Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

quinta-feira, 18 de junho de 2015

CHOCOLATE REDUZ RISCO DE AVC



Sabe quantos gramas de chocolate deve consumir por dia?
 Visão. 11:03 Terça feira, 16 de Junho de 2015

Uma investigação analisou a saúde e o consumo de chocolate de quase 21 mil adultos e chegou a uma quantidade diária que diminui significativamente o risco de doenças cardíacas e AVC

Os investigadores da Universidade escocesa de Aberdeen descobriram que os participantes que consumiam mais chocolate viam reduzido em 23% o risco de AVC, em comparação com os que não comiam nenhum. E por "mais chocolate" entenda-se cerca de 100 gramas por dia (uma tablete média). Essa dose revelou ainda equivaler a um risco 11% inferior de doenças cardiovasculares e a uma redução em 25% do risco de morte a elas associada.

O estudo faz parte de uma análise ainda em curso sobre o impacto da dieta na saúde, a longo prazo, de 21 mil homens e mulheres em Norfolk, Reimo Unido. Destes, um em cada cinco afirmou não consumir chocolate, mas entre os que disseram consumir foram relatadas doses diárias entre os 7 e os 100 gramas. Quando ao tipo de chocolate consumido, o de leite foi o mencionado com maior frequência. "O nosso estudo concluiu que cada vez mais provas sugerem que o consumo mais elevado de chocolate está associado a um risco inferior de acontecimentos cardiovasculares no futuro", afirma o professor Phyo Myint, da Universidade de Aberdeen.

"A mensagem que tiro deste estudo é que se tem um peso saudável, então, comer chocolate (com moderação) não aumenta o risco de doença cardíaca e pode até ter benefícios", conclui, por seu lado, Tim Chico, cardiologista e professor na Universidade de Sheffield.

Sem comentários: