Bem Vindos !

Quando era criança, na minha aldeia, ouvia com frequência a expressão dos mais simples objectivos das pessoas «haja pão e coza o forno». Realmente, havendo «saúde e alimentação», tudo acaba por ser resolvido. Decidi, por isso, guardar neste espaço, tudo o que estiver guardado nos blogs a que tenho acesso e o que venha a obter sobre este tema, com a convicção de que a saúde depende muito da alimentação e do estado de espírito. (A.João Soares)

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Os benefícios de usar ervas aromáticas

Sálvia ou salva

Neste artigo vamos apresentar algumas ervas e especiarias, que podem servir para a confecção das suas refeições favoritas. As especiarias são também muito benéficas para a saúde e podem dar muito sabor e aroma na sua cozinha. Conheça algumas das ervas e especiarias e as suas principais características.
Cozinhar com especiarias e ervas aromáticas é muito saudável e é recomendado o seu uso, em troca de condimentos menos saudáveis, como o sal, por exemplo. As ervas aromáticas podem ser compradas inteiras ou em pó. Para conservar o seu cheiro e sabor, devem ser trituradas momentos antes de serem cozinhadas. Além das suas características aromáticas e do seu óptimo sabor, são também muito utilizadas como tratamento natural para dores e outros problemas de saúde. Conheça neste artigo as características de algumas ervas aromáticas e especiarias.
  •  Coentros:
Muito usados na cozinha portuguesa, são também muito populares na cozinha mexicana e indiana. Os coentros podem ser utilizados de forma natural, secos ou em sementes e têm um sabor muito intenso, principalmente quando estão frescos. Esta erva combina muito bem com pratos de arroz e tomate e com muitos outros pratos. Os coentros são muito benéficos nas dores do estômago e na redução do colesterol do sangue e pensa-se ainda que são importantes na estimulação de enzimas que combatem o cancro.
  • Louro:

O cheiro e principalmente o sabor do louro é único. Usado em quase todo o tipo de pratos, uma folha de louro pode fazer a diferença, dando paladar a pratos de carne, de sopa e muitos outros cozinhados, ficando bem em praticamente qualquer prato. O louro é conhecido também por facilitar a digestão e pode ainda ser usado como repelente natural: coloque uma folha de louro nos recipientes do arroz, farinha, feijão, etc, e nunca mais terá aqueles famosos bichos que estragam os alimentos.
  • Orégãos:

Também conhecidos como manjerona silvestre, os orégãos são uma erva com grandes qualidades aromáticas. Muito usados nas pizzas, ficam muito bem em pratos de vitela, cabrito, aves e muitos outros. Possuem propriedades antioxidantes e são aconselhados no combate de inflamações e ajudam ainda no problema de aerofagia (excesso de ar no estômago).
  • Tomilho:

Esta erva tem um sabor delicioso, principalmente quando é usado fresca. Rico em ferro e cálcio, o tomilho fica muito bem em saladas e sopas mas também em pratos de carne e peixe. Esta especiaria é eficaz a melhorar problemas respiratórios e torácicos, como a tosse e a bronquite, mas também é muito eficaz para ajudar a vesícula preguiçosa e problemas de digestão lenta.
  • Cravinho:

Além do seu aroma, que muitos dizem ser parecido a um consultório médico, o cravinho tem inúmeras aplicações médicas. Fica bem em qualquer guisado e também combina muito bem com fricassé.  As suas propriedades assemelham-se a um anestésico natural e é um excelente anti-inflamatório. É ainda conhecido por ajudar na prevenção de tromboses e coágulos. O extracto do cravinho, o eugenol, é muito utilizado na medicina dentária, devido às suas excelentes propriedades anti-cépticas. Os botões da flor do cravinho são também ricos em nutrientes, como o magnésio, cálcio e vitamina C.
  • Gengibre:

O sabor do gengibre é de frescura e picante. É um excelente condimento para usar em refogados e guisados, aumentando o sabor dos vários ingredientes. Seco, o gengibre é também usado em bolos e também no caril. As suas propriedades antioxidantes ajudem na prevenção de doenças cardiovasculares e cancerígenas. É também muito eficaz para eliminar as náuseas e o enjoo do movimento.
  • Cominho:

De sabor semelhante ao anis, o pó ou as sementes do cominho dão um óptimo sabor a saladas, pratos indianos e mexicanos. As propriedades medicinais do cominho são conhecidas por ajudar na digestão, nas dores intestinais, na flatulência e na prevenção de problemas cardiovasculares.
  • Alecrim:

O sabor do alecrim ou rosmaninho é bastante forte e inconfundível. Fica muito em pratos de marisco e também em grelhados. Também combina bem em pratos com legumes e saladas. O aroma intenso do alecrim é muito eficaz para ajudar a levantar o ânimo. Além disso, o alecrim pode ajudar nas dores musculares, problemas da vesícula, problemas de ossos, dores de cabeça, depressões, problemas digestivos e muito mais. O óleo é conhecido por ajudar na bronquite, sinusite, no cansaço e como estimulante do sistema circulatório.
Hipertensos, epilépticos, mulheres grávidas e crianças até 10 anos de idade, não devem usar o alecrim como terapêutico.
  • Salva ou sálvia:

O cheiro da salva faz lembrar a madeira. Na cozinha a sálvia combina bem com o tomate, a cebola, o alho, os legumes, a carne e toda a cozinha italiana em geral. Esta erva, cujo nome significa saúde, é usada para muitos fins terapêuticos. Pode ser utilizada para dar ânimo e energia mas também para limpeza dos dentes, remoção do tártaro e dar um hálito agradável. Um banho tónico com um pouco de salva faz revigorar o corpo e a mente. É muito recomendada para quem tem diabetes. Prepare 100 gramas de folhas de sálvia em 1 litro de vinho branco seco. Beba frio e veja os seus níveis de açúcar no sangue baixarem. Além disso, é também muito boa para o sistema cardiovascular.
  • Noz-moscada:

O seu aroma muito intenso e característico, combina bastante bem com carnes, espinafres ou puré de batata. A noz moscada facilita a digestão e é ainda muito eficaz contra a flatulência. Pode ser usado exteriormente em fricções, para ajudar o reumatismo ou dores lombares. Ajuda ainda na prevenção de doenças cardiovasculares, já que evita a agregação de coágulos sanguíneos.
Evite conservar as ervas aromáticas durante longos períodos, já que estas perdem o seu sabor ao longo do tempo.
Esperamos que tenha aprendido um pouco mais sobre ervas aromáticas e as use mais no seu dia-a-dia. Além de fazerem bem à saúde, são ainda óptimas para a confecção de qualquer refeição. Em breve falaremos de outras ervas aromáticas e suas características.

4 comentários:

Luís Coelho disse...

A maioria destas plantas é hoje aplicada nas nossas cozinhas.

Maria Kiki disse...

Obrigada por nos lembrar de todas estas ervas aromáticas, as quais, se bem usadas podem enriquecer os nossos pratos grademente.
Bjs
MariaKiki

A. João Soares disse...

Caro Luís Coelho e cara Maria Kiki,

O interesse que os visitantes demonstram pelos assuntos aqui trazidos traduz-se, principalmente nas mais de 9.000 visitas realizadas nos trinta das do passado mês.
Muito do material publicado tem sido gentilmente oferecido por visitantes. É bom que toda a pessoa que encontra algures algo com interesse o envie para nós a fim de o colocarmos ao dispor de todos os que nos queiram visitar.
O envio deve ser feito por e-mail para os endereços existentes nos perfis dos contribuidores.

Abraços
João

Celle disse...

Fê, cara amiga, uso muito as ervas na comida preocupada quase sempre com o sabor e o aroma. Aqui nos mostra também o lado da saúde, gostei tanto que irei imprimir para te-las sempre as mãos!Posso publica-las no meu blog?
beijos
celle