Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Sejamos felizes, apesar da crise...

A crise concede-nos oportunidade para mudarmos os nossos hábitos, a forma de estar na vida e, sobretudo, voltarmos a dar valor àquilo que realmente o tem.

Eis algumas medidas que podemos adoptar, para tornar esta crise um pouco mais suave:

1. Seja solidário. Dê. Tem provavelmente, roupa que já não usa, brinquedos que estão a um canto. Ofereça. Há quem precise. Contribua no Banco Alimentar contra a Fome (um fim-de-semana em Dezembro e um em Maio). Compre enlatados, leite de longa duração, arroz, massas, azeite, etc. Há quem esteja a passar por situações horríveis e não tem que comer..Essa ajuda chegará a quem tem fome.

2. Seja voluntário. Ajude. Há quem viva completamente só e que tem como única companhia, a televisão. Provavelmente até essa deixará de existir, quando não houver dinheiro para pagar a electricidade. Para esses, 5 minutos da sua companhia, com uma palavra simpática, uma preocupação e um sorriso, vão tornar os dias mais quentes e mais fáceis de ultrapassar.

3. Poupe. Os nossos filhos (e nós), temos que nos habituar a poupar.

4.Tome duches rápidos. 7 Minutos chegam. Quando o seu filho for tomar banho, marque no temporizador da cozinha, 7 minutos. Ao fim desse período, corte-lhe o gás. Apanha um arrepio forte, toma o resto do duche frio, mas a partir do 2º dia, os banhos serão mais curtos. Seguramente. Poupa no gás, na água e na electricidade. Melhora o ambiente.

5. Faça parte do 'pessoal da marmita'. Eu já aderi, há muito. Leve almoço para o emprego. Come com mais qualidade e poupa muito. E não é vergonha nenhuma. Vergonha é roubar; e para isso, já temos em Portugal muitos ladrões.

6. Resista à tentação das montras. Se tem dois pares de sapatos pretos do ano passado, para quê comprar um terceiro?

7. Faça sempre uma lista antes de ir às compras. Quer vá ao supermercado, a uma boutique ou a uma sapataria. Compre apenas o que lhe faz falta.

8. Habitue os seus filhos a vestirem marcas brancas. Há roupa de qualidade feita em Portugal. Utilizar roupa caríssima só porque é de marca, é uma idiotice, não só porque os miúdos crescem depressa, como estamos a habituá-los de uma forma completamente errada e com os valores distorcidos. Não é importante vestir roupa de marca, o importante é estar vestido e não passar frio.

9. Não utilize guardanapos de papel. Praticamente todos nós temos em casa, guardanapos de linho ou de algodão (do tempo dos nossos avós). O contacto com os lábios é muito mais suave, podem ser lavados e reutilizados. Além disso, o papel é caro e destrói o ambiente.

10. Se gosta de doce ou marmelada no pão, faça as compotas em casa. São mais baratas, utiliza fruta da época, não tem conservantes e é uma maneira de reutilizar aqueles frascos de vidro, que guardamos lá em casa. Além disso diverte-se, trabalhando. E pode aproveitar para comprar fruta portuguesa. Alguém consegue explicar-me porque os nossos supermercados vendem limões provenientes da América latina, quando temos os limoeiros em Portugal cheios de limões?

11. Leve para o seu emprego uma chávena de café e uma de chá (em loiça ou vidro). Não só ajuda a sua empresa a poupar, como ajuda o ambiente.

12. Ande a pé, sempre que possível. Faz bem à saúde e poupa combustível, poupando também nos impostos.

13. Em vez de carro, utilize os transportes públicos, se possível.

14. Deixe de ser fútil. Para que é que interessam as fotografias da recém-nascida Carlota Maria??? Deixe de comprar aquelas revistas completamente imbecis cheias de fotos de parasitas que nada fazem (mas que se julgam muito importantes).

15. Leia, leia muito. Enquanto lê, relaxa, melhora o seu nível cultural, aprende. E melhor que tudo, deixa de ter tempo para ver televisão.

16. Ponha as máquinas da roupa e da loiça (que gastam muito), a trabalhar depois das 22h. Utilizando a tarifa bi-horária, a electricidade é 50% mais barata durante esse período.

17. Em vez de tomar anti-depressivos, tenha gatos e/ou cães em casa. São os nossos melhores amigos. Estragam-nos algumas coisas, mas são divertidos e esperam todos os dias por nós, com um sorriso e a cauda a abanar.

18. Trabalhe melhor, tenha ideias novas, divirta-se com os seus amigos. Apanhe sol na cara, ande, passeie nos jardins. E sobretudo, tenha calma!

19. Não perca a esperança. Lembre-se dos mineiros chilenos. Conseguiram sair do buraco e tiveram que se dar bem lá dentro. Nós temos muitos dias de sol que nos aquece. Por enquanto sobre ele, ainda não pagamos imposto.

20. Apesar de me sentir profundamente triste, preocupada e acima de tudo revoltada com os últimos acontecimentos (os nossos governantes deveriam ir presos para o resto das suas vidas), não deixo de pensar que temos aqui uma excelente oportunidade para mudarmos os nossos hábitos, a nossa forma de estar na vida e sobretudo voltarmos a dar valor aquilo que tem realmente valor, como o amor, a solidariedade, amizade e a educação.

Sejamos felizes!

Recebido por e-mail. Imagem do Google

2 comentários:

Celle disse...

Bons conselhos e dicas não somente para época de crises, mas, como educação para a vida.
Um forte abraço, joão!
celle

A. João Soares disse...

Amiga Celle,

Diz muito bem. Estes conselhos deviam ser ensinados às crianças, para saberem gerir cada um dos seus actos. A vida das pessoas é o resultado dos seus actos, sem milagres e sem actos do diabo. Se agem bem terão felicidade e uma vida agradável, se erram por sistema, terão uma vida infeliz e sem êxito.

O êxito da sua família é um exemplo disto, A Celle e o António regem a sua vida pelos melhores princípios e valores e, por isso, constituem uma família feliz.

Beijos
João