Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Gel inovador permite tomar banho sem água

Tomar banho sem água pode parecer uma ideia estranha e até uma tarefa impossível. Porém, uma invenção de um estudante sul-africano veio provar que não é assim e trouxe a solução para quem não tem possibilidade de tomar banho devido à falta de acesso a água limpa.
 
Gel inovador permite tomar banho sem água Trata-se de um gel, batizado DryBath, que mata germes, hidrata a pele e liberta um odor ligeiro e agradável, ao contrário de outros produtos com fins desinfectantes. Este gel inovador é vendido em frascos individuais sendo que cada um corresponde a um banho tomado sem precisar de uma gota de água.
 
Citado pelo portal LiveScience, Ludwick Marishane, o estudante de 22 anos que criou o DryBath, explicou que se inspirou num amigo preguiçoso que não gostava de tomar banho e, um dia, afirmou que um produto deste tipo seria uma criação milagrosa. Com a ideia em mãos, Marishane precisou apenas de dedicar-se à investigação e foi o que fez ao longo de alguns meses.
 
O DryBath está já à venda no mercado e, de acordo com o mentor, a opção por embalagens individuais deveu-se a um conselho dos professores, que lhe explicaram que, nos países mais pobres, as pessoas optam por comprar tudo em quantidades muito pequenas como, por exemplo, um único cigarro em vez de um maço.
 
Para as comunidades mais desfavorecidas, cada frasco é vendido por 50 centavos. Porém, a invenção agrada também a companhias aéreas e cadeias de hotéis, que têm adquirido o DryBath para o disponibilizar aos seus clientes. Neste caso, o custo do produto é de 1 dólar e meio e, por cada venda, Marishane doa um frasco a uma instituição de solidariedade.
 
Em 2011, a invenção valeu ao jovem o primeiro prémio no Global Student Entrepreneurs Awards. Entretanto, o sul-africano, que frequenta actualmente a Universidade da Cidade do Cabo, tem já a sua própria empresa, a Headboy Industries, e espera levá-la ao sucesso por meio do desenvolvimento de mais produtos que facilitem a vida dos mais carenciados.
 
 
 

2 comentários:

A. João Soares disse...

Cara Fê,

Uma boa notícia. Jovens com esta capacidade de inovar e de pensar em ajudar os mais carentes, levam-nos a ter confiança no futuro e a não deixar morrer a esperança.

Um bom post, sob vários aspectos

Beijos
João

Celle disse...

Nestes tempos preocupantes com o futuro da humanidade uma importante descoberta de um jovem. Muitos benefícios e utilidades ja estão advindo desta descoberta.Será bom para a sustentabilidade.
bjs
celle