Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

sábado, 28 de novembro de 2009

A saúde depende dos pensamentos e das palavras

Como domina os seus pensamentos e os seus sentimentos?
Bseado no livro «Common Sense Health and Healing», do Dr. Richard Schulze.

Imagine como o sistema imunológico tem que se defender ante o ataque constante a que se vê acometido. Se lhe parece que as bactérias assassinas, as enfermidades gerais e as gripes malignas são perniciosas, você se surpreenderá quando souber que as pesquisas médicas e científicas mais recentes concluíram que o inimigo mais temido pelo organismo não são os micróbios… mas os pensamentos e as palavras de cada dia.

Quer saber mais? Há um nutriente de efeitos terapêuticos mais eficaz que as vitaminas, os minerais, as enzimas, os remédios naturais e as ervas medicinais. O AMOR.

O cérebro trabalha constantemente, todos os dias do ano e a toda hora, não fecha nos feriados nem tira férias. Em princípio, é o computador que dirige o organismo, e regula praticamente cada una das funções do metabolismo e seu equilíbrio químico. Desde o sistema nervoso até a actividade sexual, passando por mil actividades de que você nem faz ideia, o cérebro é quem manda, e está constantemente criando, automatizando, regulando, equilibrando e mantendo todo o organismo em cada momento do dia.

A ciência já descobriu que, quando se tem um pensamento, o cérebro produz substâncias que abrem o que se poderia chamar de janela para a actuação dos sentimentos. Quando o pensamento é concluído, a janela se fecha. Por exemplo, quando vê a pessoa amada, essa sensação incrível que percorre o corpo não é outra coisa que uma substância química. Quando se excita sexualmente o seu corpo é levado a liberar outra substância química, e quando alguém o tenta assaltar, e surge a vontade de reagir, de ter consigo uma arma para desintegrar esse safado, essa ira que sente, esse ácido corrosivo que aparece no sistema circulatório, no estômago, essa sensação, é outra substância enviada pelo cérebro.

Essas substâncias segregadas pelo cérebro se chamam neuropeptídeos. A biologia levou anos pesquisando este campo e ainda continua. O que sabemos até agora é que, quando se tem um pensamento, o cérebro produz substâncias que afectam a pessoa, e o que ela sente é produzido pela assimilação desses neuropeptídeos.

E é aqui que a coisa se torna inquietante: A ciência médica fez uma descoberta transcendental na última década que passou praticamente desconhecida. Já era sabido que as células do sistema imunológico, como todas as demais, têm compartimentos de descarga em sua membrana para assimilar diversas substâncias. O que se descobriu foi que na membrana de cada um dos linfócitos que defendem o corpo de bactérias, vírus, fungos, parasitas, câncer e de todas as enfermidades existe um ponto concreto de carga que recebe os neuropeptídeos.

O que importa ao sistema imunológico é aquilo que pensamos, por isso a importância dos pensamentos! O cérebro só cria a doença que conhece e o nosso temor em ter uma doença é o precursor da criação dela. Somos responsáveis pelos nossos sentimentos mais interiores. As palavras afectam-nos mais do que armas. Uma ofensa pode nos matar, porque tudo isso deprime o nosso sistema imunológico.

Isso não é tudo: Já temos visto que o sistema imunológico fica algum tempo escutando nossos monólogos internos, raivas, mágoas, as ofensas que ouvimos, o amor que nos negamos, enquanto nenhuma célula ou órgão do organismo monitore e responda com uma acção concreta a estas pragas danosas que se vão acumulando no órgão que estiver mais fraco.

A resposta do sistema imunológico está condicionada pelo pensamento!

O sistema imunológico não só escuta, mas reage de acordo com o pensamento a este diálogo emocional. As células que defendem o nosso organismo têm pontos receptores de neuropeptídeos, as substâncias que produzimos no cérebro com cada pensamento. E a resposta do nosso organismo aos germes patogénicos ou ofensas, varia dependendo de que se fortaleça ou debilite o amor por nós mesmos que dará força ao nosso sistema imunológico para nos defender e nos manter saudáveis.

Tudo o que fazemos ou deixamos que nos façam tem consequências físicas.
Portanto, ame-se a si mesmo e viva positivamente!

2 comentários:

Maria Letra disse...

Então, sendo assim, João Soares,
"Nós somos o que digerimos (porque a combinação alimentar é muito importante) e o que pensamos".
Um grande abraço.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Minha querida Amiga ,

Certamente que é assim. E não esqueçamos que quando escolhemos os alimentos já está o pensamento a funcionar, a a predisposição para comer com prazer também é boa para a saúde.
Estamos com uma máquina muito complexa nas mãos e, sabendo manejá-la podemos viver com saúde e boa disposição.

Beijos
João