Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

terça-feira, 29 de maio de 2012

Aspirina pode ajudar a prevenir cancro da pele


Aspirina pode ajudar a prevenir cancro da pele
Quem toma regularmente aspirina ou medicamentos similares pode reduzir em cerca de 15% o risco de desenvolver cancro da pele, incluindo melanoma maligno - o tipo mais mortífero da doença. A conclusão é de um estudo dinamarquês que envolveu cerca de 200.000 pessoas.
Embora os especialistas continuem a reafirmar que as melhores formas de prevenir o cancro da pele sejam utilizar protector solar e evitar a exposição prolongada ao sol, o trabalho desenvolvido indica que os anti-inflamatórios não esteróides, isto é, os fármacos capazes de controlar inflamações, diminuir a dor e combater a febre e que vão desde a aspirina ao ibuprofeno, podem igualmente ter um efeito protector.
De acordo com a BBC, dos 200.000 participantes envolvidos no estudo, cerca de 18.000 foram diagnosticados com um dos três tipos de cancro da pele. Os investigadores analisaram os registos médicos destes indivíduos para calcular a quantos deles tinha sido prescrita esta espécie de medicamento, em muitos casos devido a problemas cardíacos ou artrite.
A análise mostrou que aqueles a quem foram prescritos mais frequentemente anti-inflamatórios não esteróides apresentavam menor probabilidade de sofrer de cancro da pele. Além disso, os dados evidenciaram que quanto maior a dose e quanto mais prolongado o período da toma, mais ampla a protecção.

  Protecção poderá alargar-se a outros cancros
Ainda assim, os cientistas do University Hospital, na Dinamarca, salientam que é necessária uma pesquisa mais aprofundada com o objectivo de confirmar os resultados e encontrar explicações para os mesmos. 
Isto porque não foi tida em conta a exposição ao sol - a maior causa desta doença - e, embora tenha sido encontrada uma ligação entre as prescrições e a probabilidade de cancro, a equipa não teve possibilidade de monitorizar de forma precisa a quantidade de medicamentos ingerida por cada um dos indivíduos, até porque é possível adquirir fármacos como a aspirina sem receita médica.
Estudos anteriores, efectuados com animais, já tinham sugerido que os anti-inflamatórios não esteróides teriam capacidade de bloquear o crescimento das lesões pré-cancerosas na pele, mas ainda não é certo que o efeito seja exactamente igual nos humanos. 
Os especialistas suspeitam também que estes medicamentos possam proteger muitos contra outros tipos de cancro, como o cancro do intestino. Porém, deixam o alerta: mesmo que esta protecção seja uma realidade, é indispensável continuar a ter cuidados sérios com o Sol.
fonte: Boas Notícias

1 comentário:

A. João Soares disse...

Amiga Celle,

Obrigado por este interessante texto, muito útil para os visitantes.
A aspirina é um medicamento tão vulgar que é estranho como os seus efeitos ainda nos surpreendam. Neste blogue há mais de meia dúzia de artigos a divulgar os seus benefícios, mas é sempre oportuno relembrar.

Beijos
João