Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

terça-feira, 4 de julho de 2017

EVITAR COMER CACHORROS-QUENTES FORA DE CASA

8 razões para nunca comer cachorros-quentes fora de casa



Quando lhe dá a fome depois de sair da discoteca de madrugada, durante um festival de verão ou nas festas da terrinha, as roulottes de compra e venda de comida rápida são, provavelmente, uma das suas opções para aconchegar o estômago. Comer um cachorro-quente, bifana ou hambúrguer nunca é uma escolha saudável mas, segundo o site Delish – vocacionado para questões alimentares -, o cachorro-quente é mesmo a pior das três opções.

Veja, a seguir, oito razões para não voltar a comer cachorros-quentes fora de casa.

1. Falta de higiene de muitas das 'roulottes' onde se vende este tipo de comida. Antes de comprar alguma refeição nestes locais avalie o seu aspeto e peça sempre para fazerem a comida à sua frente. Nos EUA, é muito frequente comer-se cachorros quentes em 'roulottes' que se encontram espalhadas pelas grandes cidades. No ano passado, a revista 'Time' pediu ao Departamento de Agricultura dos EUA registos dos objetos mais estranhos que os consumidores costumam encontrar nos seus cachorros-quentes. Entre eles estavam cabelos, pedaços de vidro ou metal e ossos.

2. Têm uma enorme quantidade de sal.

3. Uma dieta rica em alimentos processados como este contribui para aumentar o risco de vir a sofrer de doenças cardiovasculares e cancro.

4. A maioria das salsichas utilizadas nos cachorros-quentes são baratas e, por isso, de baixa qualidade, o que faz delas menos saudáveis.

5. Afeta a libido. A mistura das salsichas com o pão e os molhos faz com que os cachorros-quentes sejam um alimento que prejudica também o seu desempenho sexual. Neste campo, este tipo de alimentação contribui para entupir as artérias vaginais e torna o ato sexual desagradável.

6. Contêm nitrato de sódio. Este conservante está presente em carnes processadas, como é o caso das salsichas, e é bastante associado ao aumento de cancro no pâncreas.

7. Comer um cachorro-quente por dia aumenta em 20% o risco de desenvolver cancro do colo-rectal. A conclusão é do American Institute of Cancer Research que em 2015 alertou para o facto de se tratarem de alimentos menos recomendáveis.

8. Aumentam o risco de asfixia nas crianças. Nos EUA, 17% da população com menos de 10 anos engasgam-se com comida e é frequente acontecer quando comem salsichas.

Sem comentários: