Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

sábado, 9 de junho de 2012

Vacina contra Alzheimer

Vacina contra a doença de Alzheimer com bons resultados em ensaio clínico
Público. 08.06.2012 - 15:40 Por Teresa Firmino
Resultados publicados na revista The Lancet Neurology.

Pela primeira vez, uma vacina contra a doença de Alzheimer teve bons resultados num ensaio clínico. Liderada pelo Instituto Karolinska, na Suécia, uma equipa de cientistas testou a nova vacina durante um ensaio que envolveu 58 doentes de Alzheimer. Verificou-se, segundo o estudo publicado na revista The Lancet Neurology, que a vacina conseguiu desencadear a produção de anticorpos contra uma proteína que se acumula no cérebro destes doentes e o danifica – a beta-amilóide.

A doença de Alzheimer não tem cura e todos os tratamentos actualmente disponíveis limitam-se a tentar abrandar os sintomas. Neste momento, há cerca de 36 milhões de pessoas com Alzheimer em todo o mundo. Em 2050, pensa-se que serão 115 milhões.

A beta-amilóide vai-se acumulando no cérebro e formando placas, que destroem os neurónios e degradam progressivamente as funções corporais em geral. Não se conhecem as causas exactas da doença de Alzheimer, que inicialmente tem como sintomas a dificuldade em recordar as memórias recentes porque a acumulação das placas provoca as primeiras lesões nas regiões cerebrais envolvidas na formação de novas memórias. À medida que a doença progride, outras regiões do cérebro são afectadas pelos agregados de beta-amilóide. Só depois da morte do doente é que se comprova a doença, através da análise de amostras do cérebro, para verificar a presença das placas.

Já tinha havido um ensaio clínico para testar uma vacina, há cerca de uma década. Mas correu mal, recorda o Instituto Karolinska em comunicado, e o ensaio foi interrompido porque provocou muitas reacções adversas (a vacina activava certos linfócitos T, células do sistema imunitário, mas que depois começaram a atacar o próprio tecido cerebral).

Agora, a equipa de Bengt Winblad, que foi patrocinada pela empresa farmacêutica Novartis, testou a nova vacina – chamada CAD106 –, que procura induzir a produção de anticorpos contra a beta-amilóide. “Neste segundo ensaio clínico em humanos, a vacina foi modificada para afectar apenas a prejudicial beta-amilóide”, lê-se no comunicado.

Neste ensaio, de fase 1 (que testa a segurança e tolerância de um novo medicamento), 46 dos 58 participantes receberam a vacina e aos restantes 12 foi dado um placebo (uma substância sem acção biológica). “Os investigadores descobriram que 80% dos doentes envolvidos nos ensaios desenvolveram os seus próprios anticorpos contra a beta-amilóide sem efeitos secundários durante os três anos do estudo. Isto sugere que a CAD106 é um tratamento tolerável para os doentes com doença de Alzheimer ligeira a moderada”, lê-se ainda.

Para avaliar e confirmar a eficácia da vacina, terão agora de ser feitos ensaios clínicos com mais doentes, sublinha a equipa no artigo.

Leituras recomendadas sobre este tema:

- óleo de coco cura o mal de Alzheimer
- Alzheimer - o que se conhece
- A doença que nos rouba de nós mesmos
- Alzheimer
- Alzheimer
- Alzheimer. Dia Mundial da doença
- Café reduz risco de Alzheimer
- Alzheimer. Precauções
- Beber Chá ?? Saiba os benefícios
- Alimentos com colesterol aumentam risco de Alzheimer
- Colesterol implicado no Alzheimer
- Esclerose & Alzheimer, mal de Adoçante
- Alzheimer. Mais vale prevenir

Imagem do PÚBLICO de ressonância magnética do cérebro de um doente com Alzheimer)

2 comentários:

Celle disse...

João, aqui neste espaço temos aprendido muito e notícias como esta de prevenção e tratamento de alguns males que nos acometem e afligem também, nos enchem de esperanças!
Oxalá esta vacina possa ser liberada trazendo tranquilidade as gerações futuras.
bjs
celle

A. João Soares disse...

Amiga Celle,

Na humanidade nem todos são obcecados pelo dinheiro adquirido por qualquer forma. Felizmente, há pessoas generosas que se dedicam à ciência com aferrada intenção de melhorar a vida das pessoas.
Veja esta notícia, vinda hoje no jornal PÚBLICO. Nunca devemos perder a esperança.

Proteína infecciosa da doença de Alzheimer foi vista a passar de neurónio para neurónio

beijos
João