Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

domingo, 27 de dezembro de 2009

Guloseimas do Natal

QUE ME PERDOEM O PECADO DA "GULA", NESTA ÉPOCA FESTIVA

Até final do ano vou cometer a imprudência de passar-vos receitas de Natal sem querer saber de combinações alimentares. Seria muito difícil, com os meus parcos conhecimentos, inventar receitas
nas quais tudo combinasse muito bem. Por esse facto, peço-vos desculpa e queiram aceitar as MINHAS receitas, que venho praticando ao longo dos anos e que, segundo quem as prova, não são de rejeitar.

AS MINHAS RABANADAS

- Compre 1 pão de forma mas, se fôr fresco, não o utilize nesse dia. Espere pelo dia seguinte e corte-o em fatias. A espessura das fatias deverá obedecer ao gosto de quem as faz. Pessoalmente, gosto delas com 1,5cms.
- Aqueça leite suficiente para a quantidade de rabanadas que precisar de fazer e, sem fervê-lo, passe cuidadosamente as fatias de pão por ele, para que fiquem a amolecer. Há quem ponha um pouco de açúcar e pau-de-canela no leite. Todavia, como estas rabanadas levam molho, não adiciono nada ao leite, afim de não exagerar nas quantidades de açúcar e canela, ingredientes estes já existentes na calda.
- Ponha num tacho, a ferver, 2dl de água, 250grs de açúcar, 1 pau de canela e a casca, ultra-fina, de um limão. Digo ultra-fina porque é a melhor maneira de o utilizarmos, quanto a mim, sem a pela branca agarrada à casca, pois deixa passar melhor o seu delicioso gosto e aroma.
- Deixe ferver até que, ao colocar a escorrer esta calda, numa colher de pau, a última gota que caír deixe um finíssimo fio, sinal de que a mesma engrossou ligeiríssimamente.
- Quando esta calda estiver pronta, coloque dentro uma colher de sopa de canela em pó.
- Entretanto, enquanto a calda está ao lume, aqueça azeite numa frigideira e coloque dentro as duas cascas de um dos ovos que utilizou nas rabanadas, afim de evitar a exagerada espuma que se forma durante o tempo de fritura das rabanadas.
- Com muito cuidado, retire cada fatia de pão, já amolecida, com a ajuda duma espátula e de um garfo, passe-a por os ovos, previamente batidos (com a clara) e frite.
- Quando estiverem douradas, coloque-as as escorrer o azeite em papel absorvente, apropriado.
-Quando estiverem bem secas, haverá duas alternativas:

a) Ou as regam com a calda, pulvilhando de canela, alternativa da minha preferência ...

b) Ou se polvilham com uma mistura de açúcar e canela em pó. Se este fôr o caso, aconselho ponham no leite, onde forem colocadas para amolecer, um pouco de açúcar, canela-em-pau e casca de limão.



Nota: Há quem goste das rabanadas molhadas em vinho tinto, ou vinho do Porto, ou com mel. Eu não aprecio, nunca experimentei e, por tal motivo, não arriscaria uma receita.

Imagens extraídas da net.

Sem comentários: