Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Guia da dieta saudável da Universidade Harvard

Prato Saudável da Harvard não Recomenda Lacticínios

O Guia da dieta saudável da Universidade Harvard ("Healthy Eating Plate") defende que o consumo de lacticínios não faz parte de uma alimentação equilibrada.
O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos lançou um guia de saúde  batizado de "Choose My Plate", no qual existem 5 grupos de alimentos essenciais para uma dieta saudável, sendo o último, "dairy", o grupo dos lacticínios.
Em resposta a este guia do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, a Universidade de Harvard lançou o Guia da Dieta Saudável (imagem ao lado) que se baseia em investigações científicas livres de lobbies e de pressões das grandes corporações. O Guia alerta que o consumo de leite e derivados está associado ao desenvolvimento de cancro da próstata e, possivelmente, ao cancro do ovário. Os pesquisadores da Harvard chamam à atenção para os altos níveis de gordura saturada e para os componentes químicos usados na produção dos lacticínios. A solução apontada passa pela ingestão de alimentos ricos em cálcio, como, por exemplo, de legumes verdes (espinafres, couve, brócolos, etc.) e de diversos grãos.
Sendo assim, segundo a Universidade de Harvard deixa de fazer sentido a fatia dos lacticínios a que estávamos acostumados na Pirâmide e na Roda dos Alimentos.

Veja mais em:
http://www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/healthy-eating-plate/
http://www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/calcium-and-milk/
http://www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/calcium-full-story/


fonte: O Único Planeta que Temos

1 comentário:

A. João Soares disse...

Cara Amiga Fê,

As investigações têm conduzido a conclusões que cortam velhos hábitos e tradições que não eram correctos e, desta forma, hoje as pessoas podem ser mais saudáveis e ter maior longevidade. Com esta aparecem novas doenças que antigamente não chegavam a ter ocasião para aparecer.
Por outro lado a industrialização introduz mais componentes que não são benéficos para a saúde. É preciso que a investigação não páre na busca da perfeição.

Beijos
João