Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

VITÓRIA CONTRA CANCRO GENERALIZADO

Transcrição de artigo que apresenta um êxito pouco vulgar contra o cancro.

De 70 tumores malignos passou a ter... nenhum
13:22 - 26 de Fevereiro de 2014 | Por Notícias Ao Minuto

Ao todo eram 70 os tumores malignos que lhe foram diagnosticados e os médicos não lhe deram mais do que cinco semanas de vida. A sentença de morte ditada pelos clínicos fez com que Ian Brooks se voluntariasse para um novo tratamento e doze semanas depois, nem um tumor ficou no seu corpo para contar a história, noticia o Daily Mail.

Ian Brooks, de 47 anos, pode ser apelidado de milagre da medicina. Este britânico viu os médicos declarem-lhe uma sentença de morte depois de ter sido afetado por uma doença rara que deu origem a 70 tumores malignos por todo o corpo.

Deram-lhe cinco semanas de vida, mas Ian tem escapado à morte há mais de doze. Segundo o Daily Mail, este homem voluntariou-se para um tratamento inovador da The Christie Hospital, em Manchester, assim que lhe disseram que não iria sobreviver, contudo, nem mesmo os médicos conseguiriam adivinhar o sucesso que o tratamento iria ter.

Brentuximab Vedotin assume-se como coprotagonista desta história de sobrevivência. Este fármaco inovador foi o responsável pelo desaparecimento dos 70 tumores que um cancro raro - Anaplastic Large Cell Lymphoma – lhe tinha provocado em 2008, depois de diagnosticado em 2001.

Este medicamento é administrado a cada três semanas, com uma gota de cada vez deitada num dos braços. Segundo a mesma publicação, o Brentuximab Vedotin atua como uma proteína que adere à superfície das células cancerígenas, largando um medicamento que mata a célula.

Doze semanas depois de dar início ao tratamento, ou seja, após quatro administrações do Brentuximab Vedotin, as mais recentes radiografias de Ian comprovam que o britânico não possui mais qualquer tumor no seu corpo.

Considerado curado, Ian Brooks já foi dispensado deste tratamento.

Sem comentários: