quinta-feira, 15 de maio de 2014

TER OBJECTIVOS NA VIDA DÁ LONGEVIDADE


Transcrição de artigo:

Investigação Quem tem objetivos de vida poderá viver mais tempo
20:50 - 15 de Maio de 2014 | Por Notícias Ao Minuto

Dois investigadores realizaram um estudo que determina que aqueles que têm mais objetivos de vida, ou relações mais positivas com outros, viverão mais tempo, lê-se no Boas Notícias.

Foi desenvolvido um estudo por uma universidade canadiana que revela que estabelecer objetivos, definir metas, sentir que temos um propósito aumenta a longevidade, segundo a página dedicada à investigação.

“O nosso trabalho indica que encontrar uma direção na vida e definir vários objetivos abrangentes no sentido daquilo que queremos atingir pode ajudar-nos a viver mais tempo, independentemente da idade em que descobrimos o nosso propósito”, afirma o investigador da Universidade de Carleton, no Canadá, Patrick Hill.

Nicolas Turiano, da Universidade de Rochester, nos EUA, decidiu em conjunto, explorar profundamente indícios que sugiram que encontrar um propósito diminui o risco de mortalidade, revela o Boas Notícias.

Investigaram 6.000 participantes norte-americanos e analisaram as suas experiências com emoções positivas e negativas.

Este foi um estudo que demorou 14 anos e 569 participantes morreram entretanto, o que serviu para os investigadores concluirem que aqueles que morreram eram os que tinham menos objetivos de vida ou poucas relações positivas com outros.

Imagem de arquivo

2 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Penso que todos querem viver mais temo e com mais qualidade.
Este será um dos maiores objectivos da vida, porém, parece-me que é necessário criar e alimentar outros objectivos de modo a tornar a nossa vida mais positiva e útil.

A. João Soares disse...

Concordo consigo: O exercício permanente das nossas capacidades, dá vitalidade. A ociosidade é mãe de muitos males. Órgão que não é utilizado, morre. O crescimento das crianças depende muito da sua curiosidade acerca de tudo. A sua pergunta mais frequente é «Porquê?». Devemos manter essa curiosidade até ao fim da vida, devemos aprender até morrer.