Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

segunda-feira, 11 de março de 2013

Caminhar faz bem às dores lombares

Caminhadas ajudam a combater dores lombares
A fisioterapia não tem de ser a única solução para quem sofre de dores lombares. Uma nova investigação da Universidade de Tel Aviv, em Israel, sugere que as caminhadas são uma forma eficaz de combater este problema, tornando desnecessária a realização de sessões de exercícios dispendiosas, tanto em termos de dinheiro, como de tempo.
O estudo, realizado por Michal Katz-Leurer e Ilana Shnayderman, do departamento de fisioterapia daquela universidade israelita, concluiu que um simples treino aeróbico composto por caminhadas é tão eficiente no alívio das dores como os programas de fortalecimento muscular que requerem equipamento especializado e só podem ser feitos em clínicas de reabilitação.
De acordo com Katz-Leurer, coordenadora da investigação publicada na revista científica Clinian Rehabilitation, fazer uma caminhada de 20 a 40 minutos duas a três vezes por semana é o suficiente para beneficiar dos seus efeitos, escreve o jornal local Jerusalem Post.
As dores lombares são um problema comum em todas as idades e o seu tratamento requer, por norma, muitas horas de fisioterapia. Porém, estes investigadores afirmam que a solução que defendem pode ser facilmente incorporada na rotina diária e permite que os pacientes sejam mais responsáveis em relação à própria saúde.
De acordo com o grupo, as pessoas que sofrem de dores lombares não devem ficar na cama e manter-se imóveis. Pelo contrário, devem caminhar de forma ativa, porque a prática de caminhadas faz com que os músculos lombares e abdominais trabalhem com tanta eficácia como acontece durante exercícios completos e localizados.
Segundo os investigadores, a estes benefícios junta-se o facto de, ao contrário do que se passa com os programas de fortalecimento muscular, que exigem equipamento específico e supervisão de especialistas, as caminhadas serem uma atividade simples que pode ser feita individualmente.

Os especialistas salientam ainda que as caminhadas têm a vantagem adicional de encorajar os indivíduos a seguir um estilo de vida mais saudável em termos gerais.

Menos probabilidade de sofrer de outras dores durante a vida
Para chegar a estas conclusões, os cientistas realizaram um ensaio aleatório de controlo com 52 pacientes com dores lombares. Através de questionários, a equipa tentou perceber os níveis da dor, os sentimentos de incapacidade física dos pacientes, o grau de necessidade de evitar atividades diárias em consequência do problema que sentiam e também a sua resistência muscular e às caminhadas.
Depois, metade dos participantes completou um programa típico de fortalecimento muscular, com duas a três sessões de exercícios semanais ao longo de seis semanas.

A outra metade completou um programa aeróbico baseado em caminhadas, caminhando uma a três vezes por semana. Os elementos deste último grupo começaram com caminhadas de 20 minutos, duração que subiu, depois, para 40, à medida que a resistência aumentou.
Os resultados mostraram que ambos os grupos registaram melhorias em todas as áreas analisadas e comprovaram que as caminhadas são "um tratamento tão eficaz como aquele que poderia ter sido recebido numa clínica", afirmou Katz-Leurer.
Em complemento, aqueles que efetuaram caminhadas conseguiram percorrer, em seis minutos, uma distância média mais longa durante um teste realizado no final do estudo do que os pacientes tratados em clínicas.
As pessoas ativas fisicamente têm também, acrescenta Katz-Leurer, menos probabilidade de sofrer de outro tipo de dores ao longo da vida e as caminhadas contribuem ainda para reduzir a pressão arterial, melhorar o funcionamento do cérebro e do sistema imunitário e para reduzir o stress.

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês).

1 comentário:

A. João Soares disse...

Cara Amiga Fê,

Tive imenso prazer em ler este post que aceitei como um diploma à minha convicção e prática desde há muitos anos. Na minha infância andava por dia 6km de manhã e o mesmo à tarde, entre a casa e o liceu e regresso. Ficou-me o gosto pelas caminhadas que tenho alimentado até esta provecta idade. Até há poucos meses ia almoçar a uma pastelaria a quase 3 Km de casa por gosto de andar e pelo preço! Agora vou a um restaurante mais próximo, mas não deixo de passear os cães quatro vezes por dia e quando tomo o comboio vou a pé até à estação (cerca de 3 Km). Nunca me queixei de dores lombares, a não ser uma vez em que estive a fazer uma pequena reparação na suspenção do carro e dei um jeito incorrecto quando me levantei. Mas passou, depois de alguns dias, sem acção médica, apenas com andar e um pouco de automassagem.

A propósito dos músculos postos em actividade com o caminhar sugiro que se coloque a mão nas costas para os sentir em acção. E curiosamente, tais músculos funcionam quando se faz qualquer movimento mesmo que apenas com os braços. O nosso corpo é uma máquina complexa e perfeita e, se for activado diariamente ou alguns dias por semana, de forma correcta, manter-se-á em boa forma.

Mas cuidado, porque tenho visto pessoas a caminhar de forma errada o que deforma o esqueleto, não só dos membros inferiores mas também da coluna. Sem cair nos exageros das meninas militares chinesas que vemos nos vídeos, devemos imitar o essencial da sua marcha, movimentando as pernas num plano vertical e assentando o pé com os dedos para a frente e não para o lado, nesse plano.

A medicina desportiva indica muitos erros geradores de incapacidades de movimento.

Beijos
João