Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

domingo, 23 de maio de 2010

Sobre comer carne ou não comer carne

O debate entre vegetarianos e não-vegetarianos já vem de longa data e eu não escreverei aqui sobre ele, nem vim tentar convencer ninguém a mudar de lado, mas nos últimos dias andei pensando sobre diversos aspectos dessa questão e gostaria de compartilhar meus devaneios aqui.

Leia o texto com toda a atenção. Reflicta sobre os prós e contras do consumo de carne vermelha e tome a sua decisão! Só você pode decidir o que é melhor para você e para sua família.

Coma carne vermelha, mas faça todo o possível para obter carne orgânica e, principalmente, carne de animais criados soltos. Neste caso, ser orgânico não basta! Eu ainda não aderi totalmente às carnes orgânicas – a mudança está acontecendo aos poucos, conforme me informo melhor sobre os fornecedores disponíveis. Se você mora no interior, procure em fazendas próximas, nos arredores. Converse com o produtor, peça para conhecer a fazenda, informe-se ao máximo! Sem contar que um passeio pela fazenda pode ser um programa bastante divertido para a família. Comprar direto da fazenda também te dá a vantagem (que eu ainda não tenho) de comprar carnes de órgãos (são as carnes mais nutritivas) e ossos para o caldo de carne caseiro. Conheça seu fornecedor.

As carnes de órgãos (vísceras ou ‘miúdos’) jamais eram desprezadas pelas culturas tradicionais. As carnes de órgãos são extremamente ricas em vitaminas lipossolúveis, e eram/são apreciadas como verdadeiras iguarias na culinária tradicional de todos os povos. Os ossos sempre foram utilizados para o preparo de caldos e sopas riquíssimos em minerais que, desta forma, são muito facilmente assimilados pelo nosso organismo.

A carne vermelha é uma excelente fonte de minerais, particularmente o zinco e o magnésio. Na carne esses minerais estão presentes em uma forma muito fácil de ser utilizada pelo nosso organismo, muito mais fácil do que em grãos e sementes. As carnes vermelhas também são ricas em vitaminas B12, importantíssima para a saúde do sistema nervoso e do sangue. A carne também é rica em carnitina, que é essencial para a saúde do coração.

A gordura da carne vermelha de animais criados soltos é rica em vitaminas lipossolúveis e contém uma boa proporção de ácidos gordos essenciais ómega-3. Essas vitaminas lipossolúveis são as que o nosso organismo precisa para aproveitar os minerais presentes nos alimentos. Em estudos com cobaias, a gordura de animais possui a propriedade de *baixar* o colesterol – preocupação “da moda” nos dias de hoje (porém infundada, segundo vários pesquisadores sérios).

As gorduras das carnes vermelhas são também ricas em ácido linoleico conjugado, substância comprovadamente anti-câncer. São também ricas em ácido palmitoléico, que nos protege contra vírus e outros micróbios causadores de doenças.

Leia mais aqui .


Fernanda Ferreira (Ná)

4 comentários:

A. João Soares disse...

Querida Ná,

Em 1985. frequentei um curso em que tive como colega um médico, e ele combatia a insistência de alguns evitarem a carne. Dizia que comemos para alimentar o corpo (carne) e portanto a carne já vem mais preparada para ser assimilada, exigindo menos esforço ao aparelho digestivo e endócrino do que outros produtos que exigem transformações mais complexas e difíceis.
É claro que em qualquer questão há sempre opiniões divergentes e convém determo-nos a analisar os argumentos que nos ajudem a tomarmos posição bem ponderada.

Beijos
João
Do Miradouro

Fernanda disse...

Querido João.

Claro que temos que ver os prós e os contras sempre, como em tudo.

Não tenho nada contra quem não coma carne, seja vegetariano, etc.
Eu como se tudo mesmo, em doses que para mim são as que me fazem sentir bem.

Lembro só que na evolução do homem ao longo da História, a ingestão se carne foi determinante.

Obrigada pelo seu parecer que é muito importante.
Ponderar é a palavra.
Moderação na ingestão é outra.

Beijinhos

A. João Soares disse...

A T E N Ç Ã O

AS IMAGENS QUE DESAPARECERAM NOS POSTS DESTA COLABORADORA DEVEM-SE, PROVAVELMENTE, A UM «LAPSO» DELA.
Pedimos paciência aos amigos visitantes.

Cumprimentos
João

Stela Up° disse...

Comer ou não comer carne... esse foi o título do seu post. Porém, vc foi para outro assunto: a questão das carnes orgânicas.

Existem muitos argumentos e explicações científicas a favor da dieta vegetariana, e sugiro que pesquise pela rede, só tome o cuidado em considerar estudos atuais, ou seja, de 1985 em diante. Assim, vc fica sabendo por conta própria ao invés de eu tentar convencê-la.

Só esclarecendo um engano, existe a hipótese da ingestão da carne vermelha no decorrer da evolução humana, porém, não é válida em si e a própria hipótese é referente a alguns povos.
O que posso adiantar é que o tipo sanguíneo O (- ou +) não produz proteína e necessita de carne. Enquanto o sangue A (- ou +) produz a sua própria proteína e pessoas com esse tipo vivem melhor sem carne. Isso significa que para determinadas pessoas, a carne faz mal.

Eu achei o blog muito bom, mas como se trata de saúde informações mais aprofundadas devem ser consideradas para atingir o seu objetivo.