Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

A Carqueja

Nesta altura do ano, a minha serra encontra-se repleta de flores campestres. As suas encostas apresentam um vistoso colorido que faz bem aos olhos e alegra a alma.
Na serra existem muitas espécies botânicas que, para além da sua beleza, durante muito tempo foram o primeiro recurso usado pelos seus habitantes, no tratamento de algumas doenças. Longe do médico e da
"botica" e sem recursos para a eles recorrerem, usavam frequentemente a flora endógena , pondo em prática o conhecimento passado de pais para filhos. Fazendo infusões, inalações, cataplasmas, lavagens e outros processos, utilizavam as diferentes plantas, conforme o tratamento que o seu problema necessitava.
Nos últimos tempos, mas por outras razões, esta prática está de novo a ganhar muitos adeptos, tanto para tratamento como para prevenção de alguns problemas de saúde.
Aproveitando o facto de os arredores do Sobral Magro estarem em flor, Ana Teresa enviou-me fotos de algumas das espécies mais abundantes e mais usadas com fins terapêuticos na aldeia.
Hoje a imagem representa uma delas:

- Carqueja em flor -

Com as folhas deste arbusto, pode fazer-se um chá que é considerada uma boa ajuda na digestão, utilizado-se para resolver problemas de fígado, estômago e intestinos. É também diurético e há quem o utilize para reduzir o peso e, se em vez das folhas utilizar a sua flor, obterá uma boa ajuda no combate da diabetes e das constipações.

Por cortesia da amiga Lourdes do Blog O Açor.



Na Casa do Rau

6 comentários:

Felina Mulher disse...

Boa noite,

Eu já usei o chá de Carqueja, mas nunca tinha visto a sua flor....como é linda1


Um beijo.

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná

Gosto de ver o retorno à Natureza, à simplicidade de antigamente. Os medicamentos surgiram do aproveitamento de qualidades conhecidas em vegetais. Depois acrescentaram os químicos que são tóxicos e produzem os efeitos colaterais e que, por isso, exigem cuidados.
Nas ervinhas dos montes, há tanta coisa boa e útil que devemos aproveitar!!!

Obrigado por ter divulgado

Beijos
João
Do Miradouro

Fernanda disse...

Olá amiga Felina!

É linda mesmo!
Aqui onde vivo, quando os montes estão cobertos de flor de carqueja é simplesmente divino.

Agora temos muita urze de vários tons, branco, rosa e roxo, lindo!

Eu faço até arroz com a flor da carqueja, fica lindo, amerelinho e saboroso.
No cabrito assado não prescindo de carqueja.
Experimente.

Beijos

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Mas tanta coisa mesmo.
Sabe? Tinha um amigo, o Daniel, colega de ginásio com quem andei muitas vezes em longas caminhadas. Esse meu amigo faleceu subitamente do coração há dois anos.
Uma história triste de vida, já que perdeu filha, esposa e só sobrou o filho.

Mas o que interessa mesmo, ele sabia tudo sobre as ervas, as raízes e ia justamente começar a escrever um livro sobre isso quando faleceu.
Foi muita pena, mesmo muita, com ele foi uma imensa sabedoria.

Beijinhos

mario gualter rodrigues pinto disse...

Cara amiga

Dei uma miradinha pelo seu blog. e despertou-me atenção a carqueja, um produto óptimo para um bom arroz de acompanhamento e não só, pois tambem é usado em temperos, molhos, chás e existem uns bolinhos de carqueja e mel que são uma delícia.

Com os meus cumprimentos

Beijinhos

Mário Pinto

A. João Soares disse...

A T E N Ç Ã O

AS IMAGENS QUE DESAPARECERAM NOS POSTS DESTA COLABORADORA DEVEM-SE, PROVAVELMENTE, A UM «LAPSO» DELA.
Pedimos paciência aos amigos visitantes.

Cumprimentos
João