais mal do que bem. Se você é uma delas, saiba que diversos estudos recentes têm revelado que o jindungo não é um veneno nem mesmo para quem tem hemorróidas, gastrite ou hipertensão.

DOENÇAS QUE O JINDUNGO CURA E PREVINE

Baixa imunidade ? O jindungo tem sido aplicada em diversas partes do mundo no combate à SIDA (aids) com resultados promissores.

Câncer ? Pesquisas nos Estados Unidos apontam a capacidade da capsaicina de inibir o crescimento de células de tumor maligno na próstata, sem causar toxicidade. Outro grupo de cientistas tratou seres humanos portadores de tumores pancreáticos malignos com doses desse mesmo princípio activo. Depois de algum tempo, constataram que houve redução de 50% dos tumores, sem afectação das células pancreáticas saudáveis ou efeitos colaterais. Já em Taiwan os médicos observaram a morte de células cancerosas do esófago.

Depressão ? A ingestão da iguaria aumenta a liberação de noradrenalina e adrenalina, responsáveis pelo nosso estado de alerta, que está associado também à melhora do ânimo em pessoas deprimidas.

Enxaqueca ? Provoca a liberação de endorfinas, analgésicos naturais potentes, que atenuam a dor.

Esquistossomose ? A cubebina, extraída de um tipo de pimenta asiática, foi usada em uma substância semi-sintética por cientistas da Universidade de Franca e da Universidade de São Paulo. Depois do tratamento (que tem baixa toxicidade e, por isso, é mais seguro), a doença em cobaias foi eliminada.

Feridas abertas ? É anti-séptica, analgésica, cicatrizante e anti-hemorrágica quando o seu pó é colocado directamente sobre a pele machucada.

Gripes e resfriados? Tanto para o tratamento quanto para a prevenção dessas doenças, é comum recomendar a ingestão de um pequeno jindungo por dia, como se fosse uma pílula.

Hemorróidas ? A capsaicina tem poder cicatrizante e já existem remédios com jindungo para uso tópico.

Infecções ? O alimento combate as bactérias, já que tem poder bacteriostático e bactericida, e não prejudica o sistema de defesa. Pelo contrário, até estimula a recuperação imunológica.

Males do coração ? O jindungo caiena tem sido apontada como capaz de interromper um ataque cardíaco em 30 segundos.. Ela contém componentes anticoagulantes que ajudam na desobstrução dos vasos sanguíneos e activam a circulação arterial.

Obesidade ? Consumida nas refeições, ela estimula o organismo a diminuir o apetite nas seguintes. Um estudo revelou que o jindungo derrete os estoques de energia acumulados em forma de gordura corporal. Além disso, aumenta a temperatura (termogénese) e, para dissipá-la, o organismo gasta mais calorias. As pesquisas indicam que cada grama queima 45 calorias.

Tensão alta ? Como tem propriedades vasodilatadoras, ajuda a regularizar a tensão arterial.

sábado, 8 de outubro de 2016

REDUZIR O CONSUMO DE CALORIAS

Transcrição adaptada:

15 dicas para cortar o consumo de centenas de calorias todos os dias
25/07/2016

" o seu sumo: um copo de sumo de laranja contém 110 calorias, 23 gramas de açúcar e zero de fibra. Uma laranja tem apenas 62 calorias, 12 gramas de açúcar e três gramas de fibra, que não só faz com que o fluxo de açúcar na corrente sanguínea diminua como leva o corpo a absorver menos calorias.

Os sumos naturais que bebe ao longo do dia estão, provavelmente, a impedi-la de perder peso. As várias peças de fruta, vegetais, fontes de proteína – frutos secos ou iogurte grego –, sementes e superalimentos que junta para fazer as bebidas acabam por, no fim, representar centenas de calorias e muito açúcar que nem sempre a deixam totalmente saciada. Se consumisse todos estes alimentos na sua forma original, além de ficar mais satisfeita iria verificar que, em alguns casos, não conseguiria consumir todos eles.

“Uma forma fácil de entender isto é perguntar-se sobre o que o faria sentir-se mais cheio: 300 calorias de sumo de maçã (cerca de duas chávenas) ou 300 calorias de maçãs (cerca de quatro maçãs)”, explica Richard D. Mattes, director do Centro de Investigação do Comportamento Ingestivo na Universidade de Purdue, no estado de Indiana, nos EUA. Ou seja, consumir calorias da fruta na sua forma original protege o corpo do excesso de peso e doenças como a diabetes, enquanto os sumos fazem exactamente o contrário. Vela as 15 dicas para reduzir o consumo exagerado de calorias:

1. "Coma" o seu sumo: um copo de sumo de laranja contém 110 calorias, 23 gramas de açúcar e zero de fibra. Uma laranja tem apenas 62 calorias, 12 de açúcar e três gramas de fibra, que não só faz com que o fluxo de açúcar na corrente sanguínea diminua como leva o corpo a absorver menos calorias.

2. Faça lanches mais saudáveis: em vez de petiscar um pacote de batatas fritas entre as refeições, coma nozes. Também têm muitas calorias mas, ao contrário dos alimentos processados, ajudam-na a perder peso.

3. Prefira consumir os alimentos na sua forma natural: é melhor para a sua saúde. Um estudo japonês publicado no American Journal of Clinical Nutririon concluiu que quem come regularmente alimentos que exigem mastigar é significativamente mais magro do que quem transforma os alimentos para os comer.

4. Consuma álcool com moderação ou não o beba, de todo.

5. Não beba refrigerantes: metade dos norte-americanos obtém pelo menos 200 calorias por dia nos refrigerantes açucarados que bebe. Isto não só aumenta o risco de doenças como a diabetes como contribui para o aumento de peso e obesidade em crianças e adultos.

6. Cozinhe em casa: facilmente pode economizar algumas centenas de calorias por refeição e aumentar exponencialmente a qualidade nutricional da sua dieta. Os restaurantes não só servem porções maiores do que aquelas que normalmente come em casa como também servem refeições repletas de gorduras e açúcares ocultos que aumentam o teor de calorias.

7. Coma mais devagar: comer demasiado rápido não só é falta de educação (especialmente se estiver na companhia de outras pessoas), como também pode fazer com que consuma centenas de calorias extra durante todo o dia.

8. Durma oito horas por noite: se dormir pouco vai, provavelmente, consumir mais 300 calorias do que era suposto durante esse dia.

9. Faça exercício físico antes do pequeno-almoço: vai queimar mais gordura enquanto faz desporto e ao longo do dia.

10. Coma cogumelos: são bons substitutos da carne em pratos com massas, sopas e até sandes ou hambúrgueres.

11. Coma conscientemente: evite comer inadvertidamente enquanto está ao telefone ou a assistir a uma série ou filme. Pergunte-se por que razão está a comer. Se for apenas para não se sentir entediada, não o faça.

12. Sacie a sua sede antes de comer: pode evitar consumir cerca de 300 calorias e irá automaticamente obter a água de que precisa para se manter bem hidratada.

13. Coma grão: grãos como o amaranto, trigo de khorasan e a quinoa são ricos em fibra e proteína, o que faz com que se sinta cheia mais rapidamente.

14. Altere a forma como cozinha o arroz: pode manipular a quantidade de amido nos seus pratos de arroz com um simples truque de cozedura. Basta adicionar uma colher de chá de óleo de coco na água a ferver, acrescentar meia chávena de arroz, deixar ferver durante 25 minutos e, por fim, deixar refrigerar durante a noite (12 horas). Assim irá reduzir as calorias até 60%.

15. Coma mais ovos: num estudo publicado no International Journal of Obesity, investigadores da Universidade do Estado da Luisiana concluíram que os homens e mulheres que comeram dois ovos ao pequeno-almoço perderam 65% mais peso nos dois meses seguintes do que quem comia apenas pão, com o mesmo número de calorias.

NOVOS SUPERALIMENTOS

Transcrição adaptada:

Três novos superalimentos com assinatura portuguesa
03/10/2016

Gonçalo Sardinha fundou a Iswari há sete anos, depois de passar três na Índia a “comer muito mal”. Deixou o país para ir viver três meses na Califórnia, nos EUA, com um amigo, onde fez uma dieta profunda e observou os efeitos que essa alimentação mais saudável tinha no seu corpo. Após essa experiência nasceu a marca portuguesa de superalimentos Iswari.

Em 2009 começou a fazer as primeiras vendas, em Portugal e na Irlanda. Era o filho quem selava as embalagens com um ferro de engomar. No outono de 2016, quando a faturação já cresceu 60% face a 2015 e vendem em 18 países, resolvem refrescar a imagem e apostar em três novos superalimentos: a macarroba, a super vegan protein Iswari (combinação de cânhamo, ervilha e arroz) e a Iswari super green protein (mistura cânhamo, arroz, ervilha, spirulina e clorela).

“A macarroba é adequada tanto para bebidas como para bolos e é ideal para celíacos, intolerantes ao glúten e lactose. A Iswari super green protein dá-nos um boost de energia e a super vegan protein Iswari é uma excelente fonte de vitamina C, magnésio e proteínas”, explicou Gonçalo Sardinha durante a apresentação dos novos produtos da Iswari no Pachamama, o único restaurante em Lisboa com certificado biológico.

Durante a apresentação tivemos oportunidade de experimentar algumas receitas com produtos Iswari. Começámos por um sumo de açaí em pó Iswari, com maçã e canela, passando depois para uma deliciosa sopa de beterraba com super vegan protein e com topping de semente de cânhamo. O prato principal foi uma tarte raw com recheio de pimento, tomate e super green protein com uma base de sementes de cânhamo acompanhada com sementes da sabedoria Iswari. No final terminámos com um trifle de maçã e macarroba. Se ficou com água na boca, deixamos-lhe, a seguir, algumas receitas saudáveis que pode fazer em casa com produtos da marca Iswari. Tem pequenos-almoços, sumos e batidos, saladas, molhos e acompanhamentos, snacks, refeições e sobremesas.

1. Pequeno-almoço: granola caseira. Ingredientes: 250g de flocos Aveia Simples Iswari; 200g de mistura de sementes (linhaça, sésamo, girassol e abóbora); 100g de nozes em pedaços; 50g de Amoras Brancas Iswari; 1 colher de sopa Açúcar de Coco Iswari; 2 colheres de sopa de canela; 1 colher de chá de gengibre; 1 pitada de noz moscada; 1 colher de chá de essência de baunilha; 1 pitada de flor de sal; 150 ml de agave e 50ml de óleo de coco. Preparação: pré-aqueça o forno a 150º e forre um tabuleiro com papel vegetal. Numa taça, misture os flocos de aveia, as nozes, as amoras, as sementes, as especiarias, o sal, o açúcar de coco e a baunilha. Noutra taça, coloque o óleo de coco e o agave. Envolva a mistura húmida com a seca e espalhe sobre o papel vegetal criando uma camada uniforme. Leve ao forno 30 a 40 min. e durante esse tempo mexa 2 ou 3 vezes para manter a granola solta. Retire do forno e deixe arrefecer.

2. Batido: batido energético. Ingredientes: 5 morangos; 3 colheres de sopa de iogurte (de cabra); 1/2 banana congelada ou 1 banana pequena; 2 colheres de sopa de Aveia Simples Iswari; 2 colheres de café de Matcha Iswari. Preparação: bata tudo no liquidificador e coloque como topping pepitas de cacau cru da Iswari.

3. Salada, molho e acompanhamento: salada de quinoa e damascos. Ingredientes: 1 chávena de Quinoa Iswari; 1/4 chávena de damascos secos demolhados entre 2/4h; 4 cebolas; 1/2 pimento vermelho cortado finamente e 5 tomates cereja. Para o molho: 1/4 chávena de azeite; 1/4 chávena de coentros frescos; 3 colheres de sopa de sumo de limão; 3 colheres de sopa de vinagre sidra; 1 colher de sopa de gengibre ralado; 1/4 colher de chá de cominhos e 1 dente de alho e folhas de hortelã picadas. Preparação: bata tudo com a varinha mágica.

3. Snack: trufas vegan. Ingredientes: 6 tâmaras sem caroço; 60g de amêndoas/caju/nozes/castanha do pará; 1 colher de sobremesa de Super Vegan Protein Iswari ou Super Green Protein Iswari e 1 colher de sobremesa de Despertar de Buda Ananás & Erva Trigo Iswari. Preparação: triture as tâmaras com os frutos secos escolhidos e a proteína escolhida. Quando estiver uma mistura homogénea, faça bolinhas. Pode polvilhar com a proteína escolhida, com cacau puro em pó, com um dos frutos secos triturados utilizado ou com coco ralado. Pode colocar as trufas no frigorífico para ficarem mais sólidas ou pode servir de imediato.

4. Refeições: beringela recheada com quinoa. Ingredientes: 2 beringelas; sumo de meio limão; 2 colheres de sopa de vinho branco; 3 colheres de sopa de água; 1 ramo de tomilho; 3 dentes de alho; pimenta e sal a gosto; 1 chávena de Quinoa Iswari com uma pitada de flor de sal; cebolinho picado a gosto e romã para polvilhar. Preparação: Dê alguns cortes no interior das beringelas cortadas ao meio. Faça uma marinada com sumo do meio limão, vinho, água, tomilho, dentes de alho esmagados com casca, pimenta e sal. Deixe repousar 20 min. e coloque no forno durante 40 min., a 180º com a casca virada para baixo. À parte, coza a quinoa com uma pitada de flor de sal. Escorra e junte cebolinho picado a gosto. Retire parte do interior das beringelas, suficiente para rechear com a quinoa (poderá aproveitar o interior para acompanhamento). Polvilhe com romã.

5. Sobremesas: brownie de chocolate cru. Ingredientes: 1 chávena de Cacau Cru em Pó Iswari; 2 colheres de sopa de Pepitas de Cacau Iswari; 1 chávena de Castanha do Maranhão; 1 chávena de caju (pode substituir por avelãs); 1 chávena de sultanas; 1 colher de chá de essência de baunilha; 1/2 chávena de leite de coco; 3 colheres de sopa de coco ralado; 1/2 chávena de Xilitol ou Açúcar Coco Iswari. Preparação: rale a castanha do maranhão e o caju em pó, junte os restantes ingredientes (exceto as pepitas de cacau) e com a ajuda de um robô de cozinha rale durante 1 min. a 2 min. até tudo estar bem misturado e com uma consistência pastosa mas dura. Adicione as pepitas de cacau e envolva bem. Retire do robô de cozinha e molde em rectângulo. Leve ao frigorífico cerca de 2 horas e está pronto a servir. Ótimo se servido com um molho de chocolate (3 colheres de sopa de cacau em pó misturado com 2 colheres de sobremesa de néctar de agave, 1 colher de sopa de água e 1 colher de chá de óleo de coco. Misture tudo bem).

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

PARA PERDER BARRIGA

Reprodução adaptada:
Deixe de comer estes 8 alimentos para perder barriga numa semana
06/10/2016

É possível reduzir o inchaço do estômago e até perder algum peso em apenas uma semana. Quem o diz é a nutricionista norte-americana Jennifer Christman, acrescentando que para o conseguir apenas tem de fazer algumas alterações na dieta entre segunda e sexta-feira.

“O inchaço pode ser aliviado em poucos dias com hidratação adequada e alterações nas escolhas alimentares”, explicou Jennifer Christman à Women’s Health norte-americana. E o melhor de tudo é que a receita da nutricionista para perder a barriga não exige que beba chás desintoxicantes ou sumos estranhos. Apenas tem de eliminar alguns alimentos da sua dieta. Veja, a seguir, os oito tipos de alimentos que não pode comer para perder a barriga em apenas uma semana.

1. Vegetais crus: frescos, são fundamentais para uma dieta saudável. Mas se quer perder barriga certifique-se de que os cozinha sempre antes de ingerir. Cozinhados, os vegetais ocupam menos espaço no seu trato gastrointestinal, o órgão responsável por digerir os alimentos ocupam menos espaço no seu trato gastrointestinal, o órgão responsável por digerir os alimentos.

2. Alimentos picantes: os viciados em molhos picantes vão ter de deixá-los fora do prato para perderem barriga. Este tipo de condimentos podem estimular a libertação de ácido pelo estômago, provocando irritação, acumulação de gases e, por sua vez, inchaço.

3. Sal: evite temperar os alimentos com sal e corte em toda a comida processada. Vai ajudá-a a não acumular água no estômago, pois o sódio é muitas vezes responsável pela retenção de água e pelo consequente inchaço.

4. Carboidratos refinados: deve substituir a ingestão diária de carboidratos por uma ou duas porções de alimentos ricos em amido, a não ser que esteja a fazer treinos de alta intensidade.

5. Alimentos produtores de gás: os bróculos, feijão, couve de bruxelas, repolho, couve-flor, alface, cebola e leite contêm enzimas que produzem gás naturalmente. O gás pode acumular-se nos intestinos e provocar inchaço.

6. Alimentos que contêm açúcar: verifique as etiquetas das suas barras de cereais e outros alimentos que provavelmente contêm açúcar. Ao absorver adoçantes como o xilitol, eritritol, sorbitol e maltitol também vai contribuir para o inchaço do trato intestinal.

7. Álcool: contribui para a irritação gastrointestinal e leva ao inchaço.

8. Pastilhas elásticas: ao mastigar pastilhas elásticas está a contribuir para uma acumulação de excesso de ar no estômago, que fica lá preso e conduz ao inchaço